A primeira vez que eu olhei para a Mongólia como um destino de viagem foi assistindo a um episódio do Planeta Solitário, programa que passava no falecido canal People+Arts, apresentado pelo meu heroi Ian Wright, há uns 450 anos.

All rights reserved by Egonf

Lembro do Ian chegando em uma cidade que parecia deserta, a capital Ulan-Bator, carinhosamente chamada de UB (“u-bê”) pelos locais.

A cidade era uma bela porcaria, só lembro de uns prédios velhos, com aquele estilão comunista. Mesmo assim, me apaixonei na hora. Vai entender.

Ssppeeeeddyy (CC BY-SA 2.0)

Aos poucos descobri que a Mongólia tem muito mais atrações do que apenas aquela capital com nome estranho. Uma delas é o significado do nome do país. Segundo minhas pesquisas, existem algumas possibilidades para ele:

– Mongólia vem da palavra “mong”, que significa “intrépido” em alguma língua local. Então seria “a terra dos intrépidos”.

– Vem do nome de uma tribo chamada Hmong, que significa “gente livre”, o que dá ao país o nome de “terra da gente livre”.

– Significa “centro do mundo”, segundo os próprios mongois, o que dá a eles o título de “gaúchos da Ásia”.

Desde os primeiros habitantes da região (lá por 400 a.C.), a Mongólia era mais ou menos como a casa da Mãe Joana. Todo mundo invadia, tomava conta, arranjava briga com os vizinhos e desaparecia.

Foi mais ou menos assim até que Gêngis Khan assumiu o poder e colocou ordem no boteco, unificando as várias tribos nômades que viviam na região e iniciando o temível e poderosíssimo Império Mongol. Olha o tamanho que ele alcançou:

Isso era lá por 1200. d.C.

Com a morte do grande líder, o caos voltou a reinar, o país foi dividido em vários clãs, os chineses invadiram, os russos correram os chineses e, em 11 de julho de 1921, a Mongólia foi oficialmente declarada e reconhecida como um país independente, apesar de viver sob as asas soviéticas até o fim da URSS.

Hoje, a bandeira mongol é essa aqui embaixo (o símbolo estranho em amarelo representa o fogo, o sol, a lua, a terra, a água e o yin-yang).

Mas vamos ao que interessa: por que passar férias na Mongólia?

1) Porque é a terra do Gêngis Khan, ora, bolas. O cara foi um dos maiores líderes e conquistadores da humanidade e construiu o maior império contínuo da história. Só pisar na terra dele já vale a viagem.

Ludovic Hirlimann (CC BY-SA 2.0)

2) Para encontrar um descendente de Gêngis Khan (estudos indicam que 1 em cada 3 mongois é descendente dele).

All rights reserved by Egonf

3) Para conhecer Karakorum, a antiga capital do império mongol de Gêngis Khan (que foi destruída pelos chineses. Não sobrou muita coisa).

M.Angel Herrero (CC BY-NC-SA 2.0)

M.Angel Herrero (CC BY-NC-SA 2.0)

4) Para conhecer o país com a menor densidade demográfica do mundo: são apenas 1,7 pessoas por km2 (no Brasil são 23).

United Nations Photo (CC BY-NC-ND 2.0)

5) Se você for apaixonado por cavalos, para conhecer um país onde o quadrúpede é o animal mais querido e mais importante. Segundo um provérbio local: “Um mongol sem um cavalo é como um pássaro sem asas”.

kptice (CC BY-NC-SA 2.0)

6) Para ir no inverno e experimentar uma das top capitais mais geladas do mundo (dizem até que é a mais gelada). A temperatura máxima média no inverno, em Ulan-Bator, é de -16ºC. (Na foto abaixo, a Praça Sükhbaatar, em Ulan-Bator.)

Mr Rob Mills (CC BY-NC-SA 2.0)

 

Veja onde ficar em Ulan-Bator • 

 

7) Para conhecer um dos poucos países realmente democráticos na Ásia, ao lado de Japão e Coreia do Sul.

8) Para dormir em um ger, aquelas barracas onde os nômades locais vivem há milhares de anos. Eles são de feltro, com armacao de madeira e cobertos com uma lona branca, com uma chaminé bem no centro. No verão, a parte de baixo da lona é levantada, deixando o lugar ventilado.

