Se você está planejando sua primeira viagem ao Peru, certamente incluiu Machu Picchu em seu roteiro, afinal é um dos lugares mais emocionantes das américas, se não do mundo. Depois de decidir se você vai visitar Lima, ou fazer apenas uma parada estratégica por lá, se você vai visitar o Valle Sagrado perto de Cusco ou se quer ir apenas a Machu Picchu e voltar, é chegada a hora de pensar em como ir para Machu Picchu.

Veja estes posts se você quiser saber qual é a melhor época para visitar Machu Picchu ou quantos dias são necessários para visitar Cusco e o Valle Sagrado. Aposto que eles vão lhe ajudar bastante 🙂

Machu Picchu e a montanha de Huayna Picchu ao fundo

A partir de Cusco, quais são as opções para ir a Machu Picchu?

Índice

Nós queríamos que este post ficasse o mais completo possível e, por causa disso, o post ficou bem grandinho (e completíssimo :D). Sendo assim, resolvi fazer um índice para as partes mais importantes do post para que você possa ir diretamente a elas quando precisar de alguma informação específica 😉

Como ir para Machu Picchu

Resumo dos passos para ir para Machu Picchu

Estações de trem para Machu Picchu

Quais são os melhores horários para ir para Machu Picchu?

Como ir de Aguas Calientes até Machu Picchu?

Como voltar de Poroy para Cusco?

Como voltar de Ollantaytambo para Cusco?

Como comprar a passagem de trem para ir para Machu Picchu?

Você prefere comprar um pacote/excursão?

Você prefere fazer tudo por conta própria?

Com uma agência de viagens

Direto no site da Peru Rail

Formas de pagamento

Onde há lojas da Peru Rail?

Dúvidas sobre o Verified by Visa e SecureCode Mastercard

Como comprar o ingresso para Machu Picchu

Como ir para Machu Picchu?

O único meio de transporte até Machu Picchu, ou melhor, até Aguas Calientes, para os turistas é o trem. Quem não se lembra do grande transtorno que um desmoronamento na linha do trem entre Cusco e Aguas Calientes causou no início de 2010? Até existem umas vans clandestinas muito sinistras que podem lhe levar até lá também, mas NÃO recomendo de maneira nenhuma! Depois de ver como são os ônibus oficiais no Peru, você não vai querer nem imaginar como são os clandestinos >.<

Resumo dos passos para ir para Machu Picchu:

1) Pegar o trem até Aguas Calientes, povoado na base de Machu Picchu, a partir de Cusco, Ollantaytambo (Valle Sagrado/Sacred Valey) ou Urubamba.

2) Pegar a van de Aguas Calientes até a entrada de Machu Picchu e depois para voltar até a cidade.

3) Pegar o trem de volta para Cusco ou Ollantaytambo.

Claro que você pode escolher dormir ou não em Aguas Calientes, seja antes ou depois de visitar Machu Picchu. Eu indico dormir na cidade uma noite antes de ir para Machu Picchu para aproveitar melhor o dia da visita.

Peru Rail é a empresa que administra os trens de turistas entre Cusco e as cidades do Valle Sagrado até Aguas Calientes, povoado que fica à base de Machu Picchu.

Estações de trem para Machu Picchu:

Você pode ir para Machu Picchu a partir de três estações:

  • Poroy: Cidade que fica a 20 minutos de Cusco, é o atual ponto de partida para Machu Picchu de quem está na cidade. O táxi de Cusco até Poroy custa em torno de 8 dólares.
  • Ollantaytambo: Uma das cidades mais visitada do Valle Sagrado. É de onde normalmente saem as pessoas que vão passar a noite em Aguas Calientes. No site da Peru Rail, a estação também é chamada de Valle Sagrado/Sacred Valley.
  • Urubamba: Fica fora do circuito normal de trens de turistas para Machu Picchu. Quando se pega o trem a partir de Poroy/Cusco, ele não passa em Urubamba.

O caminho mais comum para os turistas é pegar o trem saindo de Cusco/Poroy em direção a Machu Picchu, mas, dependendo da organização da viagem, sair de Ollantaytambo, ou mesmo de Urubamba pode ser mais interessante. Explico mais detalhes no restante do texto.

