Este post tem todas as dicas práticas que eu posso dar para quem quiser ir para a Coreia do Norte.

Informações que estão sujeitas a mudanças mais significativas são revisadas de tempos em tempos, com a ajuda da equipe da Koryo Tours. Revisão mais recente: 1º de março de 2015.

Tentei ser o mais completo e didático possível, respondendo todas as dúvidas que eu tinha antes de ir e outras que apareceram nos comentários ao longo de toda a série.

Se eu tiver esquecido de algo ou se você tiver algumas questão nova, por favor, escreva nos comentários. Responderei da forma mais rápida que eu conseguir.

 

 

Como funciona o turismo na Coreia do Norte?

A Coreia do Norte controla rigidamente a entrada de turistas e o dia a dia de cada visitante por lá. Por isso, todo mundo que entra a passeio precisa ter todo o seu itinerário de visitas aprovado pela Ryohaengsa, a companhia oficial de turismo do país, e permanecer acompanhado de dois guias e um motorista, funcionários da companhia.

Para entrar em contato com a Ryohaengsa, aprovar o seu itinerário e contratar os dois guias e o motorista, você tem duas opções:

1) Tentar fazer tudo diretamente em alguma embaixada norte-coreana;

2) Contratar uma agência de viagens especializada no país.

Fazer tudo sozinho pode ser uma grande experiência. Segundo o Lonely Planet, isso é teoricamente possível, mas deve dar uma dor de cabeça gigantesca, porque lidar com a burocracia estatal do país mais comunista do mundo não é para qualquer um. Nesse caso, também é preciso estar preparado para perder todo o seu dinheiro, porque, se a sua viagem for cancelada (e ela pode ser, sem nenhuma justificativa por parte da companhia), você não deve receber nada de volta.

O melhor, mais prático e mais seguro (ainda que provavelmente mais caro, é claro) é fazer por intermédio de uma agência de viagens especializada no país e, portanto, acostumada a lidar com a Ryohaengsa.

 

Quais agências de turismo levam para a Coreia do Norte?

Existem várias, mas só vou citar aqui as que considerei as mais sérias.

Koryo Tours

Foi a apoiadora na minha viagem e teria sido minha primeira opção caso eu tivesse que ir de forma independente, porque é a mais experiente no destino e a mais recomendada pelo Lonely Planet.

A viagem com eles foi tranquila, organizada e não voltei com nenhuma reclamação. Para deixar claro: eu estava em um grupo com aproximadamente 20 pessoas e não tive absolutamente nenhum tratamento especial em nenhum momento. Eu era apenas mais um no meio do pessoal.

Para saber mais sobre a Koryo Tours, leia o post que fiz sobre ela lá no início de tudo isso.

Kimchi Tours

É o braço econômico da Koryo Tours. Eles fazem roteiros mais baratos, mas sempre dentro do padrão de qualidade da companhia.

Eles nunca vão, por exemplo, enviar um grupo para a Coreia do Norte sem o acompanhamento de um guia da empresa, mesmo que isso possa reduzir o preço final para você. Eles preferem cobrar um pouco mais, mas garantir que você vai ter assistência deles no local, sempre.

A Kimchi opera junto com a Koryo, por isso o link acima leva para o site da companhia. Se quiser informações, escreva para info@koryogroup.com.

Young Pioneer Tours

Juche Travel Services

As duas agências acima (Young Pioneer e Juche) me responderam quando fiz meus primeiros contatos antes de ir para lá, me deixando uma boa impressão sobre elas. Mas é bom ressaltar: foram apenas impressões positivas, eu não experimentei os serviços de ambas.

Também existem outras agências, mas como não tive nenhum contato, não vou colocar nomes aqui.

 

É uma boa época para ir para a Coreia do Norte?

Não sou especialista em nada, então vou dizer apenas o que deduzo lendo notícias: sim, é uma boa época. Veja os motivos que me levam a pensar isso:

– A Coreia do Norte vive em tensão bélica desde sempre e deve permanecer assim por muito tempo. Então você sempre vai se perguntar se é um bom momento. E se você desistir toda vez que se fizer essa pergunta, vai acabar não indo nunca.

– Se você escolher uma agência de viagens séria para levar você até lá, ela vai cancelar qualquer tour se houver chances reais de um conflito com qualquer país. Mais uma vez, sugiro: Koryo Tours ou Kimchi Tours.

 

É seguro ir para a Coreia do Norte?

Como turista, sim, totalmente.

Ao contrário de muitos países, a ditadura norte-coreana não enfrenta nenhuma resistência organizada que possa ameaçar turistas – como grupos terroristas e similares. Ao mesmo tempo, o povo norte-coreano é simpático, curioso e preocupado com o bem estar dos seus visitantes.

Então, se você seguir as instruções dos guias, as regras de etiqueta naturais a qualquer pessoa educada e evitar falar em política, não existe absolutamente nenhuma ameaça a você.

O único perigo exclusivamente norte-coreano é viajar com a Air Koryo. Mas leia o post que escrevi sobre essa experiência e relaxe.

 

Todas as viagens para a Coreia do Norte precisam ser feitas desde Pequim?

Não.

Existem voos também de Vladivostok, na Rússia, e a Koryo Tours pode acompanhar você, caso seu desejo seja começar a viagem por lá.

A questão é que é muito mais fácil ir para a Coreia do Norte a partir de Pequim, já que todas as agências que eu indiquei acima têm base na capital chinesa e é de lá que partem para o país.

