A Ana Luíza deixou um comentário aqui no blog tão completinho que decidimos transformá-lo em post 🙂 Obrigado Ana Luíza pelo relato!

Primeiro gostaria de agradecer ao Blog e ao pessoal que comentou aqui dando tantas dicas. E como forma de agradecimento também deixarei algumas dicas e impressões.

Relatos da Ana Luíza: Valle Sagrado 2

Onde ficar em Cusco e Aguas Calientes?

Dormi em Aguas Calientes no Pirwa Hostel na ida. É tranquilo, nada demais, super em conta.

Em Cusco, fiquei no Pariwana Hostel e super indico. O albergue é incrível! Muito confortável, muito barato e toda noite tem uma atividade que faz com que a galera do albergue se conheça e interaja. Uma pena que eu só participei na minha última noite, porque nos outros dias eu estava muito cansada, mas me arrependo de não ter esticado um pouco mais.

Onde ficar em Cusco, Machu Picchu e Valle Sagrado?

Dicas para montar um roteiro redondinho pelo Peru 🙂

Relatos da Ana Luíza: HotelRelatos da Ana Luíza: Valle Sagrado 1

Dinheiro

Com relação ao dinheiro, levei o cartão de débito desbloqueado, dólares e reais. Tentei passar o cartão de débito umas três vezes e não funcionou. Acabei não tentando sacar dinheiro, porque fiquei com medo de quanto viria o câmbio e meu banco cobrava 12 reais a cada retirada, então achei que não valeria a pena.

O câmbio lá estava em média de 1 dólar = 3,20 soles e 1 real = 0,82 soles (no último dia, 08/09, eu perguntei e estava 0,75 soles. Bizarro como desvalorizou rápido). Por curiosidade perguntei quanto era a conversão de real para dolares, e por incrível que pareça estava mais barato do que paguei no Brasil antes do aumento (R$ 3,78). Talvez seja por causa do IOF, já que eles não pagam imposto na troca de dinheiro.

Qual moeda levar para o Peru?

Relatos da Ana Luíza: Machu Picchu 1Relatos da Ana Luíza: Machu Picchu 2

Tours guiados

Voltei há alguns dias de Cusco depois de 6 dias. Fechei o tour privado de dois dias com o Rafael e ele é incrível, valeu cada centavo! Sempre pontual, respondendo a todas as nossas perguntas e muito solícito. Na hora de contratá-lo, perguntem se vão visitar Qorikancha, porque nós só percebemos que não visitaríamos no último dia (falha nossa que não pedimos mesmo, não foi do Rafael).

Também fiz um dia de tour privado com os meninos (Aleks e Pedro) que postaram aqui no blog que tinham fechado com o José Miguel. Fomos para o Vale Sur, mas, como eu tinha acabado de voltar de Machu Picchu, tudo perde um pouco a graça. Nesse tour não foi o José Miguel que nos guiou, foi a Maria, mas ela é ótima também.

Em Machu Picchu, o Rafael disse que tinha um guia para indicar que cobraria 50 dólares pelo tour privado, mas achamos muito caro por 2h e resolvemos fechar lá na hora mesmo. Quando chegamos foi oferecido o tour privado por 140 soles o casal, entretanto encontramos três brasileiras e resolvemos dividir o passeio com elas.

Contratamos um guia que nos cobrou 20 soles por pessoa e foi a pior coisa que eu poderia ter feito. Ele era muito ruim! Quase ficamos sem conhecer a parte baixa da cidade Inca e só visitamos porque uma das brasileiras pediu. Além disso, ele deixou de mostrar várias outras coisas 🙁 Arrependo-me de não ter fechado com o guia que o Rafael havia nos indicado. Ainda bem que o ele foi tão excelente e nos falou várias coisas sobre Machu Picchu durante os dois dias que esteve com a gente, inclusive desenhando um mapa no último dia. Ele é um fofo!

Agência de viagem do Peru, qual você indica?

Tour no Peru: privado ou compartilhado? O que vale mais a pena?

Visitando o Valle Sagrado dos Incas: tirando todas as dúvidas

Relatos da Ana Luíza: Valle Sagrado 3

Trem para Aguas Calientes

Quanto ao trem para Machu Picchu, nós fizemos a burrada de comprar nos horários mais tarde na volta e, por isso, resolvemos pegar um albergue em Ollantaytambo que foi o pior que já fiquei na minha vida. JAMAIS fique no Chaska Hostel em Ollanta.

Se puderem, peguem os trens sempre depois das 15h, tanto na ida para Aguas Calientes quanto na volta. Eu acabei trocando o horário do meu trem lá por conselho do Rafael para esse de 15h, pagando alguns dólares (6 na ida e 3 na volta). Tem uma loja da Peru Rail na Praça São Francisco, é super fácil de trocar.

Como ir para Machu Picchu?

Aguas Calientes: um pit stop recomendado antes de Machu Picchu

Relatos da Ana Luíza: Valle Sagrado 4

Trilhas em Machu Picchu

Fizemos a trilha da Montaña Machu Picchu e definitivamente ela é punk. Quem for do Rio de Janeiro, ela pode ser comparada à Pedra da Gávea (sem a carrasqueira). Fiz a subida em 2h parando bastante e desci em 1h direto. Eu acho que esse passeio vale a pena por ser um desafio, mas a vista em si não tem nada demais. Se você é sedentário, pense duas vezes.

