Pedrinhas cantando: “’Cause baby there/ Ain’t no mountain high enough/ Ain’t no valley low enough/ Ain’t no river wide enough/ To keep me from getting to you, baby”

A usina de Itaipu, localizada na divisa entre o Brasil e o Paraguai, é considerada a maior hidrelétrica do mundo. Embora a usina que estão construindo na China seja maior em extensão, ela não produzirá tanta energia quando Itaipu. O título continua conosco. 🙂

As chuvas ajudaram.

Auto denominada uma das maravilhas da engenharia moderna, Itaipu apresenta dados monumentais sobre sua construção.  Em sua obra foram utilizadas 200 vezes mais a quantidade de concreto usados na construção do Maracanã. As escavasões equivaleram a 8 Eurotuneis. E usaram 40 vezes mais ferro do que a quantidade aplicada na construção da Torre Eifel. E tanto tempo depois dessa super obra, ainda se enfrenta tamanha dificuldade para construir um trem que ligue Campinas – São Paulo – Rio de Janeiro?  Why? Why? tell ‘em that it’s human nature…

Passeio altamente recomendado para engenheiros de Dubai =D

Em 1972 os operários chegaram em Foz para construir 3 vilas, onde morariam durante os 15 anos que previstos para a construção da hidrelétrica. Depois dessa etapa concluída, começaram as obras  da usina. A última turbina foi acionada em 2007. Itaipu supre 20% da necessidade de energia do Brasil e 100% da do Paraguai. (A usina é bi-nacional, tudo é dividido entre Brasil e Paraguai. Até mesmo o número de funcionários.)

Detalhe: o maior reservatório do Brasil é o de Sobradinho, porém ele não consegue gerar tanta energia como Itaipu, devido sua falta de profundidade. O reservatório de Itaipu possui 140 metros de profundidade. É metro pra mais de metro.

É possível conhecer a hidrelétrica de várias maneiras. Eles oferecem uma infra-estrutura muito bem organizada para receber o turista. Os guias são educados e bem informados.  Reserve o passeio pela internet ou telefône. (0800 645-4645 / fax (45) 3520-6398 / reservas@complexoitaipu.tur.br / http://www.itaipu.gov.br/?q=pt/turismo)

Podemos visitar a usina de duas formas diferentes.

*Visita Panorâmica

Os vertedouros estavam abertos.

É necessário assistir um vídeo institucional dentro do Centro de Visitantes. Esse vídeo apresenta alguns dados que chamam a atenção para todo o projeto de construção e funcionamento de Itaipu. Em seguida, o onibus leva todos os visitantes para o passeio externo. O tour dura aproximadamente uma hora e faz algumas paradas. Esse passeio não deixa dúvidas quanto a gandeza da obra.

Reservando diretamente com o Centro de Visitantes, o valor do ingresso custa R$20.00. Empresas de receptivo cobram no mínimo R$30.00 – sem o ingresso.

*Circuito Especial

Uma das turbinas da usina.

É preciso passar pelas mesmas etapas da Visita Panorâmica. Mas o passeio dura uma hora a mais. Tive que deixar minha mochila trancada em um armário. Pelo menos o ônibus tinha ar condicionado. =P (Fazia uns 35 graus naquele dia.). Também precisei colocar aquele capacete de engenheiro. Isso faz parte da visita monitorada até um das turbinas da usina. É gigantesca – melhor adjetivo para essa obra.

O valor desse ticket completo é de R$37.00. Comprando pelas agência, eles cobram R$300 sem o ingresso. Recomendo fazer a reserva antes. Ela garante seu lugar :). Para esse passeio é necessário usar calça e sapato fechado. #morridecalor

* Iluminação Monumental

É um espetáculo de luzes que reafirma a grandeza de Itaipu.  As vezes o coral da usina também se apresenta. Só é possível assistir essa apresentação as sextas e sábados a noite. Eu só fiz os passeios diurnos em Itaipu, mas a Silvia do Matraqueando conta sua experiência por lá nesse post.

* Refúgio Biológico

Que carinha de medo.

É uma trilha de dificuldade zero. É um passeio informativo e que agrada toda a família. Primeiro fizemos um tour em um trenzinho a lá safari e conhecemos todo o circuito artificial da piracema – uma tentativa de diminuir o impacto dessa ação humana na natureza da região. Em tese funciona muito bem e os biólogos conseguem mensurar quantos peixes por ali passam e se está tudo correndo conforme o planejado durante a piracema.

Depois a caminhanda continuou e o guia nos apresentou informações sobre o reflorestamento, os tipos de árvore, vegetação e até nos mostrou alguns animais da região que vivem presos pois estão em extinsão ou estão feridos.

Uma informação chamou minha atenção. Durante o processo de reflorestamento eles optaram pelo método “em linha”, plantando árvores da mesma espécie em uma linha no mesmo terreno. Essas árvores cresceram muito finas “disputando” o sol, impossibilitando, assim, o crescimento da mata secundária. Outro problema são as pragas. Se um árvore fica doente é perigoso contaminhar todas as outras. Esse tipo de reflorestamento pode trazer vários danos a região. Por isso eles tentam resolver essa confusão toda reflorestando novas áreas com diversos tipo de árvores regionais.

O valor do ingresso é de 18 reais e a duração aproximada da trilha é de 3 horas.

* Ecomuseu

Roda d'água. Impossível não lembrar da tia Daida.

É um museu que complementa tudo aquilo que já foi visto em Itaipu. Possui uma área destinada a arquiologia, animais empalhados, dados sobre a água e sobre a própria usina. Visitamos uma exposição de fotos de um projeto social de Itaipu para formação de jovens fotógrafos e museólogos. Adorei. Essa criançada tem futuro! 😀

O ingresso custa 8 reais. Detalhe: o museu fica fora do complexo de Itaipu. Aberto para visitação até as 17:30.

__

É possível conbinar os 3 passeios em um único dia. É tranquilo e informativo. O almoço é servido no Centro de Visitantes por 15 reais. Se preferir um lanche, o complexo também tem uma lanchonete.

Acredito que seja mais vantajoso reservar todos os passeios direto com a central de reserva de Itaipu e alugar um carro. Pelo menos, você não fica preso aos horários do transfer que sem sempre são tão flexíveis quanto prometem ser. Tranfers e taxis em Foz são especialmente caros. Leve em conta a possibilidade de alugar um carro. Garante mais liberdade .

O impacto de ver as turbinas abertas é grande. A força da água impreciona. O tamanho da construção te fazer sentir pequeno. É um passeio para a família toda.

Empresa ecológica, amiga da natureza… mas alguém aí ouviu falar de impacto ambiental??

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    2 Comentários
  1. Nat o post ficou muito bom mesmo. Demos muita sorte de vermos o vertedouro aberto. Pena que o post não tem som, pois o barulho da água impressiona também!!!
    Não visitar Itaipu em uma viagem até Foz, é deixar de lado algo de extrema importância. Fica como faltando um pedaço da viagem.
    Valeu cada segundo passado lá.
    Impressionante!
    Sônia

Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback