Hoje é o réveillon persa, mas ele não é chamado de réveillon.

Mohammadali F. (CC BY-NC-SA 2.0)

Também não tem gente de branco, bebedeira, calcinha colorida e essas coisas (talvez até tenha, mas escondido dos olhares públicos).

Ele se chama Nowruz (“novo dia” ou “nova luz”), tem um monte de tradições e existe há 3000 anos, o que levou a Unesco a considerar a festa como Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade.

A data da comemoração é o início da Primavera no hemisfério norte. Um mês antes, os iranianos fazem uma limpeza geral nas suas casas e compram pelo menos algumas roupas novas.

HAMED MASOUMI (CC BY-NC-ND 2.0)

No dia do ano-novo, eles vestem essas roupas e ficam em casa com as famílias. Dizem que, se o encontro familar for bom, o ano vai ser bom. Mas se der baixaria e quebra-pau entre a parentada reunida, o ano vai ser péssimo.

Depois do Nowruz, começam 12 dias de visitas rápidas aos parentes mais velhos, aos outros parentes e aos amigos. Cada visita costuma durar 30 minutos, para dar tempo de ver todo o pessoal.

No 13º dia, as famílias saem para fazer piquenique (coisa que os iranianos adoram fazer o ano inteiro, diga-se de passagem).

Citt (CC BY-NC-ND 2.0)

Além da mesa de comidas, o Nowruz pede uma outra mesa especial, onde vai o Haft Sin, ou “os 7 S” (na primeira foto, lá em cima).

São 7 elementos obrigatórios para o início do ano, todos com iniciais S:

– Sabzeh (um broto de trigo), que simboliza o renascimento;

– Samanu (um pudim de gérmen de trigo), considerado a combinação das substâncias necessárias para se viver;

– Senjed (uma fruta seca de lá), simbolizando o amor e o carinho;

– Sir (alho), para a sabedoria e a cura da medicina;

– Sib (maçã), para garantir saúde e beleza;

– Somaq (um tempero), que simboliza a alvorada e a vitória contra o mal;

– Serkeh (vinagre), simbolizando amadurecimento e paciência.

A tal mesa especial, chamada de Sofreh, também pode ter moedas, ovos coloridos, um limão flutuando em água, um espelho, um peixe vermelho, velas e alguma flor – de preferência o jacinto.

O Nowruz é tão festejado e tão importante no Irã que o Lonely Planet recomenda fortemente: se você for para o país durante o período das comemorações, reserve tudo com a maior das antecedências, porque o pessoal local viaja enlouquecidamente e os hoteis, voos, ônibus e trens constumam ficar lotados.

A mesma recomendação é dada para quem pretende fazer seu visto nas embaixadas iranianas ao redor do mundo. Elas costumam fazer o feriadão junto com os conterrâneos, o que pode atrasar os trabalhos em vários dias.

Dito isso, feliz Nowruz para você.

*****

Leia também os outros posts sobre a viagem ao Irã

ANTES DA VIAGEM (estudos e preparativos):

– Se você pensa que iraniano é árabe

– Nem tudo é burca

– Muito prazer, Ferdowsi

– O paraíso é persa

– Arg-e Bam, um tesouro quase perdido

– O heroi americano do Irã

– Temperada com milênios de história (ATUALIZADO DEPOIS DA VIAGEM)

– Vou-me embora pro Irã

– O visto iraniano e uma historinha

– Todos os iranianos do Irã

– Os judeus do Irã

DEPOIS DA VIAGEM:

– Irã – Prologo

– O país mais injustiçado do mundo

– O Irã numa casca de pistache

– Teerã: é amor?

*****

Assine o Gabriel Quer Viajar. A partir de R$ 2,50 por mês (ou seja: quase nada), você ajuda o blog a ter um ano excelente, cheio de posts legais como este. Clique aqui para saber mais.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    3 Comentários
  1. adoro essas pitadas de cultura que você compartilha! Feliz Nowruz!

  2. Feliz Nowruz pra vc também!!!

  3. Feliz Nowruz, pois! 😉

Deixe seu Comentário