Não é nada fácil essa vida de aspirante a Destemperados. Hoje eu pude comprovar isso na prática, é um trabalho árduo.

Depois de muito pentelhar um casal de amigos chegados numa folia gastronômica, consegui convencê-los a sair de Valinhos e migrar por algumas horas para a longínqua Vila Medeiros. É verdade, queridos leitores, a caravana de Valinhos chegou até o famoso Mocotó.

restaurante mocotó

Abrimos a tarde com essa porção de tapioca com queijo tão boa que quase não deu tempo de fotografá-la.

 

Dadinhos de tapioca

Dadinhos de Tapioca com queijo coalho dourado e servido com molho de pimenta agridoce

Conhecer o Mocotó era para mim um misto de surpresas e altas expectativas. Assim como as de alguém que ama artes e visita o Inhotim pela primeira vez: já ouviu muitos elogios mas não sabe o que vai encontrar ao certo.

 

restaurante mocotó

Torresminhos crocantes e sequinhos *fantástico

As expectativas não poderiam ser mais altas. [abre parenteses – o que muitas vezes pode ser um perigo pois criamos uma imagem que nem sempre corresponde à realidade – fecha parenteses ] Eu tinha ótimas referências sobre o cardápio caprichado do restaurante e referências de profissionais e pessoas queridas que eu acompanho há muito tempo como o Riq Freire, os Destemperados, a Ale Forbes e o Edu Luz. E todos teceram muitos elogios ao trabalho do jovem Rodrigo Oliveira que rege toda aquela orquestra nordestina, então eu esperava nada menos do que um Inhotim da comida nordestina.

 

restaurante mocotó

Escondidinho de carne com purê de mandioca e requeijão, gratinado com queijo de coalho

Dez pratos diferentes, algumas porções de caipirinhas e cervejas, 65 reais gastos por pessoa, cinco horas de almoço e 56 fotos depois, voltei meio sem rumo, mas com uma grande certeza: preciso voltar para provar o tutano que o chef andou testando e anunciando no Twitter.

 

restaurante mocotó

Carne de Sol assada servida com manteiga de garrafa, alho assado e pimenta biquinho

Tudo parecia uma grande escola de samba, com suas alas caprichadas e ensaiadas. Só um detalhe atrapalhou um pouquinho a nossa festa: a espera de três horas para conseguir uma simples mesa. Isso mesmo, três horas 🙁 e o pior de tudo foi ver um grupo de pessoas que chegou bem depois de nós conseguirem mesa bem mais rápido, uma pena.

Ainda bem que nós tínhamos a companhia do Rodriguinho que caprichou nas caipirinhas e do Reginaldo, um garçom que nós apelidamos de Bonitão, uma simpatia pura.

 

restaurante mocotó

Queijo de Coalho com melado de cana que quase esquecemos de fotografar

Mas em nenhum momento deixe de ir ao Mocotó por medo de pegar uma filinha básica ou por achar longe demais. Tudo isso faz parte do programa e só faz crescer as expectativas que no final das contas são mais do que correspondidas.

 

restaurante mocotó

Dobradinha *di-vi-na

Depois dessa tarde perfeita recheada de ótima comida servida numa mesa rodeada de ótimos amigos, o que mais nós poderíamos querer?

O Rodrigo ainda passou na nossa mesa e tivemos a oportunidade de cumprimentá-lo pessoalmente pelo seu excelente trabalho, um garoto de talento que  demonstra ser apaixonado pelo que faz e por isso merece muito sucesso 🙂

Pudim de tapioca com leite de coco e leite condensado com calda de coco queimado

Pudim de tapioca com leite de coco e leite condensado com calda de coco queimado

 

 

restaurante mocotó

Cartola de Engenho - banana, queijo e farofa de açúcar e canela

Rodrigo, se você precisar de pessoas para provar aquele tutano pode nos avisar, não vou ficar nada chateada em fazer esse sacrifício em nome dos avanços da gastronomia brasileira 😀

P.S.: Fico devendo a foto da Passarinha, uma porção de baço de boi com limão e pimenta *um deslumbre (tá, já parei com os elogios) e do Baião de Dois porque atacamos o prato e literalmente esquecemos da foto.

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    14 Comentários
  1. Realmente, lendo o post, dá até vontade de ir até lá mesmo sendo segunda feira…. rssrsrsrs….

    É bom saber que a comida brasileira é valorizada por pessoas que a fazem com talento e por pessoas que a apreciam….

    Um abraço

    Sônia

  2. O Mocotó é muito bom mesmo. Vale a "viagem" e tem que chegar cedo pra conseguir mesa!

  3. Foi uma das melhores comidas que ja comi….valeu muito a pena a horinhas de fila; alias, se não fosse a espera não teriamos provado tantas porções e nos deliciarmos tanto.

    • Lu,

      A sua companhia foi indispensável para a tarde ficar melhor ainda!
      Precisamos repetir esses tours gastronômicos mais vezes.

  4. Oi, Natalie, Fred, obrigado pelo carinho.

    Lindo texto e lindas fotos, adoramos! Parabéns pelo blog, divertido e informativo! Esperamos vocês de volta para mais folia! ; )

    Um grande abraço,

    Rodrigo e pessoal do MOcotó

    • Oi Rodrigo!

      Fiquei muito feliz ao ler o seu comentário aqui no Sundaycooks.

      Sem dúvida voltaremos muitas vezes ao Mocotó 😀

      Ainda quero provar o tutano 😉

  5. Melhor pudim de tapioca que eu comi na minha vida!!

  6. O Mocotó relamente merece todos os elogios presentes no post. o dadinho de tapioca é realmente fantástico, o torresmo delicioso e o escondidinho perfeito. Preciso voltar pra provar a carne de sol com manteiga de garrafa e a tapioca de carne seca que tem no cardapio.

  7. O lugar é bom d+, a maioria dos pratos são ótimos. O atendimento é muito bom tbm.

    Recomendo muito!

  8. Olá…Gostei muuito desse restaurante , poderia me passar o endereço por e-mail?Onde fica?Obrigada!!!

    • Oi Bruna.

      No site deles (www.mocoto.com.br) você encontra o endereço e um mapinha, mas o endereço é esse aí:

      Mocotó – Restaurante e Cachaçaria – Fone: (0xx11) 2951-3056 – Av Nossa Senhora do Loreto, 1100 – Vila Medeiros – São Paulo – SP

Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback
  1. […] Ele foi só elogios ao dias que passou no Brasil para o evento Mesas e Tendências e falou muito bem do trