Lá vou eu falar de Creative Commons de novo. Ô, cara chato!

Stuck in Customs (CC BY-NC-SA 2.0)

Desculpe, mas eu preciso falar disso. Se não fossem essas licenças, provavelmente este blog não existiria ou deixaria de mostrar muitos lugares interessantes ao redor do mundo – e neste momento você estaria trabalhando ao invés de estar aqui vendo fotos bonitas.

Isso porque, como eu espero que você já tenha lido nesse link, eu não fui para todos os lugares que aparecem aqui (infelizmente) e dependo de fotos feitas por outras pessoas para mostrar muitos deles para você.

Então, como parte deste meu ativismo pelo uso das licencinhas mágicas, resolvi escrever este post mostrando os motivos que levam alguns fotógrafos que admiro a usar Creative Commons nos seus trabalhos.

Stuck in Customs (CC BY-NC-SA 2.0)

Perguntei para todos eles: por que você usa Creative Commons?

Espero que as respostas inspirem você a fazer o mesmo com as suas imagens.

(Ops, você não sabe o que é Creative Commons? Então assista a este vídeo. Depois, se quiser, leia o passo a passo que montei no ano passado, ensinando a colocar imagens sob essas licenças.)

 

Trey Ratcliff

Trey normalmente usa a licença BY-NC-SA, que permite usar e fazer modificações, desde que ele receba o crédito, não se faça uso comercial da imagem e que imagens adaptadas tenham essa mesma licença.

Stuck in Customs (CC BY-NC-SA 2.0)

Stuck in Customs (CC BY-NC-SA 2.0)

Stuck in Customs (CC BY-NC-SA 2.0)

Na sua resposta, Trey (que é fotógrafo profissional) me indicou ler a sua página oficial, a Stuck in Customs. Lá ele diz:

Trey e a Stuck in Customs têm a filosofia de que a arte é para ser vista e não para ser acumulada. Portanto, nossas políticas de licenciamento são projetadas para equilibrar os custos entre a criação e o compartilhamento de nossas imagens, com o objetivo de elas sirvam de inspiração na internet e em todo o mundo.

 

Lars Tiede

Lars usa a a segunda licença mais liberal do Creative Commons, a BY-SA. Ela permite modificações e até o uso comercial, desde que ele receba o crédito e que imagens adaptadas tenham a mesma licença.

LarsT (CC BY-SA 2.0)

Por que Lars usa Creative Commons?

Bem, por que eu não usaria?

Acho que só se quisesse ganhar dinheiro com minhas fotos, ser o único a ganhar dinheiro com minhas fotos e se eu odiasse outras pessoas a ponto de não querer mostrar meu trabalho em nenhum lugar, nem em blogs como o seu, por exemplo.

Nenhum dos três pontos que eu mencionei acima se aplica a mim, então eu fico feliz escolhendo uma licença Creative Commons 100% não-restritiva, que permite às pessoas fazerem o que quiserem com o material (desde que seja dado crédito à minha autoria). Desta forma, ajudo a fazer a internet mais feliz, permitindo que pessoas mostrem minha humildes fotos para públicos diferentes como, por exemplo, os brasileiros. Informação livre! Fuck yeah!

Tem apenas um caso que em que eu acho que não usaria uma licença Creative Commons 100% não-restritiva: se eu investisse em equipamento top de linha para virar fotógrafo profissional. Nesse caso, eu colocaria uma licença que não permitisse uso comercial.

 

Juliana Cunha

A jornalista que me deixou babando pelas imagens da Coreia do Norte debaixo da neve  costuma usar a licença BY-NC que permite o uso e a adaptação sem a necessidade de colocar a mesma licença em novos trabalhos. A restrição é apenas ao uso comercial e é obrigatório colocar o nome dela nos créditos.

Juliana Cunha (CC BY-NC 2.0)

Juliana Cunha (CC BY-NC 2.0)

Juliana Cunha (CC BY-NC 2.0)

Juliana Cunha (CC BY-NC 2.0)

Por que Juliana usa Creative Commons?

Pode ser bobo, mas eu acredito numa internet colaborativa. Sempre dependi da bondade de estranhos para conseguir baixar as séries que queria, para fazer uma busca na Wikipedia, então, essa é uma forma que eu tenho de retribuir minimamente. Se alguém quiser usar minhas fotos sem fins lucrativos, fico feliz.

A internet só é legal por causa do “trabalho voluntário” de um monte de gente. Se a gente deixar isso aqui nas mãos das empresas e dos profissionais vai ficar pior que a televisão.

 

Adaptorplug

Esse fotógrafo que vive em Ho Chi Minh, no Vietnã, prefere a licença BY-NC, a mesma que a Juliana Cunha usa.

adaptorplug (CC BY-NC 2.0)

adaptorplug (CC BY-NC 2.0)

adaptorplug (CC BY-NC 2.0)

adaptorplug (CC BY-NC 2.0)

adaptorplug (CC BY-NC 2.0)

Repare no último motivo que ele diz que tem para usar Creative Commons.

Algumas razões:

– Eu ganho dinheiro com o meu trabalho principal, que é mais do que suficiente para me manter bem. Então eu não preciso do dinheiro da venda de uma ou duas fotos. Se vender fotos fosse minha fonte de renda, seria diferente.

– Fico feliz por saber que minhas fotos são usadas por pessoas que precisam de uma imagem para dizer algo ou apoiar alguma coisa. Ou ainda porque essas pessoas acham que minhas fotos são melhores do que as que elas mesmas têm. Se alguém acha que minhas fotos são úteis e dizem “obrigado” através de uma referência ao meu nome, então estou feliz.