Você também pode tentar entrar por outro lugar, é claro, inclusive de trem ou de carro. Mas nesse caso eu não vou poder ajudar. Só o que posso dizer é que a Coreia do Norte tem fronteiras abertas com Rússia e China. A partir disso, é com você. Boa sorte.

 

Onde é legal ficar em Pequim? 

Eu fiquei num hostel chamado Beijing Downtown Backpacker e achei ótimo. Mas se você quiser algo melhor, o Booking tem um monte de opções.

 

Que tipo de visto eu preciso pedir para entrar na China e ir para a Coreia do Norte?

Em 4 de janeiro de 2013, a China colocou em prática uma regra que permite que brasileiros em trânsito para outros países permaneçam em Pequim por até 72 horas sem a necessidade de visto, caso apresentem a passagem aérea para destino seguinte. Leia mais no site da Embaixada da China no Brasil e informe-se sobre essa possibilidade com a agência de turismo que você escolher.

Se o caso acima não for o seu, você vai precisar de, no mínimo, um visto de turismo com duas entradas na China: uma para a chegada (antes de ir para a Coreia do Norte), outra para retornar à China. Informações no site da Embaixada da China no Brasil.

 

Quanto custa ir para a Coreia do Norte?

Desculpe decepcionar você, mas não vai ser possível dar uma resposta objetiva.

Eu simplesmente não tenho como dizer quanto a sua viagem vai custar porque ela depende de vários fatores que são determinados por você mesmo.

Só para dar um exemplo desta impossibilidade: em uma passada rápida pelo site da Koryo Tours, contei 34 opções de pacotes para o ano de 2015, cada um com seu preço e suas possibilidades de extensões. Isso significa que existem aproximadamente 34 preços diferentes para você escolher apenas nessa companhia.

De qualquer maneira, para facilitar as suas contas, vou dizer o mínimo que você precisa calcular para uma viagem saindo da sua casa (seja lá onde ela for), indo exclusivamente para a Coreia do Norte e voltando para o seu cafofo:

– Seguro-saúde da sua preferência;

– Visto para a Coreia do Norte (informe-se sobre o valor com a agência que você escolher);

– Visto para a China. Informações no site da Embaixada da China no Brasil);

– Passagens para o trecho Sua Casa-Pequim-Sua Casa;

– Estadia em Pequim antes de ir para a Coreia do Norte (caso você vá ficar algum tempo lá);

– O valor do pacote que você escolher para visitar a Coreia do Norte;

– Gastos não incluídos no seu pacote para a Coreia do Norte (informe-se com a agência que você escolher);

– Gastos com compras pessoais na Coreia do Norte (a Koryo Tours recomenda levar no mínimo 100 euros por dia de tour. Mas, de novo, tudo depende da sua disposição de comprar, beber, etc.);

– Estadia em Pequim depois de voltar da Coreia do Norte e antes de voltar para a sua casa (caso você vá ficar algum tempo na capital chinesa).

É isso. Esse é o mínimo que você precisa prever. E o máximo que eu posso ajudar.

 

Quanto eu (Gabriel) gastei lá?

Não sei exatamente quanto gastei na Coreia do Norte porque o dinheiro que levei também foi usado em Pequim. Mas minhas anotações pré-viagem indicam que eu levei 700 euros para usar especificamente no país.

Importante: eu não lembro se gastei tudo e esse dinheiro serviu para comprar lembranças e coisas pessoais, então os gastos podem mudar completamente para você.

 

Quando é a melhor época para ir para a Coreia do Norte?

Durante os mass games, sem sombra de dúvida. Eles geralmente acontecem entre setembro e outubro (mas não aconteceram em 2014 e não são esperados em 2015), que também é uma época de temperaturas amenas e mais confortáveis.

Se não der para ir nesse período, escolha alguma época em que haja algum feriado nacional, para ver as comemorações nas ruas e, se você der sorte, até algum desfile militar (em 2015, são esperadas paradas militares em pelo menos em 15 de agosto e em 10 de outubro, mas não foram confirmadas ainda).

Julho e agosto costumam ser quentes demais, enquanto os meses entre novembro e fevereiro costumam ser terrivelmente frios, ainda que a paisagem coberta de neve seja terrivelmente linda.

julianacunha (CC BY-NC 2.0)

 

Quais são os feriados no país?

– 1º de janeiro: Ano-novo

– 16 de fevereiro: aniversário de Kim Jong-il

– 15 de abril: aniversário de Kim Il-sung

– 25 de abril: Dia das Forças Armadas

– 1º de maio: Dia do Trabalho

– 8 de julho: aniversário da morte de Kim Il-sung

– 27 de julho: dia da vitória na Guerra da Coreia (chamada de Guerra de Libertação da Pátria)

– 15 de agosto: Dia da Libertação Nacional (do Japão)

– 9 de setembro: Dia da Independência

– 10 de outubro: Dia da Fundação do Partido dos Trabalhadores da Coreia

– 27 de dezembro: Dia da Constituição

 

Como se consegue o visto norte-coreano?

A agência de viagens que você escolher vai dar as orientações necessárias. Mas já adianto: é bem fácil. Escrevi um post sobre a experiência do visto com a Koryo Tours, para você ver como foi.

 

O seguro-saúde vale na Coreia do Norte?

Não precisei usar, mas o representante do seguro que utilizei na época (ISIS) me disse que vale. Confirme antes de contratar para você.

Nesse ponto, preciso fazer uma ressalva. Não sei como são as outras agências de turismo, mas a Koryo Tours exige que o seguro-saúde contratado pelo viajante garanta a evacuação para Pequim em caso de doença ou acidente graves. De novo: segundo a representante do seguro que utilizei, essa possibilidade está incluída no produto, porém não precisei usar para testar.

