atualizado em:

Vale a pena comprar um GPS fora do Brasil?

“Oncotô? Proncovô?” -mineirim perdido, sô! Hoje o Riq Freire do ótimo blog de viagens Viaje na Viagem postou uma enquete […]

por Fred Marvila outros artigos do autor
atualizado em:

Oncotô? Proncovô?” -mineirim perdido, sô!

Hoje o Riq Freire do ótimo blog de viagens Viaje na Viagem postou uma enquete em seu blog sobre comprar ou não comprar um GPS fora do Brasil para usar em viagens internacionais e eu resolvi postar minhas experiências e considerações de quando comprei o GPS. A enquete e os comentários podem ser acompanhados aqui: Enquete: GPS — vale a pena comprar? Aqui ou fora?

Tudo começou quando fomos planejar nossa viagem aos EUA há mais de um ano. Iríamos fazer uma viagem pela costa leste inteira de carro, mas o tempo que tínhamos não ia permitir e a crise também não ajudou. Resolvemos ficar então somente entre NY e Washington DC.

Decidimos por alugar um carro e vendo o valor do aluguel do GPS resolvemos que iríamos comprar um lá e depois trazer para o Brasil. Quem nos conhece sabe o quanto somos perdidos e um GPS ajudaria muito! Se bem que nem o GPS evita que a gente se perca 😛

Pra resumir a obra antes de contá-la, eu acho sim que comprar um GPS fora vale muito à pena, principalmente pelos preços abusivos dos GPSs mais tops aqui no Brasil.

O valor do aluguel do GPS nos EUA está em torno de 15 dólares e o preço de um GPS mais simples está em torno de 100 dólares, ou seja, se vc ficar uns 5 dias com carro nos EUA, já vale a pena comprar o GPS e trazer pra cá em vez de alugar um GPS lá.

Ok, uma vez decidido em comprar o GPS, fui pesquisar qual comprar.

1) Qual marca?

Há duzias de marcas de GPS no mundo. Algumas vendem aqui no Brasil. Pesquisei quais tinham mapas do Brasil e depois fui ler os reviews de cada uma delas, principalmente dos modelos na faixa de preço que eu queria (250 doletas no máximo).

Cheguei à conclusão de que as marcas Garmin e TomTom eram as melhores, não necessariamente as mais baratas, mas as que tinham os melhores mapas e recepção de satélite.

2) Qual modelo?

Eu não lembro qual modelo do Garmin eu estava olhando, mas da TomTom eu estava de olho no TomTom One e o TomTom One XLS.

As diferenças principais entre o One e o One XLS eram que o One XLS tinha tela de 4,3” entrada pra cartão SD e memória interna de 1GB enquanto o One tinha somente o 1GB de memória interna e uma tela de 3.5” se não me engano. O XLS também tinha outras frescuras como o Denteazul (ou Bluetooth se preferirem :)) e falava o nome das ruas em vez de apenas a direção.

Até hoje eu não descobri utilidade pra ter Bluetooth no GPS e não gostei de ouvir uma voz sintetizada me dizendo em que rua virar.

Essa questão de falar o nome da rua precisa de uma explicação melhor. Se você comprar o GPS fora do Brasil, a voz estará preparada pra falar nomes de ruas do país em que foi comprado o GPS. Portanto imagine um gringo sintetizado falando o nome de nossas ruas? Não dá, né? 😀 Mas não é só isso, há o problema também de que a maior parte dos lugares em que vamos não tem indicação do nome da rua antes da rua em si, e se você não estiver preparado olhando o mapa, você poderá se perder. Por isso eu fico com o meu “Vire na segunda à direita” e sigo feliz 😛

Há muito modelos mais modernos e muito mais caros, mas que para nós aqui no Brasil ou para quem vai usar durante a viagem não valem o custo. Isso por que as firulas a mais geralmente são rádio, mp3, vídeo, monitor de tráfego e coisas do gênero que não fazem diferença.

3) Comprar ou baixar mapas da Internet?

Já sabe quais modelos e marcas compraria? Hora de decidir se você vai comprar mapas de outros lugares (além do que já vem no GPS) ou se vai baixá-los da Internet.

Eu pesquisei bastante sobre isso também pois eu não achava no site da TomTom EUA os mapas do Brasil. Eu só achava os mapas do Brasil no site da TomTom Brasil. Resolvi ligar no suporte deles no EUA e perguntar por que não acho os mapas do Brasil para comprar. Para minha surpresa o técnico me disse que só era possível comprar os mapas do Brasil para quem tivesse o GPS do Brasil!

