Mais uma participação especial da dona Sônia aqui no blog. Desta vez ela vem nos contar qual seria o roteiro ideal por Inhotim, visitando com calma suas obras favoritas por dois dias.

Aproveitando nosso passeio por Minas Gerais, com base em Belo Horizonte, não podemos deixar de fazer uma visita ao Inhotim, este importante Museu de Arte Contemporânea.

Inhotim

Alguns especialistas em arte contemporânea dizem que não se deve explicar a arte contemporânea, deve-se senti-la e vivenciá-la. Foi com esse pensamento que Inhotim nasceu. Hoje, o museu cresceu tanto que são necessários dois dias para poder aproveitá-lo por completo 🙂

Não existe uma ordem correta para visitar Inhotim. Tudo que eu posso fazer é dizer como eu preferi conhecer o museu, suas obras e instalações para que você possa tirar suas próprias conclusões 😉

Roteiro de Inhotim - Jardins

1o. Dia

Chegando a Inhotim , passe pela portaria e siga a trilha até o primeiro lago, pense nesse lago como o centro, ou a base do seu caminhar. Inicie seu passeio pelo lado direito, caminhe até uma das obras mais distantes, o Sonic Pavillion, de Doug Aitken. Este é, para mim, um dos pontos altos de Inhotim. Nessa instalação você terá acesso aos sons da terra e perceberás que a terra pulsa.

Roteiro de Inhotim - Sonic Pavilion

Continuando com a sua caminhada, você deverá ver a instalação de Matthew Barney, uma escultura instalada dentro de grandes domos geodésicos, circundada por uma floresta. Segundo o próprio Inhotim, o artista “construiu uma complexa narrativa sobre o conflito entre Ogum, senhor orixá do ferro, da guerra e da tecnologia e Ossanha, o orixá das florestas, das plantas e das forças da natureza.”

Seguindo pouco mais, você vai se deparar com uma das instalações, que na minha opinião, é a mais chocante. Uma série de fotografias de Miguel Rio Branco. Impressionante.

Depois disso, sinta a tranquilidade do lago. Ali do outro lado está uma instalação chamada True Rouge, do Tunga. Entre, caminhe, qual será sua interpretação?

Roteiro de Inhotim - True Rouge

Ao sair, não se deixe levar pelos aromas da pequena cantina que tem ao lado. Se já estiver perto da hora do almoço, não resista, volte mais um pouco e aproveite outro dos prazeres de Inhotim e faça uma refeição no Restaurante Tamboril. Isso lhe dará força para o segundo tempo 🙂

Comece essa nova etapa, visitando as instalações do famoso Cildo Meireles. Espero que você goste tanto quanto eu da obra Através. Visite também Desvio para o vermelho e Glove Trotter.

A próxima parada será na instalação sonora de Janet Cardiff, Forty Part Motet, uma beleza para os ouvidos. Caminhe pelo círculo de autofalantes e se deixe levar pela música.

O dia está terminando. Você deve deixar as instalações até as 16h30. Voltaremos amanhã, certo?

2o. Dia

Hoje o dia começa pelo lado esquerdo da portaria. Passe pelas instalações do Cildo Meireles novamente. Se você, como eu, gostou bastante do Através, utilize a instalação para cortar caminho e aproveite para apreciá-la novamente. Suba, então, até o segundo ponto mais alto de Inhotim.

Lá no alto, você encontrará duas instalações importantes: primeiro a Beam Drop, de Chris Burden, com suas estacas de aço jogadas em concreto, depois uma obra de Carlos Garaicoa, Ahora Juguemos a Desaparecer. Esta instalação é toda composta por velas produzidas em Inhotim e trocadas assim que perdem as formas. A cada visita você verá a obra de arte em um estágio diferente, numa interessante proposta.

Roteiro de Inhotim - Beam Drop Cris BurdenRoteiro de Inhotim - Restaurante Tamboril

Caminhando um pouco pelo lado direito verá a instalação sonora de Janet Cardiff & George Bures Miller, The murder of Crows, um ponto para descansar e ouvir a história sofrida.