– Eu não sou tão arrogante ou idiota a ponto de fazer esforços inúteis para tentar limitar o uso das minhas imagens por outras pessoas. Eu me irrito quando leio “alguém roubou minha foto!” em fóruns na internet. Desculpe, mas por que você postou suas fotos na internet?

– Quando as pessoas têm condições e querem me pagar por alguma foto, elas entram em contato comigo e pagam. Isso costuma acontecer frequentemente. Eu não preciso cobrar de pessoas decentes e já fui pago em livros, assinaturas de revistas e etc.

– No Reino Unido, de onde eu sou, cada cidadão é considerado parte da “produção de educação”, o que significa que não basta a pessoa pagar a escola e os impostos e pronto. Cada um precisa contribuir e minhas fotos são uma parte da minha ajuda. Talvez um dia alguém veja minhas imagens e se inspire para ir atrás e fazer mais.

 

The Nomad Within

Esse tem um lugar no céu dos fotógrafos.

Peter deMarco, conhecido como The Nomad Within faz imagens embasbacantes e, segundo ele mesmo diz, coloca 99,9% de tudo sob a licença BY-NC-SA. É a mesma escolhida pelo Trey Ratcliff (o primeiro desta lista), que permite usar e fazer modificações, desde que Peter receba o crédito, não se faça uso comercial da imagem e que imagens adaptadas tenham essa mesma licença.

The Nomad Within (CC BY-NC-SA 2.0) | http://www.thenomadwithin.com

The Nomad Within (CC BY-NC-SA 2.0) | http://www.thenomadwithin.com

The Nomad Within (CC BY-NC-SA 2.0) | http://www.thenomadwithin.com

The Nomad Within (CC BY-NC-SA 2.0) | http://www.thenomadwithin.com

The Nomad Within (CC BY-NC-SA 2.0) | http://www.thenomadwithin.com

Por que Peter usa Creative Commons?

A principal razão é o Trey Ratcliff. Na verdade, eu queria fazer um trabalho como o dele, mas eu não conhecia fotógrafos bem sucedidos que usassem Creative Commons. Então, quando eu vi o sucesso dele e vi que ele usava Creative Commons, eu vi que poderia fazer o mesmo.

Eu tenho alguns outros blogs e sempre foi muito difícil encontrar fotos em Creative Commons para eles, sem falar que muita coisa é de baixa qualidade. Além disso, eu odeio marcas d’água e também acho que não existe maneira de evitar o roubo de imagens na internet. Mesmo que você coloque apenas imagens em tamanho pequeno ou aplique uma marca d’água, existem softwares que podem aumentar uma imagem pequena sem perder qualidade ou remover qualquer marca.

É impossível evitar o roubo na internet. Antigamente, quando ainda não usava Creative Commons, via sites que usavam minhas imagens. O que eu poderia fazer? Processar uma agência de viagens na Mongólia por usar a minha foto ilegalmente? O mundo é muito grande. Talvez eu nunca sequer saiba que a minha imagem foi roubada.

Em vez de lutar contra o sistema, nós devemos fazer parte dele. Eu quero que o maior número de pessoas possível veja e use o meu trabalho. Veja o seu próprio exemplo: você coloca minhas fotos no seu blog, eu recebo tráfego vindo do seu site e tenho mais exposição. Logo depois, uma menina comenta que ela quer viajar para a Ásia e ver o mundo! Você me ajudou a alcançar o meu objetivo. Eu convenci uma mulher que eu não conheço, que não me conhece, a sair para ver o mundo. Esse é o meu propósito.

Sim, eu quero fazer muito dinheiro! Eu ainda possuo os direitos sobre as fotos, afinal. Eu não estou dando minhas fotos de graça, na minha opinião. Mas eu não quero viver com medo de que minhas coisas estejam sendo roubadas.

De novo: é apenas o que o Trey faz. Mas quando vi ele falando sobre isso, eu tive a certeza de que ele é um visionário. Este é o futuro.

Peter ainda me enviou alguns links que ilustram a opinião dele e que mostram onde ele formou essa ideia:

Trey Ratcliff explicando por que não usa marca d’água.

Trey Ratcliff explicando por que não se importa que seu trabalho seja pirateado.

Matéria da Wired mostrando por que alguns grandes fotógrafos usam Creative Commons.

Vídeo de Trey Ratcliff em uma palestra (assista a tudo, porque é inspirador, mas assista principalmente entre os minutos 12 e 15).

 

Zoriah Miller

As imagens que esse cara faz são obras de arte. Não é por nada que ele é um fotojornalista premiado, com trabalho exposto em museus e galerias e publicado em lugares como Newsweek, The New York Times, BBC News, CNN e outros. Mesmo assim, ele disponibiliza tudo sob a licença BY-NC, a mesma que o Adaptorplug e a Juliana Cunha usam.

Ou seja: mesmo produzindo imagens lindas profissionalmente, ele permite que tudo seja usado e adaptado sem a necessidade de colocar a mesma licença em novos trabalhos, com restrição apenas ao uso comercial e com créditos obrigatórios.

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Zoriah Miller (CC BY-NC 2.0) | http://www.zoriah.com

Por que Zoriah usa Creative Commons?

Eu uso Creative Commons porque, como fotojornalista, quero divulgar as histórias das pessoas que fotografo. O Creative Commons permite que um público maior veja as minhas imagens e me beneficia quando elas são linkadas de volta para o meu site e para meu blog.

 

E aí? Se inspirou nesse pessoal?

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    11 Comentários
  1. Depois de ter descortinado (com a sua preciosíssima ajuda) o mundo dos Creatives Commons, estou encantada e adorando usar o recurso. E

    Um toque: o link que você criou aqui nesse post sobre o passo-a-passo para colocar as imagens sob essa licença, está dando erro!

    Abraços e, mais uma vez, obrigada pelas dicas!

  2. 1 2
Deixe seu Comentário