Às vezes eu fico me perguntando por que não nos presenteamos frequentemente com bons momentos de descanso, ar puro e silêncio. Levamos uma vida tão agitada, cheia de compromissos, horários e cobranças, que esses instantes, em que nos permitimos não pensar em nada, tirar um cochilo ou até mesmo assistir a um filme sem grandes pretensões, fazem muito mais por nós do que imaginamos 😀

Cunha - Volto Logo

A convite da Pousada Barra do Bié, visitamos a pequena Cunha, no trecho da Estrada Real que leva a Paraty, e curtimos um final de semana chuvoso que acabou com os nossos planos de fazer algumas trilhas e conhecer algumas cachoeiras da região. Tudo bem, aqui no Sundaycooks não tem tempo ruim. Colocamos o plano B em ação: visitar o centro da cidade, conhecer os ateliês de cerâmicas da região e aproveitar a pousada. Ótima pedida! 😀

Sobre Cunha e a Estrada Real

Localização

Cunha, famosa pelos seus ateliês de cerâmica e pela Pousada Barra do Bié, permite um final de semana cheio de ótimos programas românticos e anti-stress.

Cunha - Mercado MunicipalCunha - Grãos em garrafa

A viagem de Valinhos até a cidade durou aproximadamente 3h30. Cortando as montanhas, um rastro de mata verde nos guiou até a Barra do Bié. Uma pena cruzar com alguns deslizamentos num trecho da rodovia causados pelas chuvas de verão e principalmente pela falta de manutenção do governo local, mas nada que atrapalhasse a nossa viagem 😉

Cunha - Igreja MatrizCunha - Outra igrejinha e sua pracinha

A cidade de Cunha fica entre as Serras do Mar, do Quebra-Cangalha e da Bocaina. Mas não se iluda com os mapas que indicam Paraty a apenas 47 km de Cunha. Os 9 km de estrada não asfaltada que levam a Paraty, cortam um trecho do Parque Nacional da Bocaina e garantem emoções para quem está no volante de um 4×4. Se você não tem um 4×4, é melhor nem tentar seguir a viagem até Paraty por aquela estrada, pois há pedras muito grandes que, no mínimo, vão danificar seu carro. Muito cuidado também com as rotas dos GPSs, pois eles geralmente indicam essa estrada como caminho mais curto.

Cunha - deixe a vida me levar

Tem uma semaninha de folga? Você pode tentar conciliar seu roteiro de Cunha com alguns dias agradáveis em São Luís do Paraitinga e Paraty 🙂

Sobre a Pousada Barra do Bié

Pousada Barra do BIé

Logo na chegada, fomos recebidos pelo Dino, um simpático São Bernardo que adora rolar na grama e beber água no rio que passa por ali.

A pousada possui apenas seis chalés, o que garante um atendimento mais atencioso e delicado por parte dos donos, Ana e Ciro, que fazem questão de garantir um clima agradável, aconchegante e tranquilo para todos os hóspedes.

Pousada Barra do Bié - ChaléPousada Barra do Bié - Piscina Aquecida

O nosso chalé tinha uma lareira, para as noites mais frias da serra, cobertores térmicos, TV, Blu-Ray Player, um banheiro espaçoso com hidromassagem, ammenities da L’Occitane e toalhas Trousseau (adoro!). E ainda tínhamos 2 redes esperando por nós na varanda 🙂

Pousada Barra do Bié - Chave do chaléPousada Barra do Bié - LareiraPousada Barra do Bié - Armário

Pousada Barra do Bié - AmenitiesPousada Barra do Bié - Cama king size

O silêncio só era interrompido pelos sons ambiente de alguns passarinhos e do suave canto do rio. Um convite para o descanso do corpo e da mente.

As refeições oferecidas pela pousada são preparadas na hora, tudo fresquinho e saboroso. O café da manhã, servido até as 14h, garante aquela soneca extra que você vem se prometendo, mas que ainda não conseguiu por causa do despertador.

Pousada Barra do Bié - Entrada e recepção

Pousada Barra do Bié - Bolo de laranjaPousada Barra do Bié - Café da manhã

Para chegar na Barra do Bié, é importante seguir a orientação fácil do site da Pousada ou conferir o caminho pelo mapa no fim do post, pois a pesquisa direta pelo Google Maps lhe levará para o lugar errado 😛

Atrações e atividade de Ecoturistmo

Parque Estadual da Serra do Mar

Ao seguir para a Pousada, é possível ver as placas que indicam o trecho do Parque Estadual da Serra do Mar, cujo trecho em Cunha abriga uma das áreas de maior biodiversidade dessa reserva de Mata Atlântica. E por conta do seu relevo acidentado, muitas cachoeiras são formadas ao longo dos rios que passam por essa região. O Ecoturismo agradece 😀

Cunha vista de cimaCercas no meio do caminho

Trilhas no Parque da Serra do Mar

É possível fazer três trilhas diferentes no parque: uma de baixa dificuldade, outra média e por fim uma de alta dificuldade.