Como ir para Machu Picchu - Mapa das linhas da Peru Rail

Tipos de trens disponíveis para ir para Machu Picchu:

  • Hiram Bingham: Este é o trem de luxo da Orient Express, mesma dona do Hotel Sanctuary Lodge que fica na entrada de Machu Picchu. Ele é mais confortável e cheio de extras para quem comprar o ticket. Só não sei se vale assim a pena pela grande diferença de preço. Imagino que pegar este trem faz mais sentido para as pessoas que irão se hospedar no Sanctuary Lodge. Inevitavelmente você terá de se hospedar em Aguas Calientes se quiser conhecer Machu Picchu direito, pois o trem chega depois do meio dia na cidade.
  • Vistadome e Expedition: Esses são os trens mais comuns e eu não vi muita diferença entre eles além das poltronas um pouco mais confortáveis do Vistadome. Ambos têm as mesmas janelas “panorâmicas”, mas o Expedition é um pouquinho mais barato. Os horários também são parecidos, então qualquer um deles está valendo 🙂
  • Autovagon: De acordo com a Peru Rail, este é o trem que sai de Urubamba até Machu Picchu. Não tem as janelas panorâmicas do Vistadome e Expedition e parece ser menorzinho. Não é a opção mais usada, pois o caminho Urubamba > Machu Picchu não é tão comum.

Qual trem escolher?

Aquele que tenha o melhor horário 😉

Se houver várias opções em bons horários, eu recomendo o Expedition ou Vistadome. O Hiram Bingham é muito mais caro (para se ter ideia ele custa mais de 300 dólares enquanto os outros estão entre 70 e 50 dólares) e eu só o recomendaria para quem está indo se hospedar no Hotel Sanctuary Lodge ou para quem quer mais conforto e mimos 😛 Se você está imaginando como é andar no Hiram Bingham, veja este post da Patrícia do Turomaquia 🙂

Nós fomos e voltamos de Expedition e achamos bem legal. Tinha até Inca Kola de graça 😛 Já o Vistadome tem a cadeira um pouco melhor, mas é só.

Como ir para Machu Picchu - Trem ExpeditionComo ir para Machu Picchu - Estação de Aguas Calientes

Quais são os melhores horários para ir para Machu Picchu?

Os melhores horários para quem quer ir para Machu Picchu e voltar no mesmo dia são os que chegam em Aguas Calientes antes das 10 da manhã, isso porque chegar depois desse horário pode deixar a visita a Machu Picchu bem prejudicada e impossibilita que se visite o pico Huayna Picchu. Para falar a verdade, acho que chegar nesse horário já é ter a visita ao parque prejudicada 🙁

Para quem vai dormir em Aguas Calientes para subir na primeira leva de vans a Machu Picchu, chegar em Aguas Calientes no fim da tarde ou início da noite é a melhor opção, principalmente se vindo de Ollantaytambo, pois assim você pode aproveitar um pouco mais do Valle Sagrado antes de ir para o ponto alto da sua viagem: Machu Picchu 😛

Já a volta é mais interessante ir direto para Cusco. Se você for visitar as outras cidades do Valle Sagrado, tente organizar sua viagem de modo que você visite-as antes de ir para Machu Picchu. Assim, sua viagem fica numa crescente constante de animação, culminando em Machu Picchu e a volta fica mais tranquila indo direto para Cusco 🙂

Como ir para Machu Picchu - Horários dos trens saindo de Cusco

Como ir para Machu Picchu - Horários dos trens saindo de Ollantaytambo/Valle Sagrado

IDA

Cusco/Poroy > Machu Picchu

Vistadome

Horário de partida: 6:40

Horário de chegada: 9:52

Duração média: 4h

Valor: 92 dólares

Ollantaytambo > Machu Picchu

Vistadome

Horário de partida: 15:37

Horário de chegada: 17:02

Duração média: 2h

Valor: 64 dólares

 

Expedition

Horário de partida: 19:00

Horário de chegada: 20:43

Duração média: 2h

Valor: 84 dólares

VOLTA

Machu Picchu > Cusco/Poroy

Expedition

Horário de partida: 16:43

Horário de chegada: 20:13

Duração média: 4h

Valor: 62 dólares

Vistadome

Horário de partida: 17:23

Horário de chegada: 20:40

Duração: 4h

Valor: 117 dólares

Não reparem na diferença entre a duração e o tempo previsto de chegada. Os trens atrasam mesmo :/

Valores atualizados 13/07/2015. Podem haver grandes variações nos preços dos trens dependendo da época, horário e tipo de trem. Por isso é sempre bom olhar no site da Peru Rail ou Inca Rail para confirmar.

Dica: A Suzana deixou uma super dica para compra das passagens de trem ida e volta mais baratas, indo por Ollantaytambo e voltando por Poroy. Basta escolher a opção de ida e volta por Ollanta que irão aparecer trens com destino a Poroy (se houverem vagas). Ela também disse que conseguiu pagar com PayPal para não ter problema com o Verified by Visa 😀 Obrigado, Suzana

Como ir de Aguas Calientes até Machu Picchu?

Você chegou em Aguas Calientes \o/ Falta saber como fazer para subir até Machu Picchu, não é mesmo?

Se você gostar de trecking e estiver bem animado, pode subir a montanha a pé 😛 Mas se você for uma pessoa comum, pegue a van que fica praticamente em frente à estação de trem e suba até Machu Picchu.