Na dúvida, você pode comprar um seguro que a própria Koryo Tours vende e que garante essa evacuação de emergência.

 

Quantos dias são necessários e suficientes?

Aqui eu concordo com o que o Lonely Planet diz: 4 ou 5 dias são o máximo que um cérebro normal consegue aguentar de ladainha comunista. Eu passei 6 dias lá e já estava com o saco um pouco cheio.

Para você ter uma referência, encontrei um viajante que estava fazendo um tour longo, de 16 dias, e perguntei como era. A resposta foi uma expressão de cansaço seguida de “It’s too much…”

 

É possível encaixar a Coreia do Norte como uma viagem rápida para quem está na China?

Sim, claro. E é exatamente o que eu recomendo se você tiver curiosidade de conhecer apenas a capital do país.

Pyongyang fica a apenas duas horas de voo de Pequim. Dá para ir para lá como se fosse apenas um fim de semana e até existem pacotes de apenas duas noites na cidade (ou você pode montar o seu tour particular, se preferir).

Duas noites são o suficiente? Olha, nos meus dois primeiros dias no país, visitei uns 20 pontos turísticos. Dá tempo, sim. Leia aqui para saber mais.

 

É possível visitar outras cidades, além da capital?

Sim. Existem pacotes com roteiros que incluem várias cidades do interior.

Kaesong, a 70 km de Pyongyang

 

 

Como é feito o deslocamento entre as cidades?

Entre as cidades mais próximas, o deslocamento é feito em um carro particular, em van ou em ônibus, dependendo do tamanho do seu grupo.

Entre cidades mais distantes, o deslocamento é feito com avião. Ou seja: dependendo do roteiro escolhido, você vai voar de Air Koryo lá dentro também.

 

Como é voar com a Air Koryo?

Escrevi um post só sobre isso. Leia aqui.

Se você estiver com medo de voar nos aviões antigos da companhia norte-coreana, não se preocupe. Hoje eles só voam para a China usando aviões russos comprados de 2008 para cá.

 

É possível voar com outra companhia, além da Air Koryo?

Sim. A Air China também voa regularmente para Pyongyang (duas ou 3 vezes por semana). Pergunte para a sua agência de viagens como fazer para voar exclusivamente com eles, se você tiver medo da Air Koryo.

 

Quantos quilos posso levar na bagagem no voo entre Pequim e Pyongyang?

Em voos feitos com a Air Koryo, o limite é de 20 kg por passageiro. Se você estiver carregando mais, pode deixar o excedente no seu hotel em Pequim, nos lockers no aeroporto ou até mesmo no escritório da sua agência de viagens, se ela topar. Aliás, confirme ela informações com a sua agência.

 

Como é a inspeção da bagagem na chegada na Coreia do Norte?

Exatamente como é feita a inspeção no Brasil: manualmente ou com raio-X. Na minha viagem, ela não foi muito profunda. O policial norte-coreano pediu para ver apenas um punhado de moedas que eu tinha em um bolso.

Aeroporto de Pyongyang em 2012. O terminal principal estava em reforma. Este era provisório.

 

 

Como é a inspeção da bagagem na saída da Coreia do Norte?

Se você sair de avião, é como a inspeção na entrada. Se você sair de trem, é feita uma inspeção manual, que pode ser bem demorada. A recomendação nesse caso é: não fique nervoso. Os policiais da fronteira norte-coreana são simpáticos e estão apenas fazendo o trabalho deles.

 

Posso levar algum presente para os guias e para o motorista?

Sim e vai ser muito legal se você fizer isso. Se não der para levar algo, tente comprar lá. Se não der para comprar lá, apenas contribua com a caixinha de gorjetas para eles (o pessoal costuma dar 10 euros por dia, cada viajante). Os guias e os motoristas são muito queridos e simpáticos. Você vai sentir saudades deles na volta.

 

O que é preciso levar na bagagem?

Absolutamente tudo que você precisa no dia a dia e tudo que você possa precisar durante o seu período por lá. Se esquecer de algo, você até pode conseguir comprar, mas vai ser caro e, talvez, difícil de encontrar sem a ajuda e a dedicação do guia.

 

Alguma dica do que levar na bagagem, além do normal?

Não sou um neurótico por limpeza, mas recomendo que você leve álcool gel. Existe água corrente constante nos hotéis da capital, mas é bastante raro encontrar isso nos restaurantes. Sabonetes, então, são como unicórnios.

 

O que é permitido levar para a Coreia do Norte?

Muito mais do que você imagina: notebooks, pendrives, dólar americano, câmera de vídeo amadora, iPod, mp3, comida, bebida alcoolica, Kindle, iPad e gravadores de voz entram sem problemas.

 

O que é proibido levar?

Livros que falem do país (mas guias de viagem são tolerados), revistas sul-coreanas ou escritas em coreano, bandeira norte-americana ou sul-coreana e rádio.

Também é bom não levar camisetas com slogans ou frases em destaque. Isso não é necessariamente um problema, mas pode gerar perguntas. O melhor é evitar.

 

É possível entrar levando o telefone celular?

Sim. Os tempos de total isolamento acabaram no início de 2013, quando os estrangeiros passaram a poder entrar com seus celulares e até comprar chips locais.

Os chips podem ser comprados no aeroporto e podem ser usados para se conectar à internet, ligar para fora do país ou ligar para outros estrangeiros usuários da mesma rede. Eles não podem ser usados para ligar para norte-coreanos.

Importante frisar: o uso do 3G é bem caro, segundo a Koryo Tours.

