Procurando por um destino diferente? Inusitado? Praticamente intocado? Que tal incluir o arquipélago chileno de Chiloé na sua lista de roteiros? A cerca de 80 km de Puerto Montt, fica um dos destinos mais rústicos e não menos interessantes do Chile.

Chiloé

A região é repleta de programas e passeios de puro contato com a natureza, mas seu passado, suas tradições e seus mitos que ainda rondam as conversas dos moradores também merecem a sua atenção. Uma experiência única que só Chiloé pode oferecer.

Hoje a pesca e o turismo são as principais fontes de rendas das cidadezinhas do arquipélago, também chamadas de comunas. Cerca de 30 a 40 ilhas formam a região e suas principais comunas são Ancud, Chonchi e Castro, de onde partem muitos passeios de barcos pelas outras ilhas menores.

Chiloé - Baía de Rilan

Passeios em Chiloé

Circuito de igrejas tombadas pela Unesco

Você sabia que parte das igrejas de Chiloé estão na lista oficial de Patrimônios da Humanidade da Unesco? Pois é 🙂 Essa é uma forma muito bacana de reconhecimento internacional da importância e do valor histórico, cultural e arquitetônico das igrejas construídas pelo povo chilote.

São cerca de 70 igrejas expalhadas pelas diversas ilhas, todas feitas em madeira e datando da época das colonizações Jesuíticas. Dá até pra fazer um roteiro só pelas igrejas 😉

Casas de palafitas em Castro

As típicas casas de palafitas, cartão postal de Chiloé, ficam em Castro. Depois de um forte terremoto que atingiu a região, algumas dessas estruturas ficaram mais fragilizadas, infelizmente :/

Jardins e museus em Ancud

O jardim do Fuerte San Antonio e o Museo Regional de Ancud ou Museo Azul de las Islas de Chiloé, são duas paradas importantes para quem quer conhecer um pouco mais sobre o passado de Chiloé e a história dos últimos colonizadores da Espanha. O museu guarda em seu acervo importantes peças que lembram a história do arquipélago.

Feira local da comuna de Dalcahue

Este é o ponto ideal para quem gosta de comprar artesanato regional e ainda saborear pratos típicos da região como um belo local 😉

Passeio até a pinguinera

A pinguinera de Puñihuil, localizada na baía de mesmo nome perto da cidade de Ancud, é o ponto de encontro de simpáticos pinguins que escolheram o destino como férias de verão 😛 E quem consegue resistir a eles, não é mesmo?

Prática de esportes e atividades ao ar livre

Caminhada, caiaque, cavalgada, pesca esportiva e observação de pássaros (birdwatching) são algumas das atividades disponíveis na região. Alguns hotéis mais exclusivos oferecem passeios e roteiros diferentes para os seus hóspedes, por isso vale confirmar a programação antes de fechar algum pacote.

Chiloé - Catedral de CastroChiloé - Quemchi

Navegação

Uma maneira bacana de conhecer as pequenas ilhotas que fazem parte de Chiloé, é aproveitando os passeios de barcos oferecidos. Nesse quesito, o verão é mais generoso com o turista que quer aproveitar dias mais ensolarados, com temperaturas amenas e que quer fugir das chuvas.

Comidas típicas

Impossível seguir viagem e não provar o tradicional curanto, um prato típico preparado com muito orgulho pelos moradores locais para os turistas que visitam as ilhas. O prato é composto essencialmente por cozido de mariscos, carne de porco e linguiças que ficam cozinhando na terra com pedras quentes e cobertas por uma folha chamada nalca, típica da região. O prato pode vir acompanhado de panquecas de bacana e um tipo de vinagrete.

Como chegar a Chiloé?

Você pode voar de Santiago até Puerto Montt e seguir de ferry, passando pelo Canal de Chacao, até as ilhas, ou incluí-las no seu roteiro pelos lagos chilenos ou como um trecho extra do cruce de lagos andinos. Neste último caso, você precisará passar por Puerto Montt ou Puerto Varas. Por fim, um pequeno aeroporto foi instalado na cidadezinha de Castro e alguns vôos internos do Chile seguem até lá, dispensando a necessidade de um ferry para chegar a Chiloé.

Outra dica bacana para quem quer explorar a região com mais liberdade é alugar um carro. Assim você consegue percorrer várias das ilhas no seu próprio ritmo. Se dirigir por conta própria não fizer parte dos seus planos, vale contratar os tours oferecidos pelas empresas de receptivos.

Chiloé - Passeio de barco pelas ilhas

Quantos dias ficar em Chiloé?

Depende do compasso da sua viagem e de quantos programas você pretende fazer. Muitos viajantes conhecem Chiloé apenas como um bate e volta de Puerto Varas para conhecer a pinguinera. Outros já preferem se dedicar mais à parte histórica das ilhas e curtir os passeios exclusivos oferecidos pelos novos hotéis. Nesse caso, considere pelo menos três dias para conhecer bem a região 🙂

Onde ficar em Chiloé?

Por ser um destino ainda em desenvolvimento, alguns empreendedores resolveram apostar no potencial de Chiloé e lançaram hotéis de alto padrão. Alguns ainda estão funcionando num esquema de soft openning, o que pode garantir tarifas mais acessíveis do que hotéis concorrentes da mesma categoria em outros destinos patagônicos. Uma #oportunidade para você que sonha com uma lua de mel diferente 😉

Se você gosta de hotéis com mais personalidade, comece procurando pelo Hotel Parque Quilquico, Centro de Ocio Hotel ou Refugia 😉

Você já pensou em conhecer Chiloé? Não é um destino incrível? 🙂

Leia também:

Sul do Chile | Chiloé: uma beleza bruta no Viaje na Viagem

2 países, 3 barcos, 4 ônibus: como é o Cruce de Lagos no Viaje na Viagem

Lugares improváveis: Um segredo no Chile chamado Chiloé no Vambora

Sundaycooks viajou a convite da SERNATUR.

Fotos: Divulgação

Se gostou do que viu, assine o blog!


    2 Comentários
  1. Quem se interessar por Chiloé tem que ler o livro de Isabel Allende “O Caderno de Maya”.

Deixe seu Comentário