O Rafael disse que podíamos ir à Puerta del Sol, uma outra trilha lá em Machu Picchu, e que valia muito a pena, mas não conseguimos ir depois da Montaña, porque o tempo tava fechado e ficamos com medo de chover na trilha, além de estarmos mortos. Às vezes, é melhor comprar o ingresso sem nenhuma trilha e fazer essa da Porta do Sol que é mais tranquila, tem umas ruínas e dizem que é lindo também.

Machu Picchu: eram os deuses astronautas?

Como se preparar para fazer a Trilha Inca no Peru?

Relatos da Ana Luíza: Machu Picchu 3

Média de gastos no Peru

Alguns preços de que me lembro:

  • Tour Rafael por casal 2 dias: 230 dólares
  • Táxi aeroporto – praça das armas em Cusco: 6 soles (ida) e 7 soles (volta): não pegue o táxi dentro do aeroporto, saia e pegue do lado de fora que é mais barato.
  • Táxi Ollantaytambo para Cusco: 10 soles por pessoa: pergunte se é coletivo
  • Gorro típico: Compre em Cusco mesmo, comprei em Pisac por 15 soles e vi em Cusco por 5 soles. É muito mais barato!
  • Noite no Pariwana: Quarto com 12 pessoas = 29 soles. Quarto com 10 pessoas = 32 soles
  • Noite no Chaska: 43 soles o casal no quarto compartilhado (acho que eram 10 pessoas)
  • Noite no Pirwa: 12 dólares no quarto compartilhado (acho que 4 pessoas)
  • Refeição: em média 20 a 25 soles (nada muito elaborado)
  • Tour privado Valle Sur (4 pessoas): 70 dólares o casal
  • Boleto Turístico: 130 soles

Relatos da Ana Luíza: Machu Picchu 4

Dicas finais

  1. Tentem não marcar os tours muito cedo. Nós marcamos e nos arrependemos um pouco, porque chegávamos super cansados e não dava pra aproveitar a noite, já que no dia seguinte teríamos que acordar cedo de novo
  2. Bebam e abusem do Pisco
  3. Deixem Machu Picchu para o último dia
  4. Deixem pra comprar as coisas típicas em Cusco pois é mais barato
  5. Sempre barganhem preço
  6. Compre o chip da Claro fora do aeroporto que é mais barato! No aeroporto queriam cobrar 75 soles, mas, na loja em Cusco, pagamos 6 soles pelo chip e 10 soles para internet (200MB durante 5 dias. Tem o plano de 750MB por 10 dias também)
  7. Não ache que você está no deserto quando for para Machu Picchu e evite levar 3l de água como eu. Não se esqueça de que a água pesa e você vai passar o dia inteiro com isso na mochila! A garrafa pequena lá na entrada para a trilha da Montaña estava 5 soles. É bem caro, mas, sinceramente, era melhor do que subir a trilha com 3l de água nas costas. Acho que 600ml basta e se faltar, compre.
  8. Passem protetor solar na nuca e nos braços, o sol de lá é agressivo! Só passei no rosto e me ferrei.
  9. Prestem atenção no horário de embarque nos voos para Cusco. Eu perdi um voo por ter chegado apenas 20 minutos antes de decolar. Então, cheguem cedo no portão de embarque.

É isso, espero que possa ajudar à alguém como fui ajudada!

Relatos da Ana Luíza: Machu Picchu 5

Outros roteiros dos leitores

Viagem ao Peru: o roteiro da Giovanna

Viagem ao Peru: o roteiro da Ariane

Trilhas no Peru: os caminhos da Hosana para chegar a Machu Picchu

Como é o Inti Raymi, festa típica do Peru

Obrigado pelas dicas, Ana Luíza. Com certeza irá ajudar outros leitores 😀

Se você também quiser deixar seu relato de viagem aqui no blog, seja sobre o Peru, seja sobre outro destino, basta deixar um comentário com seu relato ou entrar em contato no formulário desta página. Os relatos mais interessantes serão transformados em posts 😉

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Fotos e texto: Ana Luíza

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    4 Comentários
  1. Muito bom. Estivemos em Cusco até domingo passado. A cotação no aeroporto era 1 novo sol por 1,60 reais. Na praça de armas pagamos entre 1,35 a 1,25 real cada novo sol.
    Táxi do Wifala hotel (iglesia de la recoleta) até a Plaza de Armas variava de 4 a 6 soles, dependendo da vontade de negociar.

  2. Olá! Adorei suas dicas!!!Gostaria de saber o contato do Rafael que vcs fizeram o tour privado. Vc acha que vale a pena dormir em Ollanta? Tem coisas interessantes para ver? Pensei em dormir, pq queria fazer a viagem de trem para águas calientes de dia!

    • Oi fábia. O contato dele e de outras empresas e guias está no link abaixo:

      Agência de viagem do Peru, qual você indica?

    • Oi! Não acho que vale a pena dormir em Ollanta!! Vc pode e deve fazer a viagem de trem de dia! Super dá tempo se pegar o trem do final da tarde, acho que o meu foi o de 15h, comecei o tour com o Rafael as 7h da manhã e deu tempo de fazer tudo.

Deixe seu Comentário