 

Existe energia elétrica constante?

A Coreia do Norte tem um problema grave de geração de energia, mas os hotéis da capital têm geradores próprios e você raramente vai ficar sem luz neles. Já no interior é mais complicado e você pode ficar um tempo no escuro. É bom levar sempre uma lanterna e carregar qualquer bateria nos hotéis de Pyongyang ou sempre que der.

 

Como são as tomadas? E qual a voltagem no país?

A Coreia do Norte tem voltagens 110v e 220v, com tomadas dos tipos “dois pinos redondos”, “dois pinos chatos” e “três pinos chatos, sendo dois inclinados”. Leve um adaptador que contemple estes três e você vai estar bem.

Stéfan (CC BY-NC-SA 2.0) | torbakhopper (CC BY 2.0) | jczart (CC BY-SA 2.0)

 

Norte-americanos podem entrar na Coreia do Norte?

Sim. Meu grupo tinha muitos norte-americanos e eles entraram naturalmente e não mencionaram nenhum desconforto com contatos com a população. A única restrição é que eles não podem entrar ou sair do país de trem. É preciso voar nos dois momentos.

 

É possível entrar na Coreia do Norte com visto norte-americano no passaporte?

Sim. Sem problemas. Até norte-americanos entram.

 

Sul-coreanos podem entrar na Coreia do Norte?

Não. Portadores de passaportes sul-coreanos não entram na Coreia do Norte como turistas.

 

É possível entrar sendo descendente de sul-coreanos?

Sim. De acordo com a Koryo Tours, seu nome sul-coreano não impede você de entrar e muitos já foram para lá com a agência. O único problema é se você quiser entrar com um passaporte do sul. Nesse caso, nananina. Mas se o seu passaporte for brasileiro ou whatever, está liberado.

 

É possível entrar sendo casado(a) com sul-coreana(o)?

Sim, desde que você não use um passaporte sul-coreano.

 

É possível entrar com carimbo da Coreia do Sul no passaporte?

Sim.

 

Ir para a Coreia do Norte vai me causar problemas quando eu quiser ir para os Estados Unidos?

Não posso afirmar nada sobre isso porque não tenho acesso às regras norte-americanas de concessão de vistos e de permissão de entradas. O que posso dizer é somente o que eu acredito, e eu acredito que não haja problemas, porque até norte-americanos vão para a Coreia do Norte.

Mas preste atenção: esta é apenas a minha dedução. Para uma eventual confirmação sobre o assunto, sugiro que você entre em contato com a embaixada americana mais próxima de você.

 

Se eu for para a Coreia do Norte, terei problemas para entrar em outros países do mundo?

Infelizmente eu não posso responder sobre todos os países do mundo, mas a Koryo Tours não tem relatos de alguém que tenha tido, e o Lonely Planet não menciona nada disso nas suas páginas.

 

Jornalistas podem visitar a Coreia do Norte?

A Koryo Tours dá orientações explícitas: não tente entrar como jornalista sem revelar a sua profissão.

Se o governo encontrar alguma matéria sua sobre o país, publicada em algum veículo grande, pode buscar o seu nome e punir o guia que acompanhou você e também a sua agência de viagens (a Koryo foi punida por 9 meses, em 1997, por causa de um jornalista disfarçado de turista).

Ou seja: você vai ficar todo feliz com sua reportagem “exclusiva” e seu editor vai achar você o máximo, mas seu guia, um pobre coitado que só está tentando sobreviver, vai sofrer consequências que podem ser bem sérias. E a agência que você usar, que vive de levar pessoas para lá, vai sofrer um baque forte, certamente sentido por todos os empregados.

Então não seja um/uma canalha irresponsável, ok? Identifique-se. A Koryo se coloca à disposição para tentar conseguir uma visita ao país como jornalista. Eles já conseguiram muitas coisas, vale tentar.

 

Posso publicar minha experiência em meu blog?

Sim, sem problemas. O único receio é em relação a jornais e revistas. O governo norte-coreano parece não dar muita bola para o poder dos blogs.

 

É possível ir como um viajante solo?

Sim, é claro. Mas não esqueça que você nunca vai estar solo, já que a companhia de dois guias e um motorista é obrigatória.

 

Viajantes com necessidades especiais podem ir para a Coreia do Norte?

Sim, mas não espere encontrar instalações adequadas ao seu uso. O que você vai encontrar é muita gente disposta a ajudar a passar por eventuais obstáculos, já que os norte-coreanos são muito atenciosos com os estrangeiros.

 

Mulheres podem ir sozinhas?

Sem dúvida que sim. Mas o caso é o mesmo dos viajantes solo: você nunca vai estar sozinha, já que a companhia de dois guias e um motorista é obrigatória. Se você quiser ir em um tour particular e não se sentir à vontade acompanhada de 3 homens, peça que suas guias sejam mulheres. Existem muitas.

 

Que moeda os turistas usam na Coreia do Norte?

Oficialmente, os turistas não são autorizados a usar a moeda local, o won. Então você precisa levar dólar, euro ou yuan (a moeda chinesa). Qualquer um deles é bem aceito, não existe preferência nem restrição.

 

É possível usar cartão de crédito na Coreia do Norte?

Não. A Coreia do Norte é completamente desligada do mundo nesse quesito também. Não existe cartão de crédito, traveler cheques, cartão de débito ou caixa eletrônico para sacar dinheiro. Você precisa levar tudo que achar que vai utilizar.

 

Recomendações sobre dinheiro:

Leve notas de valor baixo e em boas condições. Elas não precisam ser novas e intactas, mas não podem estar muito danificadas.