A subida de van de Aguas Calientes até a entrada de Machu Picchu leva aproximadamente 20 minutos, mais o tempo que você ficar na fila. O passe de ida e volta (subida y bajada) custa 24 dólares (atualizado 26/09/2016). Se você não tiver o passe da van quando chegar no ponto, não se preocupe, você pode comprá-lo ali mesmo na hora.

Eu recomendo que você compre os passes o quanto antes, até mesmo no dia anterior, para evitar ter de pegar mais essa fila 😉

Como comprar a passagem de van pela internet

O Fernando deixou um comentário dizendo que é possível comprar as passagens da van de Aguas Calientes para Machu Picchu pela internet. Obrigado, Fernando! 😀

Sem me alongar muito, você entra no site da Consettur, escolhe a data e preenche os dados que pedem. Depois, realiza o pagamento com cartão de crédito (e aqui temos o mesmo problema do Verified By Visa de sempre) e imprime o ticket. Uma mão na roda para quem está indo sozinho para Machu Picchu. Outra vantagem é que essas passagens não acabam, então pode deixar para comprar mais perto da viagem se quiser.

Ah, se você contratou alguma agência de viagem do Peru para fazer o passeio em Machu Picchu, talvez eles já tenham incluído essa passagem, por isso confira com eles antes de comprar.

Como ir para Machu Picchu - Preço das vans

Quer um conselho? Segure-se no banco. Os motoristas às vezes acham que estão num rally… Pule para 1:10 do vídeo para entender como me senti na van o.O

Como voltar de Poroy para Cusco?

Como eu expliquei lá em cima, o trem para Aguas Calientes não sai mais de Cusco, mas sim de Poroy, uma cidade a 20 minutos de Cusco. E, se você saiu de Aguas Calientes no trem próximo das 17h, você só chegará em Poroy às 20-20:30h.

Pegar táxi é bem comum, pois eles estão sempre esperando os turistas, e custam em torno de 8 dólares até Cusco, mas há um porém. Os táxis geralmente não são suficientes para todos os turistas e você pode acabar tendo de ficar esperando por um bom tempo até que chegue a sua vez.

Uma opção é conversar com seu hotel de Cusco para ver se ele não indica um taxista de confiança para esperar por você em Poroy ou até mesmo um serviço de van que você possa contratar e dividir com outras pessoas. Nenhuma dessas opções deve custar muito acima dos 8-15 dólares.

Como voltar de Ollantaytambo para Cusco?

Muitos leitores têm tido dificuldades para comprar a volta de Aguas Calientes/Machu Picchu até Poroy/Cusco, por isso algumas delas acabam pegando o trem até Ollantaytambo.

Como a Walma disse aqui nos comentários, a volta é da mesma forma que Poroy, isto é, você pode pegar uma van (10 soles por pessoa) ou um táxi (60 soles por carro) e eles ficam lá até o último trem passar.

Outra opção, indicada por vários leitores por aqui, é dormir uma noite em Ollantaytambo em vez de voltar para Cusco. Segundo eles a cidade de noite fica linda 🙂 Se esta é sua opção, confira as dicas de hospedagem aqui neste post:

Onde ficar em Cusco, Machu Picchu e Valle Sagrado?

Como comprar a passagem de trem para ir para Machu Picchu?

Turistas geralmente vão para Machu Picchu de duas maneiras: empacotado/excursão ou por conta.

Você prefere comprar um pacote/excursão?

Se você optar sair do Brasil com um pacote ou excursão organizado por agências de viagem, mesmo que peruanas, então seu ticket de trem até Machu Picchu muito provavelmente já estará incluso.

De qualquer forma, releia seu contrato para ter ter certeza de que o trem para ir para Machu Picchu e outros transfers que se façam necessários já estão inclusos.

Aqui eu faço um parêntesis.

Excursões e grupos geralmente saem de Cusco para ir a Machu Picchu num dia e voltam no mesmo dia. Eu não gosto dessa opção, pois é tudo muito corrido por causa do horário dos trens.

Os trens saindo de Cusco, ou melhor Poroy, chegam em Aguas Calientes pouco antes das 10 da manhã e você só chegará a Machu Picchu perto das 11 da manhã. Além disso, a volta será próxima às 17h, ou seja, você terá apenas 6h para visitar Machu Picchu. Pode parecer muito tempo, mas não é 😉 Além disso, mesmo que você corra bastante e dê sorte de não haver nenhum atraso, dificilmente conseguirá visitar Huayna Picchu.

