atualizado em:

Por Que Pra Lá? – Etiópia

Minha tara pela Etiópia começou em 7 de novembro de 2008. Naquele dia, recebi um e-mail de um amigo que […]

por Gabe Britto outros artigos do autor
atualizado em:

Minha tara pela Etiópia começou em 7 de novembro de 2008. Naquele dia, recebi um e-mail de um amigo que estava lá, contando um pouco das aventuras naquele lugar.

Alfred Weidinger (CC BY-NC 2.0)

Desde então, o país africano já apareceu algumas vezes neste bloguinho, mas, vergonhosamente, nunca foi o tema de um Por Que Pra Lá?.

Bueno, chegou a hora de corrigir esta falha.

(Antes de começar, um agradecimento a quem deu o impulso para este post: obrigado, Liliane Gondim/@lilianesonsol, por me enviar este tweet.)

Hey ho.

ETIÓPIA – POR QUE PRA LÁ?

Quem passou consciente pelos anos 80 tem uma imagem bem forte – e nada boa – da Etiópia. A fome na região foi tão marcante que virou o principal ícone da miséria no mundo na época.

Revista Time – 21 de dezembro de 1987

Hoje o país continua pobríssimo (é o 174º em IDH), mas aquela imagem do miserê já não é mais a mesma e (dizem que) o desenvolvimento vai chegando pelas beiradas. Verdade ou não, o turismo cresceu e as atrações etíopes começaram a aparecer para o mundo.

A Etiópia é mais um dos países do Chifre da África. Ela faz fronteira com o novíssimo Sudão do Sul e também com o Quênia, o Sudão, a Somália, Eritreia e o Djibuti. Seu nome significa “Terra dos homens enegrecidos pelo sol”.

 

 

Mas vamos ao que interessa: por que diabos fazer turismo na Etiópia?

1 – Para ver Lalibela e seus prédios esculpidos em buracos em rochas no chão, que fazem Petra (na Jordânia) parecer coisa de estagiário.

Os 13 prédios (entre igrejas, tumbas e capelas) foram cavados entre os séculos 12 e 14, em blocos de pedra únicos e funcionam até hoje. Eles são interligados por túneis e venerados no país. Obviamente, todos são considerados Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco.

 

Veja hotéis do Booking em Lalibela

 

2 – Porque a Etiópia tem 9 lugares considerados Patrimônios da Humanidade, pela Unesco.

3 – Para conhecer o lugar onde todos nós nascemos, segundo a ciência, já que o fóssil de hominídeo mais antigo do planeta (Lucy, a moça abaixo) foi encontrado na Etiópia.

All rights reserved by E. Entressangle / E. Daynes

4 – Para conhecer Axum, a cidade que foi a capital do Império de Axum, um dos mais importantes da humanidade, dividindo as honras da época com ninguém menos que persas, romanos e chineses.

All rights reserved by Patricia Snook
All rights reserved by Stefan Gara

Axum ainda mantém relíquias dos seus bons tempos (a cidade foi fundada por volta do ano 100 d.C.) e é outro Patrimônio da Humanidade no país.

5 – Para ver a Igreja da Santa Maria do Sião (em Axum), onde a Igreja Ortodoxa Etíope jura que está guardada nada menos que a Arca da Aliança.

All rights reserved by Yareque

What the fuck is Arca da Aliança? É a universalmente famosa “arca perdida”. Sim, aquela que o Indiana Jones e um batalhão de nazistas procuravam no primeiro filme do nosso heroi e onde estariam as tábuas dos dez mandamentos cristãos, entre outros objetos valiosíssimos para algumas religiões.

Não é pouca coisa, hein?

6 – Para conhecer o Nilo Azul, o rio que se junta ao Nilo Branco, no Sudão, e forma o rio Nilo – que dispensa apresentações.

7 – Para conhecer os monastérios que ficam próximos ao lago Tana, construídos entre os séculos 14 e 16, que guardam pinturas e relíquias religiosas – e também são Patrimônios da Humanidade.

DamienHR (CC BY-SA 2.0)
zz77 (CC BY-NC-ND 2.0)

8 – Para visitar o Parque Nacional Bale Mountains, com seus bichos estranhos e o platô Sanetti (aqui embaixo).

All rights reserved by stefancek

9 – Para conhecer a floresta Harenna, também no Parque Nacional Bale Mountains.

All rights reserved by Robin100

10 – Para visitar o leste do país, definido pelo Lonely Planet como uma região que “agrada o coração, confunde a mente e desafia a alma – não menos do que isso”.

11 – Para colocar os pés em Harar, a 4ª cidade sagrada do islamismo, que fica justamente no leste da Etiópia. Segundo o mesmo Lonely Planet a arquitetura, os habitantes e as ruas de Harar fazem você se sentir “como se estivesse flutuando em outro tempo e espaço”.

All rights reserved by yujapi
All rights reserved by Eric Lafforgue

12 – Para ver homens alimentando hienas todas as noites em Harar – e isso não é showzinho para turistas, é tradição local mesmo.

All rights reserved by BoazImages

13 – Para beber o café que é considerado o melhor do mundo.

14 – Para conhecer o deserto Danakil, um lugar que alcança 100 metros abaixo do nível do mar, tem vulcões e temperatura média anual que varia de 25ºC a 48ºC. Não é por nada que a National Geographic chama o Danakil de “o lugar mais cruel da Terra”.

15 – Para ver de perto a região da fenda de Afar, onde cientistas dizem que, um dia, vai nascer um novo mar, maior do que o Mar Vermelho.

16 – Para avistar (de longe) o Erta Ale, um vulcão porreta.

filippo_jean (CC BY-SA 2.0)

17 – Para tentar imaginar como é que o povo afar consegue viver (e dançar), há séculos, na região que inclui as 3 atrações acima.

18 – Para fazer um trekking delícia pelo Parque Nacional das Montanhas Simien, a paisagem feia das fotos abaixo.

Martino’s doodles (CC BY-NC-SA 2.0)
Martino’s doodles (CC BY-NC-SA 2.0)
Martino’s doodles (CC BY-NC-SA 2.0)
10b travelling (CC BY-NC-ND 2.0)
Moi of Ra (CC BY-NC-SA 2.0)

19 – Para fazer um tour pelo rio Omo, um dos mais importantes da África, conhecendo os trocentos povos diferentes que vivem por lá, cada um com suas tradições, manias e bizarrices.

Marc Veraart (CC BY-ND 2.0)

20 – Para tentar encontrar estes caras incríveis aqui embaixo, que já foram tema de um post neste blog.

© Hans Silvester
© Hans Silvester
© Hans Silvester

E então? Todo mundo entendeu por que as pessoas fazem turismo na Etiópia?

Veja onde se hospedar em várias cidades da Etiópia

Assine nossa newsletter!

Comentários