O governo inglês até já disse que os falklanders (ou malvinos, vá lá) são livres para decidir se querem ser argentinos ou ingleses.

Como o pessoal não é bobo, obviamente já declarou que não têm a menor intenção de trocar a Elizabeth pela Cristina, muito menos as libras pelos pesos. Mesmo assim, los hermanos, mais uma vez, resolveram engrossar a voz contra os britânicos.

Em homenagem ao mais recente renascimento da picuínha (nesta semana mesmo), saboreie esta edição do Por Que Pra Lá?.

ILHAS FALKLAND/MALVINAS – POR QUE PRA LÁ?

Falkland, o nome inglês, veio da homenagem que um capitão britânico fez ao seu protetor, Visconde de Falkland. Já o nome espanhol/argentino, Malvinas, tem muito mais charme: entre 1701 e 1720, uma penca de navegadores franceses saídos de Saint-Malo (“les malouins”, en Français) aportaram na região, que ficou conhecida como Malouinas. Daí para virar Malvinas foi só trocar “ou” por “v”.

Lindo, não?

Wikimedia Commons

A população local é de míseras 3 mil pessoas, sendo que 80% delas vive em Port Stanley, a capital da região. O resto habita o que eles chamam de “o campo”, que significa as outras 700 ilhas que compõem o arquipélago de 12 mil km2.

O perrengue entre argentinos e ingleses vem de séculos e não vale colocar toda a história aqui. Do que li, deu para deduzir que as ilhas eram formalmente espanholas (e, consequentemente, argentinas depois da independência), mas os ingleses deram uma de João Sem Braço e acabaram tomando tudo numa época em que a região do Prata estava meio bagunçada.

radioher (CC BY-NC-ND 2.0)

Mas enfim, vamos ao que interessa: por que ir para as Ilhas Falkland/Malvinas?

1 – Para tentar entender por que raios argentinos e ingleses brigam tanto pelo arquipélago (além do motivo petrolífero).

2 – Para conhecer um lugar com 400 km de ruas e estradas, mas absolutamente nenhum semáforo.

Phil Gyford (CC BY-NC-ND 2.0)

3 – Por que a NatGeo colocou as Falkland/Malvinas ao lado das ilhas Faroe na lista de ilhas mais interessantes do mundo e publicou que “é um privilegio” visitar o lugar.

4 – Para descobrir porque muitos cruzeiros de expedições turísticas à Antártida incluem o arquipélago no roteiro.

5 – Para conhecer um lugar cujo brasão oficial ostenta uma ovelha.

6 – Para conhecer um lugar que tem ovelha na moeda.

tigerweet (CC BY-NC-ND 2.0)

7 – Para conhecer um lugar com 3 mil habitantes e 700 mil ovelhas.

8 – Para conhecer um lugar com apenas 50 km de estradas pavimentadas.

BR0WSER (CC BY-NC-SA 2.0)

9 – Para voar de Figas – Falkland Islands Government Air Service – a companhia aérea para voos internos.

10 – Para dar um alô para o Brasil direto de uma legítima cabine telefônica inglesa, sem sair da América do Sul.

Liam Q (CC BY-SA 2.0)

11 – Se você curte uma corridinha, para participar da Maratona de Stanley, a “maratona mais meridional do mundo”, segundo a AIMS (Association of International Marathons and Road Races).

12 – Para conhecer um lugar que inclui e divulga “Competição de Jardins” no seu calendário anual de eventos.

13 – Para conhecer um dos melhores lugares do mundo onde observar (e fotografar) vida selvagem.

Ben Tubby (CC BY-NC 2.0)

14 – Para relaxar em praias realmente desertas.

Phil Gyford (CC BY-NC-ND 2.0)

15 – Para dividir praias com pinguins.

matthew_wakeman (CC BY-NC-ND 2.0)

16 – Para conhecer um lugar que se orgulha de ter a igreja anglicana mais meridional do mundo, que ainda tem um monumento com ossos de baleia em frente.

Phil Gyford (CC BY-NC-ND 2.0)

17 – Para conhecer uma ilha onde Charles Darwin passou um tempo, na sua viagem a bordo do Beagle.

18 – Para conhecer um lugar no mundo onde não existem desempregados.

19 – Para conhecer um lugar onde “ler um livro” está entre as atividades turísticas sugeridas. Fale a verdade: isso não é o paraíso para descansar?

20 – Para ler Penguin News, o jornal semanal das Falkland/Malvinas.

21 – Para conhecer um lugar que se considera um país mas tem apenas uma cidade, a capital Port Stanley.

 Veja onde ficar em Port Stanley, no Booking

 

23 – Como você deve ter percebido pelas atividades sugeridas, para passar um tempo em uma das ilhas mais isoladas do mundo. Isso porque nas Falkland/Malvinas só se chega de barco ou com dois voos. Um deles é um voo militar que parte da Inglaterra 6 vezes por mês, com apenas 28 lugares para civis. Outro é um voo semanal da Lan que parte de Punta Arenas, no Chile.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    16 Comentários
  1. Gostaria de fazer uma imersão no idioma inglês, nas Ilhas Malvinas, como fazer?

    • Matos, não sei. Abraço.

  2. O lá caro amigo gostaria de saber sobre emprego qual seria a real possibilidade de arrumar emprego la.E qual seria a fonte de renda do pais

    • Agilberto: não tenho nem ideia. Abraço.

  3. 1 2
Deixe seu Comentário