Um pequeno pit stop nos posts sobre Minas Gerais e seus encantos.

livros de receitas

A vida muda. As pessoas mudam. E uma hora é preciso encarar a realidade que te obrigada a colocar a barriga no fogão, enfrentar seus receios e fazer ARROZ. É isso mesmo que você acaba de ler, querido leitor. Ontem a noite falei para o Fred: “chegou a sua vez de fazer arroz”.

Não tem jeito. Todo mundo vai passar por isso um dia. Cedo ou tarde. Depois de 5 minutos de pânico, falei que enviaria a receita por email. E essa receita, um clássico descritivo da literatra moderna, merece um post.

A vida na cozinha é muito mais complicada quando o cozinheiro não entende as unidades de medidas visuais e sensoriais da cozinha. Nem tudo é calculado por Bit, Byte, Pixel, Hertz ou GigaHertz.

– Pegue aquela panela da Tramontina que sempre usamos pra fazer arroz.
– Coloque duas colheres de sopa rasas de cebola bem picadas.
– Coloque uma colher de sopa de sal.
– Um fio de olho

Abre parênteses.

O dilema do Fio de Óleo.

O Fred quase tem uma crise de pânico toda vez que ele ouve essa expressão. Resolvi criar um esqueminha para evitar esses ataques no nosso mestre cuca.

Criando seu primeiro Fio de Óleo:

Você deve inclinar com delicadeza o frasco de óleo e fazer um cículo até que complete um zero ou a letra O dentro da panela, esse é o fio de óleo necessário para fazer o arroz.

Fecha parênteses.

– Ligue o fogão e mexa esses ingredientes até dar uma fritadinha nas cebolas. Elas começam a fazer tchiiiii tchiiiiiiii.

– Quando esse som começar, coloque uma xicara de arroz.
– Em seguida, acrescente 3 xicaras de águar (3 de água para cada 1 de arroz)
– Preste atenção nesse momento crítico. Não deixe toda a água secar totalmente – isso pode queimar o arroz no fundo da panela. Acompanhe o arroz. Prove. Se estiver duro e faltando sal acrescente mais uma pitada de sal e um pouco de água.

Não temos fotos para ilustrar esse post. Mas espero que tenha dado tudo certo e que o Fred não tenha destruído nossa cozinha =P

Se gostou do que viu, assine o blog!


    7 Comentários
  1. Eu não destruí a cozinha! Mas o arroz… bom, ficou marromeno. Muito óleo. Acho q minha delicadeza de Shrek nao ajudou muito :/

  2. Aprendi a fazer arroz com Lai, então é só água e arroz. 😛

    Uma dúvida sobre o fio de óleo: qual o raio dele?

  3. Estou querendo dar esse ultimato há um tempo e agora você me convenceu! Acho que vou imprimir esse post e colar na geladeira lá de casa. 😉

  4. Aeee!! Ninguém nunca esquece o primeiro arroz. =D O próximo passo é comprar aquelas panelas elétricas, que fazem tudo sozinhas e dispensam o fio de óleo!

  5. kkkkkk…
    Nat, ri aos tubos lendo esse post!
    Fred, o próximo vai sair mais gostoso ainda. Não desista!
    kkkkkk… :mrgreen:

  6. Adorei os comentários dese post. 😀
    Pessoal, obrigada pela visita!

  7. Aqui em casa faz-se arroz da mesma maneira que se faz macarrão: ferve-se a àgua, coloca-se sal, um pedação de gengibre ( pausa pra lembrar que minha mãe era Chinesa). Quando a àgua levantar fervura, coloque o arroz, espere cozinhar e prontinho. Sem fritura, mais saudável, sem sujeiras, super rapidinho.

Deixe seu Comentário