Como é fazer uma trilha no Peru? Acho que essa é a pergunta de quase todo mundo que sonha com uma viagem pelo país. Belas imagens para te inspirar como aqui, aqui e aqui não faltam. Deve ser por isso que essa ideia sempre pulula na mente de todos, até na dos mais sedentários como eu :mrgreen:

Depois da minha última viagem pelo norte do Peru, creio que já posso opinar sobre o assunto com conhecimento de causa 😛

Cataratas de Gocta Amazonas Peru - 22

Trilhas no Peru: como são, onde vivem e o que comem?

Trekking no Peru não falta. Dos mais famosos, como a Trilha Inca e a Trilha de Salkantay, passando por aqueles que levam às Cataratas de Gocta e Revash, sempre haverá trilhas para todos os gostos e formas físicas 😉

Vejam os posts que falam sobre algumas trilhas no país:

Como se preparar para fazer a Trilha Inca no Peru?

Trilhas no Peru: os caminhos da Hosana para chegar a Machu Picchu

Amazônia Peruana: Cataratas de Gocta

Norte do Peru: entendendo a civilização Chachapoya

Não posso dizer que eu seja um trekkeiro experiente, mas conheço bastante do Peru (#tchdumpsh) pra dar algumas dicas sobre o que esperar dessa aventura no país.

Ah, e se você já fez alguma trilha no Peru, por favor nos conte como foi a experiência 😀

Machu Picchu - caminho até huayna picchu

Altitude

Essa é uma constante em praticamente todas as trilhas no Peru. Pelo norte, a mais baixa estava a 1600m, mas aquelas acima 3000m eram comuns. A Trilha Inca, Trilha de Salkantay e a que passa pelo Valle del Colca tem pontos que passam dos 4000m, enquanto outras podem passar dos 5000m. Ou seja, não subestime a altitude!

Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco

Fortaleza de Kuelap, Chachapoyas, Peru - 15

Também não é preciso desistir de um trekking por causa disso, basta apenas tomar os cuidados necessários e, se a trilha for longa, investir um pouco mais de tempo para se aclimatar antes de seguir viagem 🙂

Por exemplo, quem vai fazer trekkings que começam perto de Cusco, pode ficar alguns dias a mais na cidade se aclimatando. Foi isso que um grupo que ia para a Trilha Inca fez quando estivemos por lá. Durante alguns dias, eles fizeram passeios pelo Valle Sagrado a pé para se acostumarem com a altitude de 3300m antes de partirem.

Valle Sagrado - Tambomachay - grupo que ia fazer a trilha até o lago

Machu Picchu - um lugar calmo e tranquilo para uma leitura

Subidas e descidas

Outro fator muitas vezes subestimado. Não assuma que boa parte do tempo será gasto caminhando em estradas pavimentadas ou em caminhos planos. Como quase tudo são montanhas, você passará por lugares muito íngremes. Com sorte, eles terão escadas rústicas, mas o normal são terrenos acidentados, cheios de buracos e marcas de cavalos, principalmente se choveu há pouco tempo.

Norte do Peru chachapoyas - karajía 1

Transporte

Em muitos lugares, você chega até o início da trilha numa van ou carro. De lá, é tudo a pé. Já em outros, é possível alugar um cavalo ou burro para levar você por determinados trechos. Não é uma viagem confortável, principalmente nas descidas, mas é útil para descansar um pouco o pé ou pegar fôlego nos piores caminhos.

Cataratas de Gocta Amazonas Peru - 16

Duração

Como eu disse ali em cima, existem trekkings de todo tipo e tamanho. Os que eu fiz no norte duravam de 2 a 3 horas ida e volta, mas algumas podem levar vários dias. Se você não está na sua melhor forma, é interessante fazer alguns meses de academia, caminhada ou corrida com foco em trilhas caso decida pelas mais longas.

Nenhuma das que eu fiz me levaram à total exaustão, mas eu sempre tomava o cuidado de seguir no meu ritmo. Em Huayna Picchu, nós fizemos a subida em 1h30, um tempo bem acima do que o pessoal que mora por ali faz. Culpa dos 2400m de altitude e da nossa falta de forma física da época 😛 Ainda assim, valeu cada degrau, cada gota de suor e toda a superação e adrenalina para conseguir chegar no topo da montanha.

Machu Picchu: eram os deuses astronautas?