Meu conselho é dormir em Aguas Calientes na ida para poder pegar a van até Machu Picchu bem cedo (5 da matina de preferência), aproveitar o parque com calma e poder ver o nascer do sol e tirar fotos sem as hordas de turistas que chegam no trem das 10 😉

Mesmo que sua opção seja ir empacotado, esta parte também pode lhe ajudar a saber o que esperar pela frente.

Você prefere fazer tudo por conta própria?

Se esta é a sua opção, então tenha em mente que você poderá ter um pouco mais de trabalho, mas em compensação poderá fazer tudo do jeito que quer e ainda economizar uns merréis 😉

IMPORTANTE:

Compre a passagem de trem com bastante antecedência, pois as operadoras do mundo todo bloqueiam sempre os melhores horários. Mas não priemos cânico, mais abaixo explico uma manha que aprendi caso você tenha deixado para a última hora e esteja preocupado em ficar sem trem.

Com uma agência de viagens:

Essa seria a maneira mais fácil, se as operadoras quisessem vender somente a passagem de trem 🙁 Pouquíssimas operadoras fazem apenas essa venda, pois algumas delas querem sempre lhe empurrar o pacote inteiro para Machu Picchu. Para se ter ideia, quando viajamos em Outubro de 2011, o pacote de um dia saindo de Cusco indo a Machu Picchu e voltando para Cusco custava 350 dólares em várias das agências que pesquisamos, enquanto as passagens de trem, do ônibus em Aguas Calientes e da entrada de Machu Picchu custavam pouco mais da metade desse valor se comprados por conta.

Os valores mais baratos para esses três itens são (atualizado 18/02/2014):

  • Trem ida e volta Cusco-Machu Picchu na Peru Rail: 142USD
  • Ônibus ida e volta de Aguas Calientes até Machu Picchu: 18 USD
  • Entrada de Machu Picchu: 45 – 55 USD
  • TOTAL: 205 – 215 USD

Claro que, dependendo do que é oferecido pela agência (transfers, guias e outras comodidades), a diferença do valor cobrado por elas e o comprado por conta pode se diluir e até valer a pena pelo fato de não ter o trabalho de fazer tudo sozinho.

IMPORTANTE:

Se você não conseguir encontrar nenhuma agência brasileira que venda somente as passagens, mas conseguir encontrar uma agência de viagem do Peru que o faça, tenha os seguintes cuidados:

  • Confira o preço da agência com o preço oficial do trem pelo site da Peru Rail e decida se vale a pena pagar a diferença.
  • Pesquise primeiro nas agências do Peru que são cadastradas no IPeru, o site oficial de informações turísticas. Isso não é garantia de muita coisa, mas pelo menos as agências que estão ali estão registradas de alguma forma “oficial”.
  • Tome cuidado com transferências de valores integrais para agências ou pessoas no Peru das quais você não tenha referência.

Como comprar as passagens de trem não é assim tão complicado, retomarei este assunto sobre as agências no próximo post 😉

Veja as agências peruanas que nós e nossos leitores usaram em suas viagens.

Direto no site da Peru Rail:

Sinceramente? Esta é a melhor e mais econômica maneira de comprar a passagem de trem para ir para Machu Picchu na minha humilde opinião. Comprar numa agência brasileira ou um pacote completo pode ser até mais cômodo, mas não é mais econômico 😉 A vantagem das agências é você poder já comprar o passe para entrar em Machu Picchu junto com o trem. Claro que essa “comodidade” tem seu preço >.<

Como ir para Machu Picchu - Site Peru Rail

O site da Peru Rail é simples e, apesar de estar apenas em inglês ou espanhol, você não terá maiores dificuldades para usá-lo. Nada que você já não tenha visto em outros sites de reservas 😉

Como ir para Machu Picchu - Iniciando a pesquisa

Escolha entre comprar a passagem de ida e volta (roundtrip) ou somente de ida. A não ser que você vá ficar em Aguas Calientes sem data para voltar, compre as duas passagens de uma vez e garanta seu lugar nos trens.

O próximo passo é escolher para onde você quer ir (Machu Picchu, claro :D), a partir de qual estação (Routes/Rutas), a data de ida e de volta e quantas pessoas vão. Clique em Search Now/Buscar Ahora para ver quais os horários e preços dos trens disponíveis para aquelas datas. Se algum trem/horário estiver escrito “No Availability”, significa que o trem está cheio ou que não há lugares suficientes para o número de pessoas que você colocou.

Como ir para Machu Picchu - trens disponíveis

A tela seguinte mostrará os trens existentes para aquela rota e seus preços. Escolha os trens que você quer e clique em continuar.

Como ir para Machu Picchu - Resumo da compra

Reveja os dados das passagens e confirme o preço final a ser pago. Aqui também há uma informação dizendo que apenas cartões de crédito Visa e Mastercard são aceitos. Já, já eu falo sobre as formas de pagamento.

