atualizado em:

Planetóvski Rússia: Chuváchia

Caramba, nem acredito que este é o post final da série Planetóvski Rússia. E ele ainda termina a novela com […]

por Gabe Britto outros artigos do autor
atualizado em:

Caramba, nem acredito que este é o post final da série Planetóvski Rússia. E ele ainda termina a novela com uma bela coincidência de números: foi uma viagem virtual por 21 repúblicas do país, ao longo de 2 anos 2 meses e 21 dias.

Para relembrar, essa viagem começou por um motivo triste, um acidente terrível que colocou nos noticiários mundias uma república de nome estranho, o Tartaristão.

Esse nome desconhecido gerou algumas perguntas na minha cabeça: quantas repúblicas existem na Rússia? Quais são os nomes delas? O que elas têm de interessante?

A busca longa e difícil pelas respostas me trouxe lugares incríveis, curiosidades excelentes e uma penca de destinos novos na minha lista (e espero que na sua também).

Não sei dizer qual dos destinos foi o melhor de todos. Sinceramente, acho que todas as 21 repúblicas apresentaram pelo menos um aspecto interessante.

 

O Tartaristão, berço da família de Charles Bronson, apresentou sua lindíssima capital Cazã.

 

A Adiguésia surpreendeu com as mulheres mais lindas do mundo.

 

Altai mostrou que é o Tibete russo.

Anton-S. (CC-BY-ND-2.0)

 

O Bascortostão encantou com sua intenção de se tornar “uma nova Meca para os turistas” até 2016.

Alexey Shockov (CC BY-SA 2.0)

 

A Buriácia mostrou a maior cabeça de Lênin de toda a Rússia (e do mundo?).

Hryck (CC BY-NC-ND 2.0)

 

O Daguestão meteu medo, apesar das paisagens lindas.

www.dagtourism.com

 

A Inguchétia se exibiu com o seu povo, os inguches, de uma etnia de origem desconhecida.

 

A Cabárdia-Balcária, apesar das paisagens lindas, deu dor de barriga com a privada mais perigosa do mundo.

i_bogin (CC BY 2.0)

 

A Calmúquia apareceu como o único lugar da Europa onde o budismo é a religião oficial.

JialiangGao – www.peace-on-earth.org

 

A Carachai-Circássia não tinha muitas atrações, mas dividia o Elbrus com a república vizinha, o que já é um feito.

Hombit (CC BY 2.0)

 

A Carélia, meu deus, me tirou uma dúvida enorme da cabeça: quem são aquelas pessoas que nasceram na fronteira da Rússia com a Finlândia? São os carélios. E eles ainda fazem igrejas como essas aqui embaixo.

 

Komi me chocou com uma atração tão incrível que acabou ganhando um post exclusivo: a Manpupuner.

All rights reserved by psaxtiria

 

Mari El ganhou o coração das Marianas leitoras do blog, com seus lugares chamados de “blablablá mari”.

All rights reserved by Lida Litle

 

A Mordóvia chamou a atenção por não ter absolutamente nada para mostrar, além de umas estátuas e uma moça pelada na beira de um rio.

Stefanok66 (CC BY 2.0)

 

A Iacútia congelou os ossos com o seu recorde de baixa temperatura no hemisfério norte: -68ºC (só perde, no mundo, para um registro da Antártida).

Blogpaedia (CC BY-NC-SA 2.0)

 

A Ossétia do Norte-Alânia me ganhou com seu parentesco com os iranianos, além da sua fantástica Cidade dos Mortos.

All rights reserved by -imv- (Panoramio)

 

Tuva entrou na minha lista de desejos com seus cantores de garganta e um monte de outras histórias incríveis.

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

 

A Udmúrtia levou minha simpatia com o título de “Terra dos ruivos, do Tchaikovsky e do AK-47”.

 

A Cacássia deu dó, porque teve a cultura completamente tomada pelos russos.

All rights reserved by igor.meiden (Flickr)

 

A Chechênia fez rir com seu ministro do turismo, que disse que a república “é como a suíça, apenas sem as estradas”. O visual pode até ser suíço, mas a segurança não é não.

Ras.sham (CC BY-SA 3.0)

 

E agora, para finalizar, a 21ª e última república da série: a Chuváchia.

Na verdade, é um final meio melancólico para o Planetóvski Rússia. Pesquisei, pesquisei e pesquisei, mas não encontrei nada de diferente e interessante na República Chuvache, apenas uma bandeira bonita (com uma “arvore da vida, simbolizando o renascimento) e algumas fotos de paisagem mais ou menos.

ktoiswho (CC BY 2.0)
яΑכζס …in a mirror, darkly (CC BY-NC-SA 2.0)

 

Ah, e claro: um bar/restaurante com o nome CCCP, que parece ser de lá.

Pensando bem, é um ótimo final para o Planetósvki Rússia.

яΑכζס …in a mirror, darkly (CC BY-NC-SA 2.0)

 

Assine nossa newsletter!

Comentários