Eu postei há algum tempo um comparativo rápido entre o TomTom One XL e o Garmin nüvi 255.

Semana passada tive a oportunidade de testar o GPS Garmin e compará-lo ao TomTom que tenho.

Os modelos de GPS testados foram:

* Garmin nüvi 255w
* TomTom One XL

TOMTOM GARMIN GPS

Esses dois modelos estão na mesma categoria e têm tela de 4,3” touchscreen e entrada para cartão de memória SD. Um pequeno detalhe aqui é que as versões mais simples dos TomTom hoje vêm com 2GB de memória interna, mas nenhuma entrada para cartão SD. Apenas as versões GO para cima têm entrada para microSD.

Design

O modelo do meu TomTom já é bem antigo (mais de 2 anos) e até saiu de linha. Por isso neste quesito comparo com outro modelo da linha XL da TomTom de mesma faixa de preço que o Garmin, o XL 330S.

tomtom xl 330s suporte

O design do TomTom é mais limpo e moderno, que o Garmin. A espessura do aparelho é praticamente a mesma, mas o TomTom leva vantagem no suporte para vidro.

Apesar de o suporte do Garmin ser bastante firme, ele ainda é um trambolhão de se carregar, enquanto o do TomTom pode ser fechado sem adicionar muito à espessura final do aparelho, facilitando seu transporte.

Tempo para fixar o sinal de GPS

Esse é um ponto muito importante ao comparar aparelhos de GPS pois é MUITO chato ter de esperar o GPS fixar o sinal para depois poder sair. Em cidades com muitos edifícios então perder o sinal e demorar para fixar de novo é muito chato.

Os dois modelos possuem uma maneira de “atualizar” a posição de cada satélite pelo computador. Isso melhora bastante o tempo para fixar o sinal e é aconselhável ser feito uma vez por semana.

Fiz o teste ao sair de casa e dentro do estacionamento aberto do aeroporto de Guarulhos e os dois demoraram quase o mesmo tempo para fixar o sinal com pequena vantagem para o Garmin.

Interface de Opções e Mapa

Ambos os GPS têm opções similares, mas a interface do TomTom me agrada mais.

A sensibilidade da tela do TomTom também é bem melhor. Pra se ter idéia, a tela do Garmin que eu testei já estava com arranhões pois é preciso um pouco mais de força para ativá-la.

Também achei que as opções do TomTom são melhores e mais fáceis de serem encontradas que a do Garmin.

Com relação ao mapa em si, eu gosto muito mais do Garmin.

MAPA GARMIN GPS

O mapa é mais claro e fácil de entender, contudo ele costuma diminuir e aumentar o zoom dependendo da distância para a “próxima curva” e isso me confundiu um pouco pois num dos momentos eu achei que estava próximo, mas na verdade ainda faltava mais de 1km. Nada que não se acostume com o tempo :)

Um ponto a favor do TomTom neste caso é que a interface do mapa mostra mais informações que o Garmin, como nome da rua atual e nome da próxima rua, quantos quilômetros e quato tempo faltam para o destino e a qualidade do sinal de satélite.

Apesar de eu gostar mais do mapa do Garmin, eu prefiro ter as informações extras que o TomTom mostra.

Um ponto a favor do Garmin é a maneira de indicar radares nas ruas e rodovias. Além de avisar quando há um radar e qual a velocidade limite, como o TomTom, o Garmin também avisa se você está acima daquela velocidade. Muito útil quando se está destraído e passa-se um pouco do limite :mrgreen:

Bateria

Eu só uso o GPS no carro com o carregador ligado, então a duração da bateria não me interessa muito, mas segundo os fabricantes, a bateria do Garmin dura 4h, uma hora a mais que a do TomTom.

O Teste

Eu aproveitei que teria de ir para o Aeroporto de Guarulhos e resolvi ir com os dois GPS ligados ao mesmo tempo para ver como eles se comportavam.

ALERTA: Crianças, não tentem isso em casa! Eu quase perdi uma entrada pois os dois GPS resolveram falar ao mesmo tempo e de maneiras diferentes o que eu teria de fazer o que acabou me desconcentrando.

Antes de sair de casa eu programei os dois GPS e vi que ambos me levavam por dentro de São Paulo até Guarulhos. Mas eu tinha de passar em Campinas antes e, propositadamente, fui seguindo meu caminho até lá para ver como eles se comportariam ao perceber que eu tinha saído da rota.

Neste caso ambos levaram o mesmo tempo para rerotear o caminho. Às vezes levavam para caminhos diferentes, o que é normal devido às diferenças nos softwares de roteamento e dos mapas usados.

Avaliação final: Empate

Eu gosto mais da interface do TomTom, principalmente das informações extras no mapa, mas é só questão de costume e gosto pessoal. Nos quesitos que mais interessam – tempo para fixar o sinal dos satélites e para rerotear os caminhos – ambos tiveram performance bem parecida.

Ambos também possuem mapas do Brasil e vozes em português do Brasil.

Para escolher qual o melhor para você, aconselho ir a uma loja e testar a interface de cada um para ver qual a mais agradável para você.

É isso aê.

Se gostou do que viu, assine o blog!


    33 Comentários
  1. Excelente post Fred! Tira uma dúvida minha. Estou para comprar um GPS agora e uma dúvida que fiquei entre o Garmin e o TomTom é qual é o mais fácil e barato para se obter mapas? Quais são os melhores sites para baixar esses mapas?