Como ir para Machu Picchu - Dados do passageiro

Como ir para Machu Picchu - Resumo da compra

Todas as passagens são nominais e, por isso, você terá de entrar com os dados de todos os passageiros para os quais você está comprando a passagem. Uma vez que houver entrado com todos os dados, aparecerá uma tela para você confirmar mais uma vez se está tudo correto e aceitar as condições da Peru Rail.

Formas de pagamento

Você pode pagar online com cartões Visa ou Mastercard, mas no Peru as transações online estão meio complicadas, então a dica é seguir esses 3 passos, do mais fácil ao mais difícil caso o que você tentar não funcionar.

Como ir para Machu Picchu - formas de pagamento

 

Modo fácil: Escolha entre Visa ou Mastercard, entre os detalhes do seu cartão, pague e receba um email com o seu ticket e o código deste para que você possa imprimir o arquivo anexo ou entrar no site da Peru Rail para pegar o seu ticket a partir do código de reserva.

Modo mais ou menos: Se houver algum problema na transação acima, uma mensagem de erro aparecerá, provavelmente explicando que seu cartão não é “Verified by Visa” ou não tem o “SecureCode da Mastercard” (calma, calma, já explico :P). Se isso acontecer, espere um ou dois dias, pois é bem possível que você receba um email da Peru Rail nesse meio tempo informando do ocorrido e com novas instruções para pagamento como mostra o leitor Mendoça Júnior em seu comentário lá no Viaje na Viagem. O email que ele recebeu da Peru Rail com as novas instruções são basicamente as mesmas do Modo difícil,:P Se por um acaso o email não chegar em 2 dias, parta direto para o Modo difícil.

Modo difícil: Se você tentou comprar pela Internet, mas não conseguiu e também não recebeu o email com as novas instruções como o Mendoça Júnior, eu aconselho a entrar em contato direto pelo Call Center da Peru Rail (por telefone ou por email) e fazer sua reserva. Se puder fazer por telefone (em inglês ou espanhol) é melhor, pois você garante uma resposta mais rápida e já sabe se há lugares nos trens. Já por email é um pouco mais demorado, mas tem a vantagem de você poder escrever em português e torcer para que eles entendam. Neste caso, tente deixar os nomes, horários e números dos trens de forma clara para que eles entendam o que você quer. A Peru Rail tem gente trabalhando 24h durante a semana e durante boa parte do dia nos fins de semana e feriados, então é provável que você receba a resposta do seu email em 1 dia.

Se você recebeu o email como o Mendoça Júnior, então sua reserva já está feita, falta pagar 😉

Uma vez que a reserva está feita, você receberá um email com os dados da sua reserva e instruções de pagamento, que incluem cópias do seu cartão de crédito, documento de identidade e passaporte de quem está fazendo a compra, além dos dados dos outros passageiros. Clique nas imagens abaixo para ver o email que eu recebi quando fiz uma reserva por telefone para nossa viagem em Outubro do ano passado:

 

Como ir para Machu Picchu - Email recebido da Peru RailComo ir para Machu Picchu - Documento para pagamento

Note que no meu caso, eu tinha até 15 dias antes da viagem para pagar a reserva, ou seja, você tem sua reserva garantida até lá. Após esse período, as reservas voltam para o sistema. Note que esse prazo parece que aumentou para 30 dias pelo que o Mendoça Júnior disse, então fique atento ao prazo no email que você receberá pedindo os detalhes de pagamento.

Onde há lojas da Peru Rail?

Se você não conseguir comprar pela Internet ou pelo Call Center, ainda pode tentar e arriscar comprar as passagens de trens diretamente nas lojas da Peru Rail.

De acordo com o site deles, há duas lojas em Lima: uma no Shopping Larcomar e outra no aeroporto internacional. Há também uma loja em Cusco na Plaza de Armas e eu lembro de ter visto um guichê deles na estação de Ollantaytambo, mas ela estava fechada no dia. As lojas de Lima e de Cusco abrem todos os dias em horário comercial local.

DICA:

Sempre tente reservar os trens com meses de antecedência, pois as agências sempre bloqueiam muitos lugares nos principais trens. Mas não se desespere caso não consiga achar nenhum lugar nos trens que você quer. Ainda há esperanças.

Lembra ali em cima quando eu disse que há uma validade para a reserva? Então, as reservas caem de volta ao sistema entre 15 e 30 dias antes da data marcada de viagem. Isso significa que todas as passagens que foram reservadas para uma data, voltarão ao sistema 1 mês antes daquela data. Sendo assim, as passagens reservadas pelas agências, mas que não foram vendidas, estarão novamente disponíveis e você poderá comprá-las. É arriscado, claro, mas é uma opção para quem deixou para a última hora ou não conseguiu achar um horário bom do trem.

