Chegou a hora de dar o serviço sobre Mamirauá.

Se você tiver alguma dúvida além destas aqui, fique à vontade para perguntar na caixa de comentários. Vamos lá.

Onde fica a pousada? A aproximadamente 30 km de Tefé, cidade no estado do Amazonas.

Como se chega na pousada? O trajeto Tefé-pousada leva 1h30 e é feito em uma lancha da própria pousada. O preço deste traslado (e o de volta também) está incluído no valor do seu pacote. Você vai chegar na pousada por volta das 14h e ir embora ao redor das 7h.

Onde fica Tefé? A 500 km de Manaus.

Como chegar em Tefé? Partindo de Manaus, são três formas:

• Barco regional. Tempo de viagem: 2 dias.

• Lancha rápida. Tempo de viagem: 12 horas.

• Avião. Tempo de viagem: 1h20.

Quanto custam as passagens entre Manaus e Tefé?

• Barco regional em rede: R$ 100 por pessoa

• Barco regional em cabine: R$ 400 para duas pessoas

• Lancha rápida: R$ 230 a R$ 253 por pessoa

• Avião: Os preços de passagens aéreas costumam oscilar muito. Se você se adiantar, é capaz de conseguir que o voo seja mais barato do que os barcos, ou pode valer a pena pagar um pouco mais e fazer a viagem de avião.

Atenção: estes valores são apenas referências. Verifique antes de se jogar para Manaus e colocar a culpa em mim.

Quais empresas voam para Tefé? Apenas a Trip. O voo é feito em um ATR 72 moderno, novinho e muitíssimo confortável. Dica: veja se você consegue comprar a passagem com a Trip (ou com a TAM, em acordo com a Trip) direto da sua cidade para Tefé. Você certamente vai fazer escalas/conexões, mas pode valer a pena.

Quais empresas fazem o trajeto Manaus-Tefé-Manaus de barco? O site da Prefeitura de Tefé informa isso, mas você também pode pedir informações e ajuda para o pessoal do Instituto Mamirauá. Eles dão todas as orientações.

É preciso dormir em Tefé? Depende do seu meio de transporte. O traslado Tefé-pousada acontece em dias e horários específicos, que coincidem com os inícios dos pacotes. Então, se você chegar em Tefé antes do começo seu pacote, vai ter que dormir lá, sim.

A mesma coisa pode acontecer se você resolver voltar para Manaus de barco. A chegada do traslado pousada-Tefé é por volta de 8h30 da manhã. Se o seu barco para Manaus já tiver partido, você vai precisar pernoitar em Tefé.

Vale a pena dormir em Tefé? Eu apenas passei por lá, então posso estar sendo injusto. Mas a impressão que eu tive é que não vale a pena, não.

Onde dormir em Tefé? Como eu disse, eu não dormi lá. Porém, meus colegas gringos em Uacari recomendaram muito a pousada Multicultura, que tem algumas parcerias com a própria Uacari.

Como são os pacotes da pousada Uacari? São três tipos: de 3, 4 ou 7 noites. Cada um começa em um dia específico da semana e não é possível chegar antes ou depois.

• Pacote 3 noites: começa todas as sextas-feiras. Você vai chegar na pousada por volta de 14h. A saída de volta para Tefé é na segunda-feira, às 7h.

• Pacote 4 noites: começa todas as segundas-feiras, com os mesmos horários de chegada e saída acima. A saída é na sexta-feira.

• Pacote 7 noites: pode começar na segunda-feira ou na sexta-feira, com os mesmos horários acima. Se sua chegada for na segunda, a saída será na segunda seguinte. O mesmo vale para a sexta-feira.

Quanto custa a pousada Uacari?

• Pacote 3 dias: R$ 1.200 por pessoa

• Pacote 4 dias: R$ 1.450 por pessoa

• Pacote 7 dias: R$ 2.250 por pessoa

(Preços até 30 de junho de 2012. Confirme antes de reservar.)

O que está incluído no valor da pousada?

• Hospedagem

• Traslados Tefé-pousada-Tefé

• Todos os passeios e guias previstos no programa do seu pacote

• Cafés da manhã, almoços e jantares (com suco regionais). Outras bebidas são pagas à parte.

O que eu devo levar de diferente de uma viagem normal?

• Duas calças compridas (para o caso da outra molhar ou ficar embarrada)

• Camisetas que possam ficar imprestáveis de tão suadas e fedidas

• Se você quiser se proteger mais: uma camisa ou camiseta de manga comprida

• Repelente (questão de vida ou morte)

• Protetor solar

• Chapéu

• Dois tênis fechados ou botas confortáveis. Não precisa ser galocha, mas não é ruim, não.

• Câmera fotográfica. Se possível, com um puta zoom, porque os bichos ficam lá longe.

• Binóculos. Fundamental!

• Óculos escuros

• Lanterna

• Capa de chuva! It’s the rainforest, bebê.

Como funciona a energia elétrica por lá? As cabanas têm paineis solares que suprem as necessidades de cada uma. Mas é recomendável não desperdiçar energia durante o dia, para não correr o risco de faltar à noite.