Se não der para levar apenas notas pequenas, não se desespere. Vi gente trocando notas de 50 euros sem dificuldade. Mas não abuse da sorte.

Tente levar moedas também, o máximo que puder. Elas são muito úteis.

 

Como é a comida na Coreia do Norte?

A culinária da Coreia do Norte é basicamente igual à da Coreia do Sul. Os pratos típicos de ambas são mais ou menos os mesmos.

De maneira geral, é uma comida boa, mas não dá para ter frescuras do tipo “não como a gordurinha da carne”, ou “não como frituras”. Se você tem problemas com isso, leia o tópico seguinte e declare-se vegetariano.

De qualquer maneira, prepare-se para passar alguns dias comendo muito repolho, ovos, batata, pão, arroz e carne frita ou assada. Geralmente existem lojas de conveniências nos hoteis, onde você pode comprar biscoitos e similares, em caso de emergência.

Se você tem curiosidade de experimentar carne de cachorro, a Coreia do Norte é a sua chance. Mas se você não quer nem passar perto disso, não se preocupe: carne de cachorro é uma iguaria para eles e não vai ser servida gratuitamente, sem que você peça. Você definitivamente não corre o risco de comer um totozinho sem querer.

 

Vegetarianos conseguem sobreviver no país?

Sim. Antes da viagem, a Koryo Tours pergunta se você é vegetariano e prepara tudo para que você não passe fome. Não sei como é com as outras agências de turismo. Informe-se com a de sua preferência.

 

Veganos conseguem sobreviver no país? 

Pelo que vi nos pratos dos vegetarianos, acho difícil. Porém, sou um ignorante nas restrições veganas, porque não sei exatamente os ingredientes de tudo que existe por aí, então é melhor você perguntar para a sua agência de viagens também.

 

É preciso ter algum cuidado com a água?

Aqui vale a dica normal para qualquer viajante em um país pobre: não beba água da torneira, apenas engarrafada.

 

Devo dar gorjeta nos almoços, jantares e tal?

Não. Gorjetas não são uma prática norte-coreana. Os únicos que ganham algo são os guias e os motoristas. Veja o tópico referente a isso.

 

Como são os hotéis?

Tudo depende do pacote que você escolher e da qualidade da sua agência de turismo. O que eu posso garantir, pela minha experiência, é que o Koryo Hotel e o Yanggakdo são muito bons. A decoração de ambos é antiga, mas o serviço e a estrutura são muito bons. Meu quarto no Koryo Hotel estava sempre impecável.

No interior, esteja preparado para uma possível dificuldade com energia elétrica e até mesmo com água. O ideal é tomar um bom banho em Pyongyang antes de ir para os grotões do país.

 

Os hoteis têm ar-condicionado?

Eu estive lá em uma época de temperaturas amenas, então não precisei de ar-condicionado. Porém, segundo um diretor da Koryo Tours, a maioria dos hotéis de Pyongyang têm aparelhos, mas podem ser fracos ou enfrentar  problemas de falta de energia elétrica, no caso de hotéis menores. No interior os aparelhos são raros. Apesar disso, ele diz que janelas abertas costumam ser o suficiente para refrescar os ambientes, já que o país não é muito quente.

 

É possível ver TV no hotel?

De novo: não posso falar de todos os hotéis, mas os quartos no Koryo Hotel e no Yanggakdo têm TV a cabo com canais estrangeiros (BBC, CNN e similares) além do canal norte-coreano.

 

É possível entrar em contato com o mundo exterior estando na Coreia do Norte?

Sim. Você pode telefonar usando um aparelho no seu hotel ou usando o seu celular com chip local. Se você tiver 3G no seu chip, também pode usar a internet.

Outras opções são cartas (que demoram, mas os cartões postais que enviei chegaram a todos os destinatários) ou você pode deixar o telefone do seu hotel para a sua família no Brasil e pedir para que eles liguem para você. É possível e, segundo o que li, você não paga nenhuma taxa extra na hospedagem por receber chamadas no quarto.

 

Se eu passar mal e tiver que ficar no hotel enquanto o grupo sai, o que acontece?

Em casos assim, um guia fica no seu hotel para auxiliar no que for preciso. E, é claro, para evitar que você saia caminhando pela rua sem autorização.

 

Como são os banheiros?

Nos hotéis onde eu fiquei e na maioria dos restaurantes que visitei, os banheiros tinham vasos sanitários iguais ao nossos e eram limpos. No entanto, é bom estar preparado para se agachar de vez em quando e para fazer tudo em uma penumbra, já que a escassez de energia é grande. Também é bom ter sempre à mão um rolinho de papel higiênico ou lenços.

Recomendo, também, que você leve um pouco de álcool gel, porque sabonetes são raros em banheiros fora dos hoteis.

 

Que roupas devo usar na Coreia do Norte?

Os norte-coreanos tentam se vestir da melhor forma possível, todos os dias. Isso, para eles, significa se vestir de forma modesta e apresentável.

Você não é obrigado a fazer o mesmo, mas recomendo que faça, por respeito e para não chamar muito a atenção. Dito isso, no dia-a-dia turístico não existe nenhuma restrição a usar qualquer roupa. O que se pede é que você não use camisetas com frases que possam ser consideradas contra o regime ou que tenham bandeiras americanas ou – pior ainda – da Coreia do Sul.

Fique atento apenas em alguns casos:

– Se você for visitar algum dos lugares considerados sagrados pelos norte-coreanos (o guia da sua agência deve indicar isso antes de você sair do hotel), onde é educado se vestir de forma respeitosa, cobrindo pernas e braços.