Dúvidas sobre o Verified by Visa e SecureCode Mastercard

Este é um assunto muito controverso e bastante discutido. O blog Dividindo a Bagagem da querida Lu Malheiros tem várias discussões sobre isso.

Deixo aqui as informações que achei durante a extensa pesquisa que fiz sobre o assunto.

Como ir para Machu Picchu - Verified by VisaComo ir para Machu Picchu - SecureCode Mastercard

O Verified by Visa e o SecureCode Mastercard são duas maneiras de adicionar mais segurança nas compras online e funciona assim:

O banco emissor do seu cartão  faz uma parceria com a Visa ou Mastercard e permite que você se cadastre nesses programas. Ao se cadastrar através do seu banco, você cria uma senha específica para ser usada em compras online em sites que utilizem esse sistema. Quando você faz uma compra nesses sites, você é redirecionado a um site específico do seu banco para que você possa entrar com a sua senha e, só então, seu banco aprova o pagamento. É basicamente como se você estivesse fazendo uma compra no crédito nas maquininhas das lojas aqui do Brasil.

Até aí tudo bem, é uma segurança a mais e tal, o problema é que não é todo banco que tem esse sistema Verified by Visa ou SecureCode Mastercard e eu nunca fui informado pelos meus bancos sobre esse sistema. Além disso, eu nunca vi sites fora do Peru que exigissem essa segurança extra.

Então por que no Peru estão exigindo isso para as compras online? Elementar, meu caro leitor (ou não tão elementar assim). Está havendo no Peru muitos problemas com clonagem e falsificação de cartões, por isso estão exigindo esses sistemas mais seguros de compra. O problema é que isso acaba atrapalhando bastante os turistas estrangeiros que não estão cadastrados nesse sistema.

Para piorar as coisas, às vezes, sabe-se Deus porquê, você consegue fazer uma compra nesses sites com cartões que não têm o “Verified by Visa”, mesmo que o site diga que é obrigatório. Por isso toda essa confusão.

Por sorte, no caso da Peru Rail, isso é facilmente contornável e eles mesmos já detectam quando isso acontece e lhe enviam o email com as novas instruções de pagamento 🙂 Você também pode tentar a mesma técnica deste post que descobrimos funcionar muito bem para a compra de tickets para Machu Picchu:

Dica infalível para comprar a entrada de Machu Picchu por conta própria

Como comprar ingressos para Machu Picchu

Este é assunto para os super posts:

Ingressos para Machu Picchu: Como comprar e possíveis dúvidas

Dica infalível para comprar a entrada de Machu Picchu por conta própria

Se você tiver mais alguma informação ou quiser nos contar como foi a sua experiência, a caixa de comentários é toda sua 😉

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

UPDATE 5/9/2012: O Arthur deixou um comentário falando da empresa Inca Rail como uma alternativa para ir para Machu Picchu. Os preços são compatíveis com os da Peru Rail, mas eles oferecem apenas o trecho Ollantaytambo – Machu Picchu e vice versa :/ É uma boa ter essa empresa em mente para o caso de você não encontrar trens em bons horários na Peru Rail.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    788 Comentários
  1. Oi Nina,
    Eu pegaria o trem das 19h, pois no tour que fiz, houveram atrasos (por parte dos passageiros mesmo, que não eram pontuais na volta em cada parada) e o pessoal que ficou em Ollanta para pegar esse trem das 16:36h teve que correr muito para não perder.
    Acho que é melhor ficar dando uma volta pelas ruelas de Ollanta do que correr esse risco (mas acho que essa vez foi uma exceção, mas de qualquer forma, aconteceu).
    Isso considerando que vocês vão fazer tour coletivo. Se estiverem em 4 pessoas, com certeza vale mais a pena fazer um tour privado personalizado, e aí vocês fazem o horário.
    Espero ter ajudado 😉

  2. Nina, eu optei pegar o trem das 19h por medo de dar alguma coisa errada durante o passeio e eu perder o trem as 16h. Mas dava tempo de ter ido nesse das 16h… Eu percebi que quando está em grupo como eu estava, eles adequam e tentam agilizar no que podem o passeio em função das pessoas que vão pegar o trem mais cedo. No meu grupo tinha algumas pessoas que iam no das 16h e conseguiram ir numa boa. Saímos das ruínas era 15h e pouquinho. Eu acabei ficando por lá andando com o meu namorado, hahaha… O que valeu a pena também porque nós ficamos nas ruínas até praticamente escurecer.

  3. Ola,
    vou para o Peru agora em Agosto e queria saber se consigo embarcar com mochilao no trem Vistadome. possui alguma restriçao de bagagem???
    Brigadao

    • Oi Mari. Existem limites sim. O ideal é ir pra aguas calientes com pouca coisa pq vc vai voltar pra Cusco depois e todos os hoteis praticamente guardam as malas. Em todo caso, entra em contato com a Peru Rail pra saber se sua mala teria problema.

