“Any sufficiently advanced technology is indistinguishable from magic.” -Arthur C. Clarke

Eu tinha pensado nesse post desde que voltamos dos EUA, mas acabei deixando de lado a idéia porque eu ia acabar escrevendo demais sobre o assunto.

Hoje resolvi reciclar a idéia e espero conseguir escrever de forma sucinta sobre o assunto.

Como o título já diz, vou colocar aqui algumas dicas de como usar a tecnologia para planejar e aproveitar ao máximo sua viagem 🙂

1) Google Maps:

Previsão do Tempo no Google Maps

Esse é sem dúvida um dos itens mais importantes do planejamento. Com ele pudemos conferir onde era o hotel que reservamos graças ao Street View, definir os locais que queríamos visitar e planejar o roteiro de forma a otimizar ao máximo os deslocamentos.

pesquisando transporte no Google Maps

2) GPS:

GPS TomTom

Quem nos conhece sabe da nossa incrível capacidade de nos perder em qualquer lugar, seja conhecido ou não. Por isso, optamos por comprar um GPS e levar para os EUA já que iríamos alugar um carro para a perna fora de Nova York da viagem. O GPS é muito importante pois você não fica preocupado em se perder pelo caminho e fica livre pra passear o quanto quiser. O GPS hoje nos ajuda muito até pra ir em certos lugares de Campinas 😛

3) Smartphone:

Nós tínhamos pensado em levar o notebook na viagem, mas como ia ser um transtorno enorme carregar aquele peso, resolvemos comprar um iPhone. Não imaginávamos que seria tão útil (além de satisfazer minha necessidade de gadgets eletrônicos ;)).

Com o iPhone pudemos fazer ligações para casa via Skype que só não foram de graça porque em casa ninguém sabia usar o Skype no computador… Mas 25 reais pra 13 dias de viagem foi quase de graça :D. Além disso podíamos ver email, postar tweets e até usar o Google Maps para conferir algum local diferente que não estava no roteiro como, por exemplo, o restaurante Pepolino que nossa queria Marcie nos indicou!

Mais importante que isso, nos EUA há Wi-Fi de graça em quase qualquer lugar! Claro que a maioria são pessoas que não colocaram senhas em seus roteadores, mas está valendo mesmo assim 🙂 Fica aqui meu agradecimento às pessoas que deixam suar redes abertas.

Além disso o GPS do iPhone nos salvou de ter de andar um pedação quando estávamos em Washington. Nós estávamos indo pra Catedral (linda!) de Washington mas não tínhamos certeza de que estávamos na direção certa. Felizmente eu consegui achar uma rede Wi-Fi aberta e consegui conferir no mapa com ajuda do GPS do iPhone que estávamos indo na direção certa.

Quando reservamos nossos hotéis, procuramos somente pelos que tinham Wi-Fi grátis e depois dessa experiência, chegamos à conclusão que daqui pra frente só ficamos em hotel com Wi-Fi grátis e estamos adotando a campanha “Só fico em hotel com Wi-Fi grátis“. Mais detalhes aqui também.

É isso ae. Espero que essas dicas ajudem você a planejar melhor sua próxima viagem 🙂

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    6 Comentários
  1. Gostei das dicas. Preciso arrumar logo um GPS para começar.

    • velhinho, GPS é o que há! Recomendo fortemente 😛 Aqui no Brasil é meio caro ainda, mas se quiser, no ebay tem com preços bons 🙂 Comprei o meu lá.

  2. Fred, excelente post tecnológico 🙂

    Eu também uso muito o Google Maps e já se tornou imprescindível em minhas viagens. Estou para comprar um smartphone com wifi para a minha próxima viagem, pois o meu não tem. Para ligações, ainda uso o bom e velho cartão telefônico internacional, que também é barato.

  3. Ola Fred e Natalie, tudo bem com vcs. 1o obriga- do pelas dicas de Londres. Nosso plenejamento está quase pronto e elas foram proveitosas.
    Bom, vamos ao que interessa. Acabei de comprar um Iphone 3GS 32Gb (02/05) para levar para a viagem. Confesso a vc que não tenho ideia de como utilizá-lo com o Skype. Uso o "Fring" ou o próprio Skype? Como configurar o smartphone? Como é o processo?
    Como a nossa viagem é um pouco longa (45 dias) gostaria de controlar as finanças através da planilha do Excel. Vc poderia recomendar alguma apps para ler e editar arquivos do Microsoft Office? Apps para metro paris e londres vale a pena? Um grande abraço.

    • Oi João.

      Não tem muito segredo configurar o iPhone. Simplesmente abra a Applestore e começe a baixar as apps 🙂

      Fora isso é detalhe de interface como formato de data e hora que na pior das hipóteses não vai te atrapalhar.

      Nós usamos o próprio Skype. Eu tive alguns problemas há algum tempo com o Fring na rede skype em que eu aparecia offline pras pessoas ou elas para mim. Depois que lançaram o Skype pra iPhone eu parei de usar o Fring como skype.

      Também não há segredos para usar o Skype já que é bastante parecido com a versão de computador. Após ligar para o número desejado, coloque o telefone na orelha como faria normalmente e pronto 🙂

      Quanto a planilhas do excel, vc até pode achar alguma app que leia (paga provavelmente) mas não espere escrever em excel. Eu não conheço nenhuma app que faça isso.

      Mas há várias apps de graça para controle de finanças em que você consegue colocar quanto gastou e no quê.

      Eu tinha umas duas no meu iPhone, mas acabei tirando pois eu nunca lembrava de anotar :/

      Eu imagino que deve haver algumas apps de planilha também caso queira, mas infelizmente nunca pesquisei.

      Há também a app do google (Google Mobile App) que te dá acesso mais fácil a vários dos serviços deles includingo o Google Docs. Só que para usar você precisa de conexão wi-fi ou 3G. Seria útil para talvez consolidar os gastos quando chegar ao hotel no fim do dia.

      É isso aê!

    • Esqueci de dizer que os metrôs de Londres e Paris são muito simples de usar! E nas cabines você consegue mapinhas de bolso. Tudo que você precisa saber é qual direção você está indo para achar o lado certo para seguir. Em todas as estações que fomos havia conexão entre os lados opostos das linhas. Diferente de NY em que algumas você não tem conexão.

      Em Paris havia (em 2007) também o Carte Orange que era praticamente a mesma coisa que o Oyster de Londres. Leve fotos 3×4 se for usar isso pois no dia precisamos tirar na hora.

      Outro detalhe desse passe é que você precisa saber em quais arrondissement você vai ficar a maior parte do tempo pois você compra o passe baseado nos arrondissement. Se o local que você quiser ir não estiver nos arrondissement do seu passe, basta comprar um passe extra só para aquele trecho. Fizemos isso quando fomos para o aeroporto e para Versailles.

      E eles conferem os passes dentro do metrô também. Não sei se é comum, pois só vimos isso uma vez em 6 dias.

      Qualquer dúvida, é só chamar 🙂

Deixe seu Comentário