“É devagar. É devagar. É devagar, é devagar, devagarinho.” – Martinho da Vila

Não, eu não errei o título do post.

Também não sei bem porque escolhi esse título. Provavelmente pq eu o venho guardando há tempos (nem os anjos têm ao certo a medida da maldade) para divagar sobre várias coisas, mas que eu acabei não escrevendo e que vou tentar resumir por aqui.

Primeiro, tenho pelo menos 2 receitas para postar, mas que estou com preguiça… Uma receita de pãozinho recheado com lingüiça (ou seria linguiça?) e outra de pudín (de postre) de chocolate. Um dia eu posto… Ou não.

Outro fato interessante foi a compra de um GPS pra nós, porque como alguns devem saber, a gente se perde mas se acha. Um exemplo foi o dia em que a Natalie foi ao centro de campinas e quando voltou resolveu passear pela cidade indo de Monte Mor, passando por Hortolândia e voltando pelo bairro Macuco em Valinhos. Ou quando estávamos voltando da 25 de Março e quase fomos parar em Santos, mas no final encontramos o caminho… pro Museu do Ipiranga!

tomtom gps

Enfim, fomos eu e minha irmã testar o GPS indo pra Jundiaí pra eu poder conhecer a pista de patins que tem lá. Chegamos até a Anhanguera sem problemas, pegamos a rodovia vincinal pra poder pegar a rodovia q passava per Jundiaí perto de onde queríamos ir.

Mas, como não poderia deixar de ser, na bifurcação e eu peguei a entrada errada. Ok, fomos pra direção contrária da rodovia. O GPS quase me chamou de burro, mas a Gabi (voz do GPS) resolveu ficar quieta e rerroteou para o retorno mais próximo.

Retorno na Rod. dos Bandeirantes! Eu achei q eu ia chegar em São Paulo e ainda ter de pagar 2 pedágios pra poder voltar pra casa.

(Isso me lembrou quando tentamos ir no Fridays em Orlando q era apenas do outro lado da rua, mas como não havia passagem para pedestres, tivemos de pegar o carro. Resolvemos ligar o GPS e ele nos levou pra rodovia e tivemos de pagar 2 pedágios antes de conseguirmos voltar e descobrir q a entrada do Fridays era pela lateral… Ah, o nome do GPS era Never Lost!)

Enfim, eu já estava preocupado porque não sabia se tinha dinheiro pro pedágio da Bandeirantes quando vejo o GPS apontando pra um retorno com curva de 180 graus na Bandeirantes.

Quando vi, era uma entrada logo depois da balança de pesagem de caminhoes. Entrei meio sem saber se podia e vi carros estacionados q imaginei ser dos funcionários da balança e ainda tinha xiqueines (vai saber como se escreve) artificiais como as da F1 quando o piloto sai do traçado correto.

O mais incrível é q era realmente um retorno! Só não sei ainda se era permitido.

Conseguimos chegar em Jundiaí. Mas o TomTom e a Gabi não queriam parar de nos pregar peças. Nos levaram pra perto da pista, mas indicaram o lado errado. Mas claro, a numeração do mapa do GPS estava errada.

Pra encurtar a história, nós conseguimos chegar na pista. O resultado está aí em baixo:

Moral da história: Cheque o humor do seu GPS antes de sair com ele. Ah, e tenha sempre dinheiro para os pedágios.

divagar

di.va.gar
(lat divagari) vti e vint 1 Andar errante, caminhar ao acaso; vaguear: Divagamos por vários bairros da cidade. O mendigo divaga sem destino. vint 2 Afastar-se do assunto que vinha tratando. vti e vint 3 Devanear, fantasiar: Os namorados divagam no império da quimera. Divagam, edificando castelos de ilusões. vti e vint 4 Discorrer sem nexo: O doente divagava por lembranças do passado. Bastante embriagada, ela divagava.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


Deixe seu Comentário