Como bom sedentários que somos, nosso plano era fazer a Trilha do Rio Paraibuna. São 1,7 km pela margem esquerda do rio com algumas cachoeiras pelos caminho.  A segunda trilha segue o Rio Bonito e tem 7,6 km de extensão. Já na última, são 14,4 km margeando os rios Paraibuna e Ipiranga. É pura Mata Atlântica pra você, amigo que está acostumado a fazer trilhas, desfrutar e ajudar a preservar.

Trilhas da Serra do Mar

Fora do Parque, outro programada que parece ser muito legal é a Trilha da Pedra da Macela. A subida é bem puxada, com cerca de 2 km de uma circuito bastante íngreme. Num dia ensolarado é possível contemplar a vista da baía de Paraty, Angra e Ilha Grande. Acho que não tem como ser feio 🙂

*Nota da autora: Natalie, academia djá, por favor 😛

Cunha e os famosos ateliês de cerâmica

Utilizando métodos e fornos tradicionais, muitos ateliês na cidade oferecem peças que são verdadeiras esculturas de arte moldadas em barro. Cada peça é única e diferente e cada ateliê trabalha o mesmo material de forma singular.

Cerâmicas de Cunha - Suenaga e JardineiroCerâmicas de Cunha - Forno utilizado pelo ateliê Suenaga e Jardineiro

Se você adora trazer objetos decorativos para a sua casa, uma tarde por esses ateliês pode lhe render boas aquisições 😛

A Rua Gerônimo Mariano Leite abriga alguns dos principais ateliês da cidade. Nela, não deixe de visitar o ateliê Mieko e Mário, pois encontramos as peças mais distintas por lá. Próximo a essa rua, também passamos pelo Suenaga e Jardineiro, cujas peças podem ser usadas tanto na cozinha, quanto na decoração do seu ambiente, uma graça!

Cerâmicas de Cunha - Mieko e MárioCerâmicas de Cunha - Mieko e Mário - música para embalar pensamentos

http://www.ateliesj.com.br

http://www.mecc.art.br/ceramistas.html

Restaurantes

Almoçamos no restaurante Quebra Cangalha que vale mais pela vista da região. Os blogs que linkamos ali em baixo também sugerem outras opções de restaurantes na cidade 😉

Restaurante Quebra-CangalhaRestaurante Quebra-Cangalha - linda vista do local

Passando pelo centrinho, não deixe de provar os doces caloricamente gostosos da Doceria da Cidinha bem pertinho da Igreja Matriz de Cunha 😀

Doceria da Cidinha - DeliciososDoceria da Cidinha - Geleias

Outras informações, passeios e atrações na cidade, não deixe de consultar os blogs que já passaram pela cidade e também aprovaram a Pousada Barra do Bié:

Cunha e Barra do Bié no Rapha no Mundo
Cunha e Barra do Bié no Jeguiando
Barra do Bié no Pelo Mundo da Mari Campos

Informações e programações especiais na cidade, veja o site da Secretaria de Turismo de Cunha

Cavalinhos pela estrada

Ao voltar para casa, fiquei me perguntando por que é que eu não faço isso mais vezes. É revigorante 😀

Nossa estadia foi uma cortesia da Pousada Barra do Bié.

Se gostou do que viu, assine o blog!


    8 Comentários
  1. Um fim de semana em Cunha deixa você NOVO. A Barra do Bié é puro amor! <3 Adorei o post, meninos 🙂

  2. Certa vez saindo de Paraty com destino a Brasília resolvemos encurtar o caminho passando por Cunha. Confesso que ficamos bem apreensivos em subir a serra por uma estrada de terra, mas conversamos antes com os moradores da região e como estávamos com um carro 4×4 resolvemos arriscar. Chegamos em Cunha debaixo de muita chuva. É inevitável as chuvas de verão nesta região, mas ficamos satisfeiros por conhecer uma cidade famosa pelas cerâmicas. Visitamos alguns atelier e prosseguimos viagem.

    • Adelaide,
      Obrigada pela visita e pelo comentário 🙂

      Confesso que fiquei curiosa para um dia, quem sabe, cruzar essa trecho da Estrada Real num 4×4. Deve ser uma bela trilha.

  3. Que delícia de fim de semana! Às vezes uma chuvinha até cai bem para nos obrigar a desacelerar. Estou mesmo pensando em me presentear com um mimo desses. 😉

    • Pois é, Camila… a gente vive tão atordoada com compromissos e mil coisas acontecendo ao mesmo tempo que as vezes esquecemos de aproveitar nossa própria região.

      Tomara que eu repita isso outras vezes 😉

  4. Que peninha … vamos para Cunha em nossas férias e já pagamos por outra pousada, mas pelo que vi esta é muito fofa e gostosinha.
    Espero que possamos desfrutar de momentos tão bons quanto os que voces desfrutaram.
    Tenho muito receio da regiao pois temos um carro baixo e que nao é 4×4, sera que teremos dificuldades?
    Beijos

    • Oi Silvana.

      Não é preciso 4×4. O nosso também não era e foi tranquilo. Claro que se quiserem se embrenhar numa trilha ou na estrada paraty-cunha, o 4×4 é essencial 😉

Deixe seu Comentário