Norte do Peru chachapoyas - revash 3

Temperatura e roupas

Na altitude, a temperatura na sombra nunca é muito alta. 25C talvez seja o máximo que se pega em Cusco. Contudo, com o esforço e o sol, a temperatura aumenta bastante e o protetor solar é mais que necessário.

Quando o sol se põe, é importante estar bem agasalhado, pois é comum fazer de 5 a 10C, podendo chegar temperaturas negativas à medida que se sobe a montanha.

Por isso, consulte com antecedência as temperaturas que você pegará durante a trilha para não passar perrengue.

Mais uma foto da bela Machu Picchu

Comida e higiene pessoal

Leve sempre barrinhas de cereais, amendoim, nozes e alguma comida rápida e que possa lhe dar energia durante a trilha, além de sempre ter com você água ou algo para se manter hidratado.

Para as trilhas mais longas, as refeições maiores costumam ser feitas em paradas estratégicas nos acampamentos pelo caminho. Ainda assim é importante ter algo para comer e beber durante o dia.

Como é de se esperar, nas trilhas mais longas, há acampamentos em alguns pontos apenas e, muitos deles não tem chuveiro, por isso o ideal é levar também algum pacote de lenço umedecido para a higiene pessoal.

Trilhas no Peru: Trilha de Salkantay - acampamento

Preparação

Eu não acho que seja necessário fazer uma preparação muito forte para a maioria das trilhas, mas é sempre bom fazer pelo menos alguns meses de exercícios frequentes como caminhadas e academia, além de passar por um cardiologista antes da viagem. A altitude e as trilhas, por mais curtas que sejam, podem exigir do seu corpo muito mais do que ele está acostumado e é nesse momento que mora o perigo.

Agora é só se preparar e seguir viagem, pois as paisagens recompensam qualquer dificuldade que você possa ter pelo caminho 🙂

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Cataratas de Gocta Amazonas Peru - 32

Cataratas de Gocta Amazonas Peru - 20

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    6 Comentários
  1. Gostaria da tua opinião sobre o roteiro que elaborei e tirar uma dúvida
    dia 15 – Arequiopa- Cusco – aclimatação
    dia 16 – Cuzco City Tour – Qorikancha, Sacsayhuamán, Quenqo , Puca Pucara, Tambomachay
    dia 17 – Vale sagrado Pisac (feira e ruínas), Urubamba, Ollantaytambo pernoite em Ollantaytambo
    dia 18 – Trem de Ollantaytambo – Águas Calientes – ônibus Machu Pichu visita guiada no período da tarde em Machu Pichu pernoite Águas Calientes
    dia 19 – Subida cedo para ver o amanhecer em Machu Pichiu, subir Huayna Pichu as 7h-8h, e fazer a trilha Porto da sol e ponte Inca retorno para Cusco
    dia 20 – Passeio Chinchero, Maras e Moray pernoite em Cusco
    dia 21 – Retorno Brasil
    DÚVIDA: PARA FAZER SÓ OS PASSEIOS PELA PORTA DO SOL E PONTE INCA É NECESSÁRIO TER O INGRESSO?
    Obrigada

    • Fernanda,

      Sou roteiro ficou muito legal! Parabéns 😀

      A Porta do Sol é de onde os turistas que fizeram a trilha inca têm a primeira imagem da cidade perdida. Pra ser bem sincera, não sei qual é o melhor acesso a esse trecho para quem não está fazendo a própria trilha, mas isso deve ser fácil de descobrir assim que você chegar em Águas Calientes ou no escritório de informações turísticas em Cusco.

      Para a Ponte Inca você vai precisar comprar outro ingresso com certeza, porque ela fica dentro dos limites do parque.

      Será uma linda viagem! Divirta-se 😀

  2. Olá! Estou conhecendo o blog de vocês e estou adorando. Parabéns!!
    Gostaria de uma ajudinha de vocês. Estou querendo ir para o Peru em Agosto, passando por Lima 4 dias, Cusco 5-6 dias e Machu Picchu tentarei 2 dias. Essa organização está boa?
    Tenho visto em diversos sites e agências a abreviação USD. Ela se refere a soles ou a dólar?
    Onde compro a passagem do trêm para Aguas Calientes, a passagem do ônibus para MP e o ingresso de lá?
    Desde já agradeço. Abraços!!

  3. Olá, vocês sabem me dizer que horas escurece em Cusco no mês de julho?

    • Oi Bruna. isso vc pode ver nos sites de clima como weatherchannel.com 🙂 Eu não faço ideia hehehe

Deixe seu Comentário