Hoje já é possível comprar mapas do Brasil (119 doletas!!) e até Argentina e Uruguai no site da TomTom EUA.

Já que eu não poderia comprar mapas pelo site na época, eu fui ver quais dos modelos que eu havia escolhido seria mais fácil de “desbloquear” para poder usar os mapas da Internet.

O TomTom era o que parecia ser mais fácil de desbloquear e era o mais barato também. Além disso a interface do Garmin não me agradava.

Pronto. Decidi que iria comprar o TomTom One XLS.

4) Como comprar?

Como eu não tinha nenhum conhecido indo/vindo pros/dos EUA, resolvi comprar pelo eBay. Achei um ótimo preço (178 doletas + 20 doletas de envio) e comprei. Chegou tudo bem e não parou na alfândega 😀

Eu havia feito todas as contas com os 60% se parasse na alfândega e ainda assim era 1/3 do valor que eu pagaria aqui no Brasil há um ano pelo mesmo modelo (R$1990,00). Como não paguei os 60% ficou ainda mais barato 8)

5) Como desbloquear?

Não entrarei em detalhes de como desbloquear um GPS comprado fora pq cada GPS tem a sua maneira, mas no meu caso, depois de entender melhor como funcionava o processo, eu vi que o processo era bastante simples e rápido e não há risco algum de danificar o GPS pois tudo acontece nos arquivos de mapa e que ficam na memória interna dele. Ou seja, deu problema? Basta copiar os arquivos que você fez de backup de volta pro aparelho como se tivesse copiando arquivos pra um drive USB. Ah, você fez backup, né?

Há vários lugares em que vc consegue informações sobre como desbloquear um GPS. Recomendo fortemente que pesquise sobre isso caso tenha de desbloquear o modelo que você quer comprar…

6) Dicas:

– Se você  quer um GPS só para usar aqui no Brasil, eu aconselho comprar um por aqui mesmo por uns 400-500 reais. Não terá muita diferença para os de fora e já estará preparado para nosso idioma e estradas. Sem contar a assistência técnica “autorizada”.

– Se você quer comprar para usar lá fora e aqui, aconselho a comprar lá fora mesmo. Nos EUA os preços são muito bons.

– Se você não souber/quiser/tiver pavor de brincar de desbloquear mapas/aparelho, então compre um que tenha como adquirir mapas de outros lugares. Lembrando que na TomTom os mapas estão em torno de 99 doletas cada.

– Dê preferência aos modelos que tenham como adicionar uma memória externa como um cartão SD, pois os mapas podem passar facilmente de2GB e a memória interna do seu aparelho pode não ser suficiente. Eu já vi mapa dos EUA com mais de 2GB.

– Teste antes os modelos de GPS disponíveis em alguma loja por aqui, mesmo que você vá comprar lá fora. Isso ajuda a escolher entre um de tela de 3.5” ou de 4.3” e também pra ver se a aparência do mapa e interface do GPS lhe agrada. E, claro, descobrir se aquelas firulinhas a mais que custam tanto vão ser realmente úteis.

7) Experiências com o GPS:

No início é difícil se acostumar com o GPS pois é necessário prestar atenção na direção e no que o GPS fala/mostra. Você também precisa de se acostumar com o modo como o GPS mostra a rota e como ele dá as instruções.

Uma vez que voocê já está acostumado com isso, você já pode xingar o GPS quando ele te mandar entrar numa rua que não pode ou que não dá para cruzar aquela avenida super movimentada sem antes fazer um retorno, pois nesse momento a culpa é, com certeza, do GPS 😛

Nossa experiência de viajar com o GPS de NY para Washington DC para Philadelphia para Virginia passando meio que sem querer por Baltimore  foi ótima!

Não tivemos preocupação de nos perder, a gente pode procurar lugares diferentes para comer/comprar e até escolhemos não pagar pedágio voltando da Philadelphia pra ver onde o GPS nos levaria. Passamos por umas estradas mais isoladas e por uma parte de Baltimore que não conheceríamos se estivéssemos sem ele. Sem contar a chance de ir pra Virginia conhecer uma das cavernas, comer num restaurante estilo Supernatural e voltar para nosso hotel Supernatural tb 😉

Moral do dia:

Mesmo quando o GPS te dá umas instruções erradas (como passar por baixo do Elevado Costa e Silva em vez de ir por cima) ou quando você erra a rua “sem querer”, ter um GPS é muito melhor pois com ele você tem certeza de que, no mínimo, conseguirá voltar pra casa… eventualmente. 😀

Assine nossa newsletter!

Comentários