Para quem gosta de plantas, mais a frente é possível conhecer o trabalho de botânica de Inhotim e conhecer inúmeras plantas que fizeram ou fazem parte do cotidiano da vida no interior do Brasil como ervas que muito auxiliaram aqueles que ficavam distantes da medicina tradicional, assim como ervas muito utilizadas na culinária popular.

Volte uma parte do caminho até o Beam Drop e siga para o lado esquerdo, até encontrar a Cosmococa de Helio Oiticica e Neville de Almeida. E aí, gostou? Muito interativo, não é?

Roteiro de Inhotim - Elevazione

Continuando, encontrará a obra Linda do Rosário, da artista Adriana Varejão, uma das maiores instalações do Inhotim. Os trabalhos de Varejão estão divididos em três pavimentos. No primeiro, temos o famoso Linda do Rosário, instalação muito interessante. No segundo, temos o Celacanto Provoca Maremoto, inspirada na azulejaria portuguesa, e Carnívoras. No terceiro pavimento, temos os Passarinhos de Inhotim, perceba que alguns estão bem esmaecidos. Qual será o motivo?

Continue caminho em direção à portaria, e observe a construção que sobreviveu ao que era a antiga fazenda que deu origem a Inhotim: uma pequena casa de fazenda. Hoje toda caiada, é a instalação da brasileira Rivane Neuenschwader, chamada Continente/Nuvem, com lindas bolinhas de isopor que são movimentadas pelo teto.

O dia já deve estar quase terminando, hora de ver mais duas belas instalações: Abre a Porta e Rodoviária de Brumadinho, dos artistas John Ahearn e Rigoberto Torres. Lindos trabalhos em homenagem ao povo local.

Roteiro de Inhotim - Rodoviária de Brumadinho

E, finalmente, conheça a instalação de Lygia Pape, intitulada Ttéia 1C. Lygia é considerada uma das principais vozes das artes no Brasil da segunda metade do século 20. Essa instalação faz um jogo de luz e sombra com fios metalizados, quase como um descanso para os olhos depois de tantas informações.

E assim termino minha sugestão de roteiro pelo museu.

Dicas para visitar Inhotim

  • Use sapatos e roupas confortáveis, você irá caminhar bastante.
  • Não se esqueça do protetor solar.
  • Se não gosta muito de sol, evite ir no verão, pois as caminhadas poderão se tornam mais desconfortáveis.
  • Use os carrinhos (pagos à parte) caso você esteja cansado.
  • Se você tem dificuldades muito sérias de locomoção, Inhotim disponibiliza, por curtos períodos de tempo, um transporte especial. Basta solicitá-lo na portaria a partir das 10h.

Inhotim

Endereço:

Rua B, 20

Inhotim, Brumadinho

http://www.inhotim.org.br

Horário:

Terça a Sexta: 9h30 às 16h30

Sábado, domingo e feriados: 9h30 às 17h30

Ingressos:

Terça: Grátis

Quarta e Quinta: R$ 20,00

Sexta, Sábado, Domingo e feriados: R$ 28,00

Meia-entrada: maiores de 60 anos, crianças entre 6 e 12 anos e estudantes. Funcionários da Vale também pagam meia-entrada mediante apresentação do crachá da empresa.

Como chegar a Inhotim

Traslado pela empresa Saritur:

Saída Rodoviária de Belo Horizonte (plataforma F2)

Terça a Sexta: saída às 9h15 / retorno às 16h30

Finais de semana e feriados: saída às 9h15 / retorno às 17h00

Telefone: +55 (31) 3419-1800

http://www.saritur.com.br

Carro:

O caminho é bem sinalizado e você deve pegar as rodovias BR 381 e MG 155 em direção a Brumadinho.

Para completar ainda mais a sua experiência antes de conhecer Inhotim, veja também a série de posts e dicas sobre o museu no Viaje na Viagem e no Matraqueando.

Inhotim possui muitos caminhos, espero que você encontre o seu 🙂

Quem sabe você não deixa um comentário e nos ajuda a construir um novo?

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros de Belo Horizonte \o/

Se gostou do que viu, assine o blog!


Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback
  1. […] uma partida e outra, reserve pelo menos um dia para visitar Inhotim, um dos maiores complexos de arte contemporânea do mundo – um baita […]