O dia amanheceu ensolarado e “bota”ensolarado nisso. Consegui reservar o transfer até o parque argentino com um dia de antecedência na própria agência de turismo do hotel. Eles nos cobraram R$40.00 por pessoa (Parque Argentino, City tour, Compras e Duty Free).  Essa foi a opção de transfer mais barata que eu consegui. Pesquisei com outras empresas  e os valores mudavam bastante – entre 80 e 60 reais por pessoa. Nem com os taxistas eu consegui negociar o valor. Eles cobravam sempre o mesmo valor das empresas de turismo.

Saímos do hotel 15 minutos depois do horário combinado. (Eu sou chatinha assim mesmo com essa questão dos horários. Sorry.) A travesia foi tranquila. Poucos carros na aduanda argentina. O único inconveniente foi ser obrigada a esperar uns 30 minutos enquanto o pessoal parava para comprar pesos na cada de câmbio (#modorabugentaon. Sorry, again.). Portanto, não se esqueça de levar pesos para pagar o ingresso do parque. Essa é a única moeda aceita. O ingresso atualmente custa 45 pesos. Essa tarifa foi reajustada recentemente. Não sei confirmar se existe um estacionamento para carros particulares e quanto eles cobram.

¿Donde se queda la cola?

Se você optar por almoçar no Parque, prepare o cartão – 55 pesos (sem bebida), mas pode comer a vontade. Lá também é possível encontrar algumas lanchonetes. Se você quiser economizar siga uma dica a lá pato econômico: leve sua própria garrafinha de água. Me cobraram 10 pesos por uma água meio salgada.

O rapaz do transfer nos deixou na entrada do parque as 10 horas da manhã e marcou o nosso retorno para as 15 horas. Pouco tempo para quem quiser descansar por uma hora durante o almoço e ainda optar por fazer as 3 trilhas do parque com calma para admirar o ambiente e ainda tirar boas fotos. (Boas fotos? Cadê a Denise nessas horas quando você precisa dela? =P)

O que restou da ponte que foi derrubada em 1992 pela enchente o.0

O Parque argentino é tão fácil de caminhar quanto o brasileiro. É bem sinalizado, disponibiliza várias lixeiras (recilável e orgânico). Também é possível encontrar o staff do parque sempre que necessário.

Chegando...

A visita pode ser feita de 3 maneiras diferentes:

  • Ir de trenzinho ou caminhando até a passarela que lava para a Garganta del Diablo. Essa passarela tem 1.1 km. Piece of cake.
  • Fazer a trilha do circuito superior. São 650 metros que mostram as quedas secundárias.
  • Percorrer 1.4 km do circuito inferior e se molhar bastante.

Descrever a sensaçã de estar, praticamente, em cima das maiores quedas d’aguas do mundo é algo que requer muita habilidade. É impossível  não se impressionar com tamanha força e beleza. Vale a viagem.  Naquele momento nem me lembrava mais do chuveiro frio do hotelzinho do pacote.

Momento Uauu

RT @CatarasIguazú Momento Uauu

Coloque aqui o seu adjetivo 🙂

Lá em baixo o pessoal no circuito inferior

E quem precisa de Pandora quando se vive por aqui? #Avatar

Só um detalhe atrapalhou: 15:30 chegou mais rápido do que o esperado. Tive que parar o circuito inferior na metade. Afinal, precisava retornar ao ponto de encontro e seguir viagem até o Duty Free. Aliás, não acredito que seja muito vantajoso fazer grandes comprar por lá. Sem falar no stress que é trazer muitas bebidas na mala.

Horários e Serviços:

O horário de visitação do Parque Iguazú é das 08:00 as 18:00 entre Março e Setembro. E das 08:00 as 19:00 entre Outubro e Fevereiro.

É possível chegar ao Parque utilizando o transporte público da região. É meio roots, mas eu toparia.  A empresa que faz esse transporte se chama “El Práctico”. Os ônibus passam a cada 30 minutos.

Outras Informações:

http://www.iguazuargentina.com

http://www.parquesnacionales.gov.ar/

iguazu@apn.gov.ar

Também é possível participar de passeios de aventura parecidos com os oferecidos do lado brasileiro, conforme indicava essa placa:

Iguazú Jungle

Se gostou do que viu, assine o blog!


    10 Comentários
  1. Nat, esses posts da sua viagem pra Foz estao todos super completos, com fotos lindas! To salvando tudo pra quando eu for :mrgreen:

    • Mari,
      o lugar é tão lindo que nem precisa de muito esforço para conseguir boas fotos 😀 Isso porque meu conhecimento de fotografia é bem próximo de zero.

      Estou tentando deixar os posts o mais completinhos possíveis para facilitar a vida de quem for para Foz. Já tenho mais dois no forno 🙂

  2. Nati, eu estive lá em 2007 e deixamos o carro em um estacionamento. Procurei agora nas minhas anotacões da época e não tem nenhum valor… Então devia ser de graça. Será? 😕

  3. Natalie,

    Sabe que nunca tinha visto as cataratas pelo angulo Argentino???

    É bem diferente né, parece que dá pra chegar bem mais perto…

    Alguns anos atrás eu fui pro lado Argentino de carro, mas não visitamos as cataratas, apenas o Duty Free e Puerto Iguaçu que alias tem bons restaurantes. Foi legal, mas confesso que devia ter considerado a possibilidade de ver as quedas tambem.

    Beijos

    • Carol,
      é uma experiência muito interessante. Porque do lado brasileiro vc vê as quedas d'água. Já no lado argentino vc fica, praticamente, em cima das quedas. É incrível.

  4. Desculpe o off topic, mas não sabia exatamente onde postar a pergunta. Você sabe me dizer como ir ao Oulet Premium que fica na Rodovia dos Bandeirantes km 72, saindo de Campinas? É que pelo mapa vi que é aí para o lado de Valinhos (ou será que errei feio, nunca aprendi a interpretar mapas rodoviários) hehehe! Tô cheia de informações de como ir de SP, capital – mas meu voo vai descer em Campinas. Beijão e obrigada!

    • Oi Silvia!

      Te mandei uma DM no Twitter, mas é relativamente simples. Do aeroporto vc pega a Rod. Santos Dumont sentido Campinas, depois vc pega a saída para a Rod. dos Bandeirantes sentido São Paulo. Daí pra frente é seguir as placas.

      Um mapa aproximado tá no link abaixo. Só não está muito certa a localização do ponto de destino do link 😛 Mas pode confiar até a entrada da Rod. dos Bandeirantes q é o que interessa 🙂

      Qualquer coisa entra em contato de novo que a gente te ajuda!
      http://maps.google.com/maps?f=d&source=s_d&am

  5. Nada mais posso dizer a não ser que pereço de inveja… rs

  6. Uauuuuu!! Muito legal, Nat!
    Bjs,

  7. Adorei!
    To com mil ideias novamente!
    E que pesquisei de Foz quando peguei a passagem mas depois deixei pra lá…vc ta super me empolgando de novo.
    Bjo

Deixe seu Comentário