Depois de passear virtualmente por 18 repúblicas, a série Planetóvski Rússia entra na contagem regressiva para o final.

Agora faltam apenas 3 repúblicas para completar essa volta no mundo russo. E a primeira delas é a República da Cacássia.

Apesar de hoje ter apenas o tamanho de uma Irlanda e ser um apêndice dos domínios do Putin, essa nação siberiana já foi bem importante e poderosa na Ásia Central, quando existia por ali um império chamado Khyagas.

Os khyagas, que também eram conhecidos como khakas (de onde vem o nome Cacássia ou “Khakasiya”), dominaram o campinho do século 6 até a chegada de Gêngis Khan, por volta do século 13.

Gêngis, como sempre, chegou enfiando o pé na porta e fez a maioria dos khyagas correr da região. Para onde? É aqui que entra um detalhe curioso.

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

Além do nome “khakas”, os khyagas também eram conhecidos pelo nome de “yenisei kyrgyz”, que mais tarde viraram apenas os “kyrgyz”. E onde vive hoje o povo com o nome de kyrgyz, que em português é “quirguiz”?

Bingo: no Quirguistão.

É claro que nem todos os khakas fugiram (senão a Cacássia não seria a Cacássia, seria um lugar com outro nome). Muitos ficaram e foram vivendo, vivendo e vivendo, até que foram incorporados pelos russos em 1707.

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

Nessa época foi construído um forte que mais tarde virou uma cidade e hoje é a capital da república, Abacã. Mas se você quiser ver a cultura cacássia de verdade, não é para lá que você deve ir. Depois de tanto tempo de colonização, a cultura russa é esmagadoramente dominante na região. O melhor mesmo é apontar sua bússola para os arredores de Askiz, o último bastião cultural cacássio.

Fora Askiz, o que existe de realmente original por lá são tesouros arqueológicos. Dizem até que a Cacássia é uma Meca da arqueologia, com mais de 30 mil sítios que incluem tumbas e megalitos (ou megálitos?), com idades que chegam a 3000 mil anos.

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

Aparentemente, foram só as preciosidades arqueológicas e as paisagens que resistiram a Gêngis Khan e aos russos.

Veja onde ficar em Abacã

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    1 Comentário
  1. Que bom que a série Planetóvski Rússia voltou! E que pena, ao mesmo tempo, já que está acabando. 🙁

Deixe seu Comentário