atualizado em:

Vardzia, o mosteiro de cavernas

Eu não duvidaria se alguém me dissesse que a religiosíssima e montanhosa Geórgia tem tantos mosteiros quanto picos nevados. O […]

por Gabe Britto outros artigos do autor
atualizado em:

Eu não duvidaria se alguém me dissesse que a religiosíssima e montanhosa Geórgia tem tantos mosteiros quanto picos nevados. O país foi o segundo do planeta a se declarar oficialmente cristão, lá no ano 320, o que significa 17 séculos construindo residências para monges e freiras – algumas exatamente em cima dos tais picos nevados.

Poucos mosteiros, porém, devem ser como Vardzia. Afinal, construir um negócio deste tamanho na rocha não me parece tarefa para qualquer fiel. E não foi mesmo.

Vardzia vista oposta

A construção de Vardzia, há quase 900 anos, exigiu a ordem e a dedicação de um rei e de sua sucessora: Jorge III e a filha Tamar. A ideia inicial era construir apenas um forte na esquina da Geórgia com a Turquia e a Armênia, mas Tamar – que hoje é oficialmente a Santa Tamar – mudou o propósito depois da morte do pai e ordenou que o lugar virasse um mosteiro. E assim foi.

Jorge e Tamar (domínio público)
Jorge e Tamar (domínio público)

A montanha de 100 metros de altura foi dividida em 13 andares com 119 grupos de cavernas, 409 quartos, 25 adegas (porque ninguém era de ferro nos anos 1100, né?) e nada menos que 13 igrejas.

Vardzia placa

Vardzia vista

Vardzia geral

A cruz de Santa Nino, famosa na Geórgia
A cruz de Santa Nino, famosa na Geórgia

Vardzia panoramica

A principal é a lindíssima igreja da Dormição, onde estão pinturas de cenas bíblicas, originais da época da construção de Vardzia, além de uma pintura onde a própria rainha Tamar aparece e que foi feita enquanto ela era viva.

Vardzia sino

É proibido fotografar dentro da igreja. Isso foi o que consegui por uma porta aberta
É proibido fotografar dentro da igreja, isso foi o que consegui por uma porta aberta.

Ao longo do tempo, Vardzia cresceu e virou uma cidade. As cavernas chegaram a abrigar 2 mil monges, enquanto os arredores da montanha viraram o lar de quase 30 mil pessoas.

Então veio um terremoto, depois vieram os invasores mongóis, os persas, os russos, e Vardzia foi alternando momentos de abandono total com outros de leve atividade religiosa. Até que, em 1999, voltou a ser um mosteiro.

Hoje, só 6 monges moram nas cavernas e dividem as trilhas vertiginosas da montanha com os turistas que encaram os 300 km entre ela e a capital Tbilisi.

Não incomode os monges
Não incomode os monges

É um caminho puxado para uma visita, porque não existe muito mais para ser visto na região além da paisagem linda e de algumas ruínas de fortes e caravanserais. Mas, para mim, valeu o desvio no caminho.

Do mesmo jeito que alguns picos nevados da Geórgia são mais bonitos que outros, Vardzia é mais bonita e infinitamente mais interessante que muitos mosteiros do país.

 Dicas para ir a Vardzia

• Onde fica?

Na Geórgia, num cantinho onde ela se encontra com a Turquia e a Armênia (veja o mapa abaixo).

• Como se chega lá?

Via Akhaltsikhe, a maior cidade dos arredores, a pouco mais de 200 km de Tbilisi.

O ideal é você programar duas noites em Akhaltsikhe, porque Vardzia não é uma day trip fácil de qualquer outro lugar. Você vai precisar chegar, dormir, ir para Vardzia, voltar para Akhaltsikhe e continuar a viagem no dia seguinte.  

Alguns guias também indicam Borjomi, mas essa é mais distante de Vardzia e muito menos interessante (e olha que a própria Akhaltsikhe é praticamente nada).

Um prédio
Um prédio em péssimo estado, em Borjomi

• Duas noites em Akhaltsikhe? Sério?

Sim, sério. Aqui embaixo você vai ver que o caminho entre a cidade e Vardzia não é rápido e vai ficar apertado para ir até lá e depois ir para outro lugar.

• Existe hotel em Akhaltsikhe?

Sim, e muito bom: o hotel Lomsia. Foi ótimo, muito bem localizado. É o mais top da cidade, mas o preço não é nada absurdo (porém pode mudar dependendo da época). Recomendo.

(Reserve no link acima via Booking, com possibilidade de cancelamento gratuito caso você mude de ideia.)

• Onde se come em Akhaltsikhe?

Existem vários restaurantes pequenos nos arredores do hotel Lomsia. É só escolher ou pedir indicações na recepção.

• Como se chega em Akhaltsikhe?

Deve haver transporte público, mas não tenho essa informação. Eu estava de carro alugado e fui para lá desde Kutaisi, pela estrada E60 até a cidade de Kashuri, onde peguei a S8. Procure pelas placas para Turquia e Armênia.

• Como ir de Akhaltsikhe até Vardzia?

Se você não tiver carro próprio, o jeito mais fácil é contratar um táxi (peça indicações no seu hotel). Se você tiver um carro alugado, procure as placas para a Armênia, que vão levar você até a estrada S11. Quando chegar perto de Khertvisi, preste atenção nas placas, porque você vai ter que sair da estrada e seguir por outra bem menor.

Parece complicado, mas é fácil.

• Quanto tempo devo prever de estrada?

Não é rápido. Apesar de estar a apenas 65 km de distância de Akhaltsikhe, as estradas passam por montanhas e têm muitas curvas. Eu passei 1h30 dirigindo (só de ida), incluindo aí algumas paradas para fotos e tal.

• A estrada é bonita, pelo menos?

Sim, linda.

Um forte no meio do caminho
Um forte no meio do caminho

Akhaltsikhe rio chuva

Akhaltsikhe forte abandonado

• Precisa pagar para entrar em Vardzia?

Sim, mas é uma merreca, coisa de menos de 2 dólares por pessoa. E se você pagar algo parecido a mais, pode subir a montanha na van que leva até lá em cima. Recomendo, porque é uma subida forte.

• Tem lugar para comer e banheiro em Vardzia?

Tem. Tudo muito simples, mas tem.

Vardzia restaurante

• Qual é a melhor época para ir a Vardzia?

Dizem que fica bem cheio no verão, então o melhor é escolher primavera ou outono. No inverno faz muito frio por lá.

• Alguma dica especial?

Não perca seu tempo visitando o tal castelo de Akhaltsikhe – que aparece em todos os anúncios turísticos da Geórgia. Ele foi totalmente reformado e ficou falso como uma nota de dois dólares. É péssimo.

Assine nossa newsletter!

Comentários