Mais um post da nossa correspondente especial dona Sônia contando um pouco da história de Portugal para todos nós.

O domingo amanhecera frio mas ensolarado com um azul maravilhoso, um convite para uma boa caminhada. Resolvi me dirigir para a outra margem do Mondego e visitar o Mosteiro de Santa Clara – a Velha.

mosteiro de santa clara velha

Mosteiro de Santa Clara Velha

A Rainha D. Isabel de Aragão empenhou-se na refundação do Mosteiro e, por sua ordem, coube ao arquiteto Estevão Domingues a conclusão da Igreja e a construção dos claustros, abastecidos com a água que provinha da Quinta das Lágrimas.

O templo foi edificado com uma aparência românica e características góticas. A rainha também mandou construir um hospital para os pobres com cemitério, capela e um paço, onde mais tarde viveriam D. Pedro e D. Inês de Castro e que também seria o local da execução de D. Inês de Castro em 1355.

mosteiro de santa clara velha - fonte

Fonte que abastecia o claustro. A água vinha da Quinta das Lágrimas

No ano seguinte à sagração da igreja, aconteceu uma cheia no rio Mondego que demonstrou que a convivência das freiras com algumas questões naturais seria problema. Numa tentativa de solução, as freiras viram-se forçadas a construir um andar superior ao longo do templo e a desocupar todo o andar inferior.

Frente às enchentes sucessivas, a comunidade se viu obrigada a construir uma igreja nova – Mosteiro de Santa Clara – a Nova. O velho mosteiro foi abandonado em 1677.

Ele foi classificado como Monumento Nacional em 1910. O abandono do espaço e a imersão dos sedimentos criaram a imagem de ruínas.

mosteiro de santa clara velha

Altar Mor do Mosteiro

Entre 1995 e 2000 o Mosteiro de Santa Clara passou por uma ambiciosa campanha arqueológica que exigiu o constante bombear das águas e revelou a parte inferior da construção e os claustros.

Ficou ainda incluída uma importante reserva arqueológica, ou seja, o segundo claustro, as dependências anexas, o refeitório e os dormitórios eram memórias que ainda seriam  desvendadas.

O processo arqueológico permitiu recuperar um enorme e diversificado espólio, que se transformou em uma bela exposição denominada: Freiras e Donas de Santa Clara: arqueologia da clausura.

`mosteiro de santa clara velha

Local onde permaneceu o esquife de Santa Isabel até ser transportado para o Mosteiro novo

Os objetos reunidos permitem ao visitante perceber que as ilustres recolhidas entre os muros do mosteiro se cercavam de peças requintadas, como raras faianças, rosários, anéis e brincos, mesmo pertencendo a uma comunidade em que se deveria pautar na humildade.

A visita representa uma oportunidade de não somente observar uma belíssima construção em estilo gótico como também um importante trabalho de recuperação do passado.

mosteiro de santa clara velha - clausto

O claustro do mosteiro com detalhes de Coimbra ao fundo

Se da mesma forma que eu, você quiser aproveitar a gratuidade do domingo e o restaurante do Mosteiro, vá em frente. Experimentei um Sande de atum, muito bom. Uma bela união de sabor e preço ;)

Mosteiro de Santa Clara – a Velha

Rua das Parreiras, 3040-266 Coimbra

Terça a domingo: verão – 10h às 19h e no inverno – 10h às 17h

Gratuito aos domingos e feriados: até às 14h

Se gostou do que viu, assine o blog!


    2 Comentários
  1. Ai, tô adorando essa série de publicações que tem feito de minha cidade. A parte ruim é a nostalgia. Saudades de lá!!! Bjs

    • Oi Ana!
      Que bom que você está gostando dessa série de posts. Estamos caprichando :)
      Volte sempre para matar a saudades.

Deixe seu Comentário