  4. Oi Nina,
    eu viajo em setembro e já comprei a passagem do trem pelo site, mas não recebi os tickets por e-mail, só a confirmação e um código da reserva, não estou conseguindo encontrar o ticket pelo link de imprimir no site da Peru Rail. Você sabe se da pra pegar o ticket quando chega em Cuzco, tem alguma agência lá que posso resolver isso.
    Agradeço.

    • Oi Larissa. Em Cusco e Lima têm várias lojas da Peru Rail. Vc provavelmente terá de passar lá pra pegar seu ticket.

  5. Meu MasterCard Platinum do Itaú não tem o SecureCode (pelo menos isso não está gravado nele), então optei viajar pela PeruRail ao invés da Inca Rail (trens mais novos, dizem) por oferecem o PayPal para pagamento. Mas foi recusado, nem saiu da página da PeruRail para autenticação. Então tentei com meu cartão “normal” (e o iToken via SMS)… e funcionou.
    E o ônibus Pueblo–Ciudadela MachuPicchu também pude pagar da mesma forma com meu MasterCard no site da empresa https://www.consettur.com/

    • Obrigado, Fernando. Esse sistema é doido. Tem de tentar com o cartão e ver se funciona :/

      Muito boa a dica da compra do ônibus pelo site também 🙂 Já vou colocar no post.

  6. O conteúdo no site é realmente espetacular, estou elaborando todo o meu itinerário para o Peru em Jnaeiro com as dicas e esclarecimentos.

    Gostaria de tirar uma dúvida, quanto se existe a possibilidade de parcelamento da passagem de Trem da Peru Rail no momento da compra, no cartão, em quantas vezes e etc… Obrigado