– Se você for a algum lugar sagrado em uma data importante. Em coincidências assim, a recomendação de se vestir de forma respeitosa é ainda mais forte. Estive lá em um feriado nacional do país e vi pessoas usando terno e gravata para visitar monumentos dos Kim. Minha recomendação para esses casos? Se você for homem, leve ao menos uma camisa social. Se você for mulher, leve algo do mesmo nível (desculpe, não entendo nada de roupas femininas e não sei o que recomendar. Mas acho que deu para entender, não?). Acho exagerado usar terno e gravata, mas vi muitos turistas assim e certamente os norte-coreanos gostaram do respeito demonstrado por eles.

– Se você for visitar o mausoléu de Kim Il-sung e Kim Jong-il. Para entrar nele, é obrigatório usar camisa e gravata (para os homens) e roupa formal (para mulheres). E é proibido usar calçados abertos.

 

É possível conversar com os norte-coreanos?

Sim. Muitos locais visitados são públicos, o que significa que existem vários norte-coreanos nele. Você pode puxar papo com qualquer um, mas vai encontrar um grande problema: dificilmente o seu interlocutor vai falar inglês, o que vai impedir qualquer conversa. E mesmo que você ache alguém que fale inglês, a pessoa pode achar que não é muito bom conversar com um estrangeiro, por precaução.

Na dúvida, não exponha ninguém a constrangimentos. Quem vai sofrer qualquer eventual represália é o outro, não você. Pense nisso sempre.

 

Que lingua os norte-coreanos falam?

Coreano, igual ao falado na Coreia do Sul (ainda que – dizem – de maneira mais formal e com gírias bem diferentes, por causa da longa separação.)

 

Que língua vou falar com os guias norte-coreanos?

O mais provável é o inglês, mas verifique outras possibilidades com a agência que você escolher, se o inglês não for a sua segunda língua preferida.

 

É possível ter um guia que fale português?

Segundo a Koryo Tours, não existem guias norte-coreanos que falem português.

 

E espanhol?

Segundo a Koryo Tours, existem 3 guias norte-coreanos que falam espanhol.

 

É preciso fazer reverência aos líderes?

Sim, sempre que o seu guia norte-coreano disser para fazer reverência, faça. Geralmente isso vai acontecer diante de grandes estátuas de Kim Il-sung.

Tenha em mente uma coisa: aos olhos da maioria dos norte-coreanos comuns, Kim Il-sung e Kim Jong-il são santos. E se eles são considerados santos, não é legal ser mal-educado a ponto de desrespeitar a crença deles, no país deles.

Não fazer reverência aos líderes é o mesmo que, sei lá, fazer chifrinho para Jesus Cristo dentro de uma igreja católica. Se você não seria tão indelicado no Vaticano, por que seria na Coreia do Norte?

Você acha que não consegue fazer essa reverência, por qualquer motivo? Então, simplesmente não vá para a Coreia do Norte.

 

O que acontece se eu fizer algo muito errado?

Antes de mais nada, vamos tentar definir o que é “algo muito errado”.

Não se curvar diante das estátuas dos líderes é errado, mas você não vai ser preso por isso. Você vai apenas ser visto com um mal-educado e vai conquistar a antipatia do seu guia.

Fotografar pessoas de forma desrespeitosa é errado em qualquer lugar do mundo, mas, de novo, você só vai passar por mal-educado e provavelmente vai receber um toque do guia, pedindo para ter mais cuidado e tal.

Sair do hotel sem autorização é um pouco mais grave. Se o guia achar que você fez por estar desligado, pode até relevar e resolver tudo com um puxão de orelha. Mas se ele achar que você está realmente procurando problemas, pode tomar atitudes mais drásticas, como simplesmente cancelar a sua viagem e mandar você embora. E nesse caso, se você estiver em um grupo, todos serão prejudicados.

Segundo o Lonely Planet, a punição máxima esperada para um turista é a expulsão imediata do país. Ou seja: se você fizer algo realmente errado (que não envolva crimes graves, é claro) vão colocar você em um avião para a China e só.

Se a sua intenção for essa, por favor, faça isso em um tour privado e não atrapalhe a vida de quem está lá apenas para visitar. Ah, e não esqueça que a sua rebeldia pode custar muito caro para o coitado do seu guia, que é apenas um norte-coreano comum tentando ganhar a vida e sustentar a família.

 

O Brasil tem representação na Coreia do Norte? 

Sim. E caso você se meta em encrenca, a orientação do Lonely Planet é pedir para falar com a embaixada do seu país. O endereço do serviço brasileiro pode ser encontrado no site do Itamaraty.

Mas, por favor, não se meta em encrenca.

 

Livros que eu recomendo que você leia antes de ir:

Nada a Invejar – Vidas Comuns na Coreia do Norte. Barbara Demick.

Histórias relatadas por alguns dissidentes norte-coreanos mostram como foi a vida no país durante os anos 90, o período mais difícil da ditadura Kim, quando milhões de pessoas morreram de fome.

Fuga do Campo 14. Blaine Harden.

A história de Shin Dong-hyuk, um norte-coreano que nasceu em um campo de concentração e viveu nele até os 23 anos, quando conseguiu fugir. É um livro pesado, mas recomendo muito.

Pyongyang. Uma viagem à Coreia do Norte. Guy Delisle.

Guy Delisle é um desenhista que passou dois meses trabalhando em um estúdio de animação em Pyongyang e resolveu publicar a sua história no formato de quadrinhos (do mesmo jeito que fez com muitas outras temporadas morando fora do seu país). As coisas melhoraram (e mudaram um pouco) em Pyongyang desde a passagem de Guy por lá, mas é uma ótima leitura e você vai reconhecer muitos lugares nos desenhos dele.