Juho Galle (CC BY-NC-ND 2.0)

United Nations Photo (CC BY-NC-ND 2.0)

9) Porque dizem que as estepes pontilhadas de gers parecem “pérolas brancas sobre um tecido verde”.

marches-lointaines.com (CC BY-NC-SA 2.0)

canorus (CC BY 2.0)

10) Para conhecer a hospitalidade mongol.

chrisdebruyn. (CC BY-NC-SA 2.0)

11) Para aprender a gritar “nokhoi khorio!” quando estiver se aproximando de um ger e os cachorros do proprietário estiverem correndo em sua direção. A expressão significa “segure os cachorros” e dizem que é básica para a sobrevivência no interior do país, já que todos os gers são guardados por cães nada amistosos.

All rights reserved by Egonf

12) Para experimentar airag, uma bebida levemente alcoólica feita com leite de égua fermentado. Delícia.

neurmadic aesthetic (CC BY-SA 2.0)

13) Para conhecer o deserto de Gobi, do tamanho do estado do Amazonas, um dos mais quentes do mundo.

All rights reserved by Egonf

All rights reserved by Egonf

14) Para encontrar gelo no meio de um dos desertos mais quentes do mundo. Gobi tem cânions cuja base não pega sol nunca. Então o gelo do inverno (sim, neva lá) não derrete no verão.

All rights reserved by Egonf

15) Para tropeçar num fóssil de dinossauro enquanto estiver no deserto de Gobi. O local é considerado um dos maiores sítios paleontológicos do mundo. Dizem que tem fósseis a céu aberto.

16) Para tomar uma tempestade (provavelmente de areia) quando estiver no deserto de Gobi.

lupus83 (CC BY-NC-ND 2.0)

17) Para ver de perto as dunas mais fantásticas do país, as Khongoryn Els, classificadas pelo Lonely Planet como um dos cinco melhores lugares do mundo para você ficar sozinho e longe de outros humanóides.

All rights reserved by Egonf

18) Para se borrar todo quando o vento começar a soprar sobre Khongoryn Els e dar início às “duut mankhan” (dunas que cantam), um som fantasmagórico que acontece no local.

19) Para mergulhar no lago Khovsgol Nuur, enquanto acampa por suas paisagens lindas (ele é considerado a melhor atração do país, pelo Lonely Planet).

All rights reserved by Egonf

All rights reserved by Egonf

All rights reserved by Egonf

20) Para conhecer parque Gurvan Saikhan, um lugar onde você pode encontrar desde camelos até leopardos-das-neves.

Adagio (CC BY-SA 3.0)

21) Para ver o festival Naadam, o maior e mais tradicional do país, com aproximadamente 2 mil anos de história, onde os mongois se enfrentam em corridas de cavalos, torneios de arco-e-flecha e lutas de bokh (que parece uma luta greco-romana).

All rights reserved by Egonf

All rights reserved by Egonf

All rights reserved by Egonf

22) Porque de lá você pode engatar uma viagem de trem pela Trans-siberiana para Moscou. São duas viagens de sonho em uma só.

ubiquity_zh (CC BY-NC 2.0)

muskva (CC BY-NC-SA 2.0)

23) Porque é impossível não querer ir para lá depois de ler os relatos do meu outro heroi e amigo Egon Filter e ver as fotos no site dele (muitas já estão nesse post).

A Mongólia pode ter uma densidade demográfica ridículamente pequena, mas tem uma densidade turística gigantesca.

Veja onde ficar em vários lugares da Mongólia

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    16 Comentários
  1. Sou gaúcho e ri muito sobre a tua observação sobre um dos significados de mongólia- Significa “centro do mundo”, segundo os próprios mongois, o que dá a eles o título de “gaúchos da Ásia”. Parabéns pelo blog. abraço!

  2. Para quem gostou do seriado do Netflix Marco Polo, o assunto Mongólia voltou à tona. Bem bacana o post.

  3. Gabriel!
    Que post fantástico, vc é muito engraçado! E que coincidência, comecei a ser fã da Mongólia há uns 450 anos com um programa do falecido People and arts (não se fazem mais canais como esses rs..) mas acho que era um diferente, que uma família ia para lá.
    Fiquei babando de ir pra lá com suas histórias. Obrigada por contar!
    Abs

  4. Vou começar a organizar essa viagem! Obrigada por tantas dicas! 😉

  5. 1 2
Deixe seu Comentário