    Abraços!

  2. Fala Alessandro.

    Para os mapas do Brasil:

    Preços pelo site da Garmin: 49,90 USD

    Preços pelo site do TomTom: 59,90 USD

    Sendo que o mapa da Garmin tem mais pontos de interesse, mas um pouco menos de área coberta (13.000 km a menos).

    Eu não tenho como comentar muito nos sites para baixar mapas pois quando fiz no meu eu usei a comunidade do Orkut da TomTom (não dava para comprar os mapas do Brasil na época).

    Um colega meu que tem Garmin citou o site http://www.gpsbra.com/bra/ e realmente me parece bem completo não só para Garmin ou TomTom, mas também MIO, Magellan e outras marcas de GPS.

    Se você puder, deixa um comentário sobre o que achou do site para ajudar as outras pessoas tb :D

    • Eu tenho um Garmim nuvi50LM 5″. Compro os mapas da QuatroRodas no Site autoguiasgps.com.br, tem atualização durante 1 ano. É uma questão de confiança nos mapas da QuatroRodas.

  3. eu ainda sou fã do Garmim… mas também nao sei se já era acostumada com ele há tempos… pode ser isso também, né?

    Belo post

  4. Oi Mirela :)

    O quesito costume realmente influencia.

    Durante o teste havia uma opção no TomTom que eu uso muito e que não achei tão fácil de usar no Garmin, mas não quis comentar justamente por achar que era mais questão de costume da minha parte :D

  5. Fred, nós temos o Tomtom (mas é outro modelo, superior ao One, não lembro o nome e o GPS tá no carro).

    Minhas críticas a ele:

    - A bateria dura pouco, bem longe de 4 horas. E como as vezes carrego o celular no carro, isso é um problema.

    - Aqui em Sp demora muito para achar o sinal. E na Av. Paulista, ele sempre se perde.

    - O mapa do Brasil tem sérios probleminhas. Por exemplo, uma rua que tenha no nome "Padre" pode ter sido registrada como Pde ou Pdre ou Padre. Ocorre o mesmo com "Desembargador", "Alameda", etc. Não tem um padrão.

    - Fora isso, alguns estados estão bem defasados. Levamos para Alagoas e foi o mesmo que nada.

  6. Oi Priscila :D

    Obrigado pelas suas impressões!

    O meu também tem bateria bem curta, mas não sei se é por ser refurbished ou não.

    Quanto ao celular, quem mandou ter iPhone? hehehe

    Brincadeiras à parte, essa questão da bateria é importante para quem usa os 12V do carro para outras coisas além do GPS.

    A perda de sinal em áreas urbanas cheias de prédios ou de árvores é normal e mesmo no Garmin eu tive esse problema perto do Minhocão em São Paulo.

    Mas esse problema se agrava quando o "GPS Fix" ou opção equivalente para melhorar a velocidade de fixação dos satélites do GPS está antiga.

    Essa opção existente tanto no Garmin quanto no TomTom (nos outros eu não sei) é uma atualização da posição dos satélites, pois eles mudam de posição com o tempo.

    Com essas posições atualizadas o GPS consegue fixar o sinal muito mais rápido e, se perder o sinal por causa de túnel ou prédios, ele consegue recuperá-los mais rápido também.

    Essa atualização é recomendada uma vez por semana.

    Em BH eu levei meu GPS e tive sérios problemas para fixar o sinal do GPS. Levava vários minutos. Depois que cheguei em casa e atualizei ele voltou a pegar o sinal rapidamente.

    No TomTom você tem de ir no TomTom Home e mandar ele pesquisar as atualizações existentes. Vai aparecer algo como "GPS Fix" ou equivalente se já houver uma atualização.

    É isso aí :) Espero ter respondido suas perguntas. Se não, é só perguntar de novo :P

  7. Obrigada, Fred! Então pelo que entendi é só fazer uma atualização, certo? Pq normalmente eu faço 1 vez por ano! Hahahaha… com essa vou fazer mais frequentemente.

  8. Isso mesmo, Priscila :D

  9. Fred, valeu pela dica dos mapas, mas tenho mais um pergunta. :-)

    Um amigo meu baixou o SW e mapa do TomTom da Europa inteira para o seu Iphone do site da Apple (US$80) e pelo que pude ver, funciona muito bem. A interface do menu parece ser igual e o layout dos mapas também. Além do tamanho da tela e do suporte, você sabe quais as desvantagens dessa versão para o GPS normal? Imagino que tenha menos funcionalidades, mas não sei quais.

    Abraços!

  10. Fala Alessandro.

    Eu nunca testei o software da TomTom em celulares, mas imagino que o software em si não deixe a desejar dos aparelhos de GPS. Talvez algumas funcionalidades fiquem de fora, mas não acredito nisso devido ao preço caro do programa na minha opinião.

    Contudo eu posso dizer que a principal diferença é a qualidade do sinal de GPS que nesse caso depende exclusivamente do smartphone.

    Sua pergunta foi bem pertinente e, coincidentemente é assunto do próximo post sobre GPSs :) Vou comparar o uso do aparelho de GPS com o GPS dos smartphones.

    Aguardem cenas do próximo capítulo :D

  11. 1 2
Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback
  1. […] A melhor dica que eu posso dar para vocês ao alugar um carro é: tenha um GPS com mapa dos EUA, seja seu, alugado ou que dependa de Internet como o Waze. Assim, 80% das suas preocupações […]