  7. Olá Natalie e Fred
    Acabei de voltar de Cusco e Machu Picchu e minha viagem foi fantástica! Muito obrigada pelas dicas publicadas aqui no blog! Organizei tudo por conta própria com base nas dicas de vocês e deu tudo certíssimo.
    Os hotéis que escolhi foram o Inti Wasi, em Cusco, e o Adelas Hostal, em Águas Calientes e não me arrependo. Ambos são bem simples, porém confortáveis e com excelente localização (coloquei mais detalhes sobre eles no post Onde ficar em Machu Picchu).
    Já os passeios foram feitos em tour privado com o Rafael Choque Garcia, um guia experiente e muito bem recomendado por outros leitores aqui do blog. Rafael se mostrou muito atencioso desde o primeiro contato por e-mail e esclareceu prontamente todas as minhas dúvidas. Hoje ele trabalha quase que exclusivamente com brasileiros e, por isso, fala e escreve em portunhol.
    No início fiquei reticente em pagar o valor total dos passeios assim que nos encontramos em Cusco (Rafael nos buscou no aeroporto), mas ele se mostrou uma pessoa confiável e cumpriu tudo o que foi combinado.
    Uma das coisas que mais gostei no Rafael foi do fato de ele programar os passeios de modo a pegar os sítios arqueológicos o mais vazio possíveis (embora isso nem sempre seja possível). Ele marca as saídas para bem cedo e, em alguns casos, inverte a ordem dos locais visitados em relação ao roteiro praticado por outros guias.
    No city tour em Cuzco, por exemplo, saímos bem cedo e fomos direto para Sacsayuaman. Conclusão: quando estávamos saindo de lá, os grupos de turistas ainda estavam começando a chegar. E isso se repetiu em todos os outros locais visitados naquele dia. Só pegamos um pouco mais de gente no Coricancha, que ficou para o final.
    Acho que de todos os passeios, o único lugar mais muvucado foi as ruínas de Ollantaytambo (mas acho que isso é inevitável, já que todos programam de terminar o passeio lá, antes de pegar o trem para Águas Calientes).
    Na minha opinião, a grande vantagem de contratar os serviços de um guia privado foi poder passar mais tempo explorando os sítios arqueológicos. Em Pisac, por exemplo, os turistas que faziam o tour em grupo praticamente se limitavam a visitar as primeiras ruínas e já davam meia volta. Nós, ao invés disso, pudemos percorrer uma boa parte do lugar, que é incrível, por sinal. O mesmo aconteceu em vários outros sítios.
    A viagem para Águas Calientes foi feita no trem da Inca Rail e também não tenho do que reclamar. Na ida fomos no vagão Executivo (o trecho foi Ollantaytambo-Águas Calientes) e, na volta, no Econômico (trecho Águas Calientes-Poroy). A única diferença entre os dois trens é que o executivo tem janelas no teto e poltronas ligeiramente maiores. Em ambos foram servidos snacks e drinques.
    Não tenho como comparar o serviço da Inca Rail com o da Peru Rail, já que não testei o da segunda, mas a impressão que tive é que os vagões da Peru Rail eram um pouco mais sofisticados. Os horários da Inca Rail, no entanto, eram mais adequados ao meu roteiro e os preços, um pouco mais em conta.
    A compra da passagem foi feita via internet, desde o Brasil, e o pagamento com cartão de crédito, sem qualquer dificuldade. Em Cusco tivemos apenas que retirar os cartões de embarque na loja da Inca Rail, que fica na Plaza de Armas (não se esqueça de levar o passaporte e o cartão usado na compra).
    Em Machu Picchu, quem guiou nossa visita foi o Alex, um guia contratado pelo próprio Rafael. Ele nos encontrou no hotel assim que fizermos o check in e passou todos os detalhes sobre o passeio do dia seguinte. Nos deu, inclusive a opção de escolher o horário em que queríamos iniciar o tour e de escolher e se preferíamos subir a montanha de ônibus ou caminhando (escolhemos a primeira opção porque já teríamos que subir o Huayna Picchu). O tour pela cidade sagrada durou duas horas e depois ficamos livres para andar livremente.
    As passagens de ônibus foram compradas em Águas Calientes e a agradável surpresa foi descobrir que era possível pagá-las com cartão (apenas da bandeiras Master Card e American Express), mediante o pagamento de uma pequena taxa adicional (a política é comum entre os estabelecimentos da região que aceitam cartões).
    De toda as dicas que vi aqui no blog, acho que a mais importante foi a de deixar Machu Picchu para o final do roteiro. Pode parecer bobagem, mas chegar lá com o conhecimento adquirido nos outros sítios arqueológicos torna a visita muito mais proveitosa. Além do mais, como a cidade sagrada é a mais significativa ruína inca, os outros passeios poderiam perder um pouco da graça caso fossem feitos depois de estar lá.
    Acho importante compartilhar com vocês a importância de levar dinheiro vivo para Cusco e pelo menos um cartão de crédito ou débito habilitado para saques. Lá são poucos os lugares que aceitam pagamento com cartão (e geralmente cobram taxa adicional). A taxa de saque também não é das mais baixas, então é bom procurar fazer poucos saques, porém de valores mais altos.
    No que se refere à comida, provei um pouco de tudo. Os restaurantes nos arredores da Plaza de Armas são os mais caros, então vale a pena explorar as ruas laterais. Na calle Plateros, por exemplo, é possível encontrar uma boa variedade de restaurantes que oferecem o chamado menu turístico (entrada, prato principal e bebida) a preços que variam entre 15 e 20 soles. Aliás, ao entrar em um restaurante, é sempre bom perguntar se eles contam com o menu turístico. Muitos oferecem essa opção mas não anunciam.
    Outra boa descoberta foi a feira gastronômica que acontece aos domingos na praça em frente à igreja San Francisco, pertinho da Plaza de Armas. Lá, restaurantes conhecidos da cidade servem pratos de sucesso a preços populares (cerca de 8,5 soles). Tem o famoso cuy (o porquinho da índia assado, que eu não tive coragem de provar), ceviche, cordeiro, chicha…
    Obrigada a todos pelas dicas e espero ter colaborado um pouco.

    • Chris,

      Fiquei muito contente com o seu relato e ainda mais feliz por saber que nossas dicas te ajudaram 🙂 Temos muito carinho pelo Peru e por todos os leitores que compartilham suas experiências conosco e quem acabam ajudando diretamente outros viajantes.

      Sua comparação do tour privado x compartilhado foi precisa. Acho que essa sensação de fugir dos grandes ônibus de excursão algo essencial para aproveitar ainda mais a região do Valle Sagrado.

      Obrigada e volte sempre! 😀

  8. Olá Natalie e Fred.
    Estou indo ao Peru numa viagem bem curtinha de 08/11 – 14/11. Vou direto do Rio de Janeiro a Cusco. Vc acha que o tempo é mto curto para conhecer MachuPichu, Vale Sagrado e ainda explorar Cusco?

    • Oi Renata, é um tempo ótimo para essa região sim 🙂

      Pensa assim: vc tem 5 dias inteiros em Cusco (tirando o dia de chegada e de partida). Nesse tempo dá pra fazer 1 dia em Cusco, 3 dias no valle sagrado e 1 em machu picchu. Se quiser trocar o dia de cusco por um a mais em machu picchu também dá 🙂

  9. Pretendemos ir em Maio/17. Muito válidas as dicas…. Vamos utilizar muito. Parabéns !

  10. Queremos (eu e noiva) ir em Março ou Abril/17 e está nos ajudando muito. Obrigado!!

  11. 1 35 36 37
Deixe seu Comentário