Uma viagem a um lugar exótico é um poço sem fundo de momentos críticos. São tantos que o meu mantra é: em alguma hora, algo vai dar errado. Não tem como escapar disso.

Entre esse mundaréu de momentos delicados, existe um que tem a maior e mais clara chance de virar pesadelo. E como ele é importantíssimo, também tem potencial para estragar a imagem do destino, talvez até arruinar toda a viagem.

theloushe (CC BY-NC-ND 2.0)

Esse momento é a Chegada No País Diferentão.

Se a viagem fosse a sua saúde, a Chegada No País Diferentão seria aquela hora em que você sai da frente de uma lareira e vai para a rua pegar chuva e frio. É quando a sua imunidade viajante desce a níveis mínimos e deixa você quase completamente desprotegido dos perigos ao seu redor. Daí para pegar uma gripe ou, no caso, dar chabu, é um passo.

O motivo é simples: a Chegada No País Diferentão é quando você está mais perdido na sua viagem.

Não adianta ter estudado o destino por anos, ter lido blogs detalhadíssimos e colecionado todas as dicas. Tudo o que você viu antes de chegar é teoria. Na Chegada No País Diferentão, você é apresentado à prática. E, na prática, você ainda não conhece ruas, direções, valor da moeda local, segurança, pronúncia correta de palavras básicas, nada.

Isso deixa você vulnerável a falcatruas e, caso seu corpo não seja feito de gelo, também deixa você nervoso e sensível a qualquer ocorrência fora do esperado. Sintomas que pioram se a Chegada No País Diferentão for à noite, se o turismo for muito pouco desenvolvido por lá, se a língua for muito diferente da sua ou se imagem do lugar for de “perigoso para os turistas”.

Tragicamente, é justamente nesse cenário de fraqueza que você precisa enfrentar aqueles que talvez sejam os maiores proporcionadores de experiências desagradáveis em viagens: os aproveitadores nos aeroportos, os taxistas e os hoteis ruins.

Já no aeroporto, logo que você pisa fora da área de desembarque e as portas automáticas se fecham, você é abordado por um monte de gente oferecendo um monte de coisas. Se bobear, confuso por tudo o que eu citei acima, você sofre o pênalti ali mesmo.

No caminho para o hotel é a mesma coisa. Se a cidade onde você desembarcou não tiver um sistema de transporte excelente, você vai pegar um táxi e vai precisar ficar de olho no taxista, no taxímetro, no caminho que ele estiver fazendo e nas malas. E vai ter a sensação de que será solenemente ludibriado ao final do trajeto.

Por fim, chegando no hotel, você ainda precisa torcer para que os poucos reviews que você leu nos sites de avaliações fossem corretos e para que o custo-benefício seja o que você imaginava. Se a escolha tiver sido errada, bingo!, a profecia da Chegada No País Diferentão terá sido cumprida.

E como a vida é sarcástica até o talo, todos estes fatores acontecem juntos em um momento crucial: na hora em você está tendo as suas primeiras impressões sobre o local e montando o seu humor para o que vem pela frente.

É praticamente uma bomba destruidora de imagens preparada para ser detonada.

Gabriel Prehn Britto (CC BY-NC-ND 3.0)

A boa notícia é que é bem fácil diminuir as chances de que algo azede na Chegada No País Diferentão.

Eu, por exemplo, sigo quatro regrinhas básicas:

1 – Escolho o melhor hotel que meu dinheirinho puder pagar;

2 – Dou preferência para um hotel com padrão internacional, porque a Chegada No País Diferentão não é o melhor momento para fazer experiências;

3 – Peço um quarto privativo, se possível, porque é fundamental se sentir confortável nessa hora;

4 – Pergunto se o hotel oferece transfer do aeroporto. Se não oferecer, vou atrás de um serviço independente.

Com este quarteto de pequenos cuidados, eu diminuo enormemente as chances de algo acontecer na Chegada No País Diferentão. A intenção é fazer com que as primeiras noites sejam mais confortáveis e menos suscetíveis a perrengues.

É lógico que eu acabo gastando mais no primeiro hotel, mas consigo compensar a baixa no orçamento me hospedando em lugares mais baratos (e com mais charme local) ao longo da viagem, quando eu já estou familiarizado com o país e, portanto, menos vulnerável e sensível.

Também é lógico que nada garante que o hotel mais caro e mais internacional vá ser melhor do que o mais barato e típico, mas, convenhamos, a tendência é que seja.

Na questão do transfer, os ganhos são óbvios: eu chego no país com alguém me esperando, com uma plaquinha com o meu nome, referendado pelo meu hotel ou com uma empresa por trás. Pago uma graninha a mais por isso, é certo, mas muitas vezes nem é tão a mais assim.

Veja minha minha experiência no Irã, por exemplo.

Cheguei em Teerã depois da meia-noite, peguei meu transfer particular de 18 USD (apenas 3 USD a mais do que o preço tabelado do trajeto) e fui para o meu hotel de 85 USD (apenas 49 USD mais caro do que melhor hotel-pechincha indicado pelo Lonely Planet). O resultado deste investimento de 52 USD foi uma primeira impressão maravilhosa da cidade, tanto que me apaixonei por ela.

A Chegada No País Diferentão é delicada, mas em culturas e economias diferentes, a solução pode ser bem mais barata do que a gente imagina.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    19 Comentários
  1. Uma coisa que aprendi depois de algumas viagem é que vale a pena investir uma graninha para ser recpcionado na saída do desembarque. É a maior mão na roda e além disso você ainda fica se sentindo meio vip vendo seu nome numa plaquinha. Parabéns pelo post Gabriel, traduziu bem essa chegada num lugar diferente
    abs

  2. Puxa, dicas muito simples, mas que fazem A diferença! Obrigada por compartilhar Gabe :*

  3. Excelentes dicas, Gabriel! Acho que tenho PhD em perrengues, porque acredito na minha “savviness”, mas como vc mesmo disse, volta e meia alguma coisa vai dar errado. – e da’.

  4. Sem dúvidas, ótimas regras.

  5. Parabéns pela postagem Gabriel, fico feliz por encontrar conteúdos assim de ótima qualidade. Eu também escrevo sobre viagens e turismo no meu site http://www.superdicasdeviagem.com e sempre acompanho seu conteúdo. Você está de Parabéns mesmo, continue sempre assim, espero um dia ainda poder fazer alguma parceria com você!! Sucesso sempre!

  6. Gabriel, vc é top!!!!
    Parabens pelos relatos. Estou adorando seu site!!!
    Achei seu site procurando informações para ir pro Vietnam, Laos, Camboja e Tailândia

  7. 1 2
Deixe seu Comentário