Baterias de câmeras e tal só podem ser carregadas na casa principal da pousada, durante os horários de pico do sol.

Vou morrer comido por mosquitos? A casa é toda telada e as camas têm mosquiteiro. Então, só se você for mongolão o suficiente para deixar seu quarto aberto.

Devo tomar vacinas? É sempre bom tomar vacina contra febre amarela quando você vai para a Amazônia. Já quanto a dengue ou malária, as chances de você ter problemas com elas, naquela região, são muitíssimo pequenas.

É perigoso ficar no meio do mato? Viver é perigoso.

Tem telefone, celular ou internet lá? Não. A comunicação entre a pousada e o mundo é apenas via rádio. Vai ser a sua grande chance de ver a bateria do seu iPhone durar mais de um dia.

O que é servido nas refeições na pousada? No café da manhã, frutas, bolo, pão, queijo, café, leite e suco. No almoço e no jantar, peixes, frango, arroz, salada e algumas coisas diferentes feitas de mandioca.

Mala ou mochila? Tanto faz. Você não vai carregar nenhuma delas, porque o pessoal da pousada vai ajudar nisso.

Alguma dica extra? Um bilhete para Manaus pode, sim, custar mais do que um para a Europa – e isso faz com que muita gente decida não ir para lá. Mas nenhum bilhete para a Europa pode ser comprado com 10 mil milhas (ou menos), nem tem as promoções que às vezes encontramos por aqui. Eu, por exemplo, paguei 500 reais por uma passagem de ida e volta desde Porto Alegre. Então, fique ligado nas promoções das companhias aéreas.

Posts anteriores: Ma-mi-ra-uá e Diário de Mamirauá

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    7 Comentários
  1. Olá! Amando seu blog, viagens realmente interessantes!
    Moro em Tefé e… realmente, não há vantagem em se programar para ficar aqui por um dia a mais que seja.
    Turisticamente falando, claro.
    Mas, no caso de ter que ficar…
    Recomendo as refeições no restaurante do hotel Anilces (que é um self-service muito limpo, coisa rara aqui) e o Stylos, que não abre aos domingos nem no mês de janeiro. Comida boa e barata (um “PF” é tão grande que serve duas a três pessoas e muito melhor que algumas refeições completas de restaurante fresco do nordeste).
    Hotel, é a Multicultura mesmo, porque só eles tem know how turístico aqui. Os outros hotéis são caros e tem serviço péssimo.
    Aliás, se for ficar aqui vale a pena fazer os passeios da própria Multicultura. Fiz um pras Missões, foi maravilhoso. Botos e tal!
    E ter cuidado com as garotas e garotos, para os solteiros (ou não, né). Aqui há muita AIDS.

  2. Gabriel, quando você foi a Mamirauá, você se preocupou com a malária? Você acha que o uso de repelente é suficiente para prevenir?
    Obrigada.

    • Oi, Rafaela. Me preocupei, sim, mas não lembro bem como funciona a prevenção à doença. Tenho uma memória de que o repelente e as telas nos quartos são o suficiente e ajuda também o fato da região de Mamirauá não ser foco de malária na Amazônia. 😉 Se você tiver mais dúvidas, recomendo entrar em contato com o pessoal da pousada. Eles certamente vão dar orientações certeiras. Boa viagem!

  3. adorei seu site !! PARABENS!!
    tenho 65 anos, adoro viagens de turismo ecologico e meu sonho atual é conhecer Mamirauá. A opção de entrar num barco de Manaus a Tefé em trajeto de 2 dias é tentadora pela chance de conhecer o Rio e as populações ribeirinhas mas nao sei se vou aguentar … como são as acomodações ? em redes ? ou seria melhor a lancha rapida ?? como faço para ver as acomodações nesses 2 tipos d etransporte ??.. vc pode me aconselhar ?
    obg

    • Oi, Constança. Obrigado pelo elogio!
      Olha, não fui para Tefé de barco nem de lancha rápida, mas já viajei pela Amazônia de barco regional. Não sei se todos são iguais, mas o meu tinha cabines privativas e redes, você podia escolher a sua forma preferida e pagar por ela. Acredito que os barcos regionais entre Manaus e Tefé tenham essas opções também. Faça uma busca no Google, por “barco Manaus Tefé”, por exemplo.
      Sobre as lanchas rápidas, pelo que consegui ver na época, o interior delas era como em um ônibus, com bancos altos e corredor estreito.
      Boa sorte e boa viagem!

  4. Gabriel, adorei teu post. Sou de POA e eu e meu esposo estamos querendo ir pra lá em janeiro. Como você fez o trajeto de POa até Tefé?

    • Oi, Samantha! Que bom que você gostou! =) Sobre POA-Tefé, eu fiz tudo de avião. Foram passagens separadas: primeiro fui para Manaus, fiquei duas noites lá, depois segui para Tefé. Na volta, passei mais duas noites em Manaus de novo. Acho que agora a Azul faz o trecho Manaus-Tefé. Verifique no site dela. 😉 Boa viagem!

Deixe seu Comentário