1984. George Orwell.

O clássico que trata de uma ditadura em um país fictício, mas que parece muito com a Coreia do Norte. Detalhe: ele foi escrito em 1948, quando a Coreia do Norte estava recém engatinhando.

*Lembre-se: comprando os livros acima pelo links marcados ali, este blogueiro recebe uma comissão da Livraria Cultura e você me ajuda a manter o blog. Obrigado!

 

Filmes que eu recomendo que você assista antes de ir:

A State of Mind. Daniel Gordon.

Um filme sobre duas meninas que treinam para encenar o Arirang. Mostra o dia a dia delas e dá uma boa ideia de como é a vida de um norte-coreano que vive na capital do país.

– 1984. George Orwell.

Se você não tiver paciência para ler o livro, assista ao filme.

 

Eu escrevi um post exclusivo sobre regras e limites ao fotografar na Coreia do Norte, mas como sei que dá preguiça ir até lá, repito tudo aqui e acrescento algumas coisas.

 

Quantos cartões de memória devo levar?

Depende do seu furor fotográfico. Eu levei espaço para 4112 fotos e fiz 1739. A média diária foi de 289.

Mas, ei!, não se esqueça de olhar a Coreia do Norte com seus próprios olhos, não apenas através do visor da câmera, ok?

 

É possível fotografar tudo?

Não.

Mas ao contrário do que o mundo pensa, os lugares onde eu fui explicitamente orientado a não fazer fotos foram apenas aqueles considerados militarmente estratégicos, como a estrada até a Zona Desmilitarizada, algumas áreas dentro da mesma Zona, o aeroporto e as estações de trem. E mesmo nesses lugares, sempre dá para perguntar se é possível fotografar, porque às vezes é. Se não for, dá para fazer fotos escondido, clicando sem olhar no visor ou sem apontar a câmera para alguém.

Em todos os outros lugares, você é livre para fotografar o que quiser, usando sempre o bom senso e a educação que você usaria em qualquer lugar do mundo – e que sei que não preciso explicar mais.

 

O guia fica cuidando o que os turistas fotografam?

Não.

Em lugares turísticos, você pode caminhar livremente – e fotografar livremente também. O guia não vai ficar atrás de você. Ele vai ficar de olho, mas de longe, para não perder seu grupo de vista.

Durante meus dias norte-coreanos, só vi meu guia puxar a orelha de uma única turista, uma única vez, porque ela estava fotografando pessoas de forma desrespeitosa em um momento solene em frente a uma imagem do Grande Líder.

 

Eles verificam e apagam fotos na fronteira?

Sim e não.

Se você sair do país de trem, sim, suas fotos vão ser vistas por guardas que vão pedir para você apagar as imagens que eles considerarem ofensivas ao Grande Líder, que mostrarem áreas militares ou pobreza. Mas você pode roubar um pouquinho no jogo, arranjando formas de atrapalhar essa revista. Seja criativo. Eu, por exemplo, me preparei para o momento colocando uma bateria quase sem carga. A ideia era que ela acabasse no momento em que o guarda começasse a ver as imagens. No fim das contas, tive sorte e não fui revistado – provavelmente porque o trem estava com duas horas de atraso.

Já se você sair de avião, é muito difícil que sua câmera seja revistada (e essa é uma grande dica). Em compensação, você não vai viver a emoção de andar de trem entre a Coreia do Norte e a China.

 

O que é uma foto “ofensiva ao Grande Líder”?

Imagens que mostrem Kim Il-sung (e também Kim Jong-il) apenas em parte. Ou, talvez, coincidências como essa imagem aqui embaixo.

 

É verdade que não pode entrar com lentes maiores que 150 mm?

Sim, legalmente é proibido entrar com lentes maiores do que 150 mm. Mas, na prática, as pessoas costumam levar todo tipo de lentes, de todos os tamanhos, sem serem incomodadas.

Eu mesmo vi pessoas com lentes bem maiores do que as minhas fotografando normalmente.

 

É verdade que não pode entrar com tripé?

A mesma resposta acima. Vi turistas com tripés também.

 

Existe alguma proibição em relação a tipos de câmeras fotográficas?

Não.

 

É possível fotografar o Arirang livremente?

O espetáculo, sim. O público, não. E você não pode filmar o show inteiro também. Existem fiscais que ficam de olho, procurando quem não desliga a câmera.

 

Alguma dica de ouro relacionada a fotografia?

Sim.

– Prepare-se para fotografar em ambientes com muito pouca luz. Com exceção dos hotéis, quase todos os lugares fechados na Coreia do Norte (e isso inclui o metrô) têm lâmpadas fracas e em quantidade pequena. Você vai precisar colocar o ISO lá em cima ou usar um tripé na maior parte do tempo.

– Se o seu objetivo principal é fotografar, vá em um tour privado. Com um guia só para você, é possível ficar mais tempo nos lugares para trabalhar com calma, montar tripé, esperar a luz ideal, essas coisas. Também é possível parar em locais que você achar interessantes nas estradas, esperar pela blue hour nos pontos turísticos principais e até dar algumas voltas à noite, para registrar a vida noturna.

Em um grupo, tudo isso fica prejudicado, já que o guia não pode satisfazer as vontades de todos.

 

Também escrevi um post sobre a minha experiência nos mass games. Se quiser saber mais, leia.

 

Quando acontecem os mass games?

Eles costumavam acontecer anualmente, mais ou menos entre agosto e outubro. Porém, não aconteceram em 2014 e não são esperados para 2015. Torçamos para que voltem logo.

Uma alternativa a eles são as paradas militares. Elas não têm uma temporada fixa, mas são esperadas (o que não é uma garantia, é apenas uma expectativa) nos dias 15 de agosto e 10 de outubro, em 2015.

 

Quanto custam os ingressos para os mass games?

Os setores onde estrangeiros podem assistir aos mass games são divididos em terceira, segunda e primeira classe, além da área VIP. Os valores podem mudar, mas em 2012 foram, respectivamente 80, 100, 150 e 300 euros.

 

É possível fotografar os mass games?

Sim, à vontade. Só é proibido fotografar a plateia.

 

É possível filmar os mass games?

Sim, mas não todo o espetáculo e fiscais ficam de olho para ver se você desliga sua câmera de tempos em tempos. Se quiser ter um vídeo completo, compre um DVD na saída, custa poucos euros.

 

Como posso comprar meus ingressos?

Os ingressos são comprados no mesmo dia do show. Seu guia vai perguntar qual lugar você quer e você só precisa dar o dinheiro para ele.

 

Como posso pagar os ingressos?

Como tudo na Coreia do Norte: em dólar, euro ou yuan chinês.

 

Dicas extras sobre os mass games:

– Os assentos VIP custam o dobro dos assentos de primeira classe, mas não valem o dinheiro. Digo isso com propriedade: fui duas vezes e experimentei os dois setores.

– Na primeira classe e na área VIP você fica sentado junto a uma mesa enorme. Sabe os lugares onde ficam os narradores em jogos de futebol? É parecido. Dá para você jogar todas as suas tralhas ali em cima e, se for o caso, apoiar um tripé discreto para fotografar.

– Não passe o tempo inteiro fotografando. Curta um pouco o show. Até porque suas fotos vão acabar sendo muito parecidas com as de outros fotógrafos que foram para lá. O espetáculo e os lugares reservados para estrangeiros são os mesmos, não tem como fazer muito diferente.

– Leve um casaco, meu filho. O estádio é aberto e pode fazer um friozão.

 

Essa é quente e me surpreendeu.

Segundo a guia inglesa que acompanhou a minha viagem, tours privados para grupos com 6 pessoas podem sair mais baratos do que tours em grupos pré-definidos (dependendo da duração da viagem é claro).

Isso significa que você pode reunir alguns amigos e conhecer a Coreia do Norte pagando menos do que imagina, com a vantagem de poder escolher o que quiser ver e com mais liberdade do que em um grupo pré-definido.

Partiu Coreia do Norte com o pessoal?

*****

Gabriel Quer Viajar foi para a Coreia do Norte com o apoio exclusivo da Koryo Tours.

*****

Gostou? Leia também os outros posts sobre a viagem à Coreia do Norte

ANTES DA VIAGEM (estudos e preparativos):

– Por Que Pra Lá – Coreia do Norte

– Visto norte-coreano: uma experiência surreal

– O que se faz na Coreia do Norte

– O que se faz na Coreia do Norte (segunda parte)

– Curiosidades norte-coreanas

DEPOIS DA VIAGEM:

– Coreia do Norte: o país mais estranho do mundo é um país deste mundo

– As (minhas) melhores imagens da Coreia do Norte (como fotografar no país)

– Arirang. A Coreia do Norte a cores

– Air Koryo, a Coreia do Norte que voa

– Dançando com norte-coreanos

– O que fiz na Coreia do Norte – 1º e 2º dias

– O que fiz na Coreia do Norte – 3º e 4º dias

– O que fiz na Coreia do Norte – 5º dia

– O que fiz na Coreia do Norte – último dia

– Tony Wheeler na Coreia do Norte

– Gabriel Quer Viajar na CBN

– É ético ir para a Coreia do Norte?

– Mulheres de Conforto

– Meu longa-metragem na Coreia do Norte

– Coreia do Norte: 5 mitos derrubados

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    39 Comentários
  1. Olá, Gabriel! Parabéns pelo seu blog. Eu queria saber se os norte-coreanos podem viajar para outros países, ou se eles não tem essa liberdade de forma alguma. Abraço.

    • Kiki, depende do grau de confiança do governo no norte-coreano. Tem gente lá que viaja, sim. Outros não.

  2. Olá Gabriel. Estou usando seu blog como principal fonte para uma viagem à Coréia do Norte. Muito bem detalhado e com ótimas dicas!
    Só fiquei com uma dúvida:
    Casais homossexuais tem problemas no país?
    Se um casal gay quiser fazer uma viagem junto para a Coréia do Norte, ele sofrerá algum tipo de repressão?

  3. ¡Hola! Soy yo de nuevo… ☺️ Pelo que aprendi com teu blog, a Coreia do Norte é um país fechado para o mundo, talvez o mais fechado de todos, mas os próprios norte coreanos não revelam detalhes sobre o dia a dia deles, não falam se tem vontade de sair dali, por medo de que o turista seja um espião do governo, néh? A qualidade de vida é ruim, mas não acredito que esse país vá mudar a ditadura disfarçada de socialismo, néh? Então, o povo finge que tá tudo bacana, fingem que a vida deles é uma maravilha, por medo de que o turista seja espião do governo, é isso?

  4. Gabriel, o que você quis dizer com ladainha comunista? Fiquei curioso

    • Guilherme, me refiro àquele papinho chato de que o sistema é o melhor do mundo e tal. =)

  5. Parabéns pelos posts. Fantásticas observações. Muito úteis.

  6. 1 2 3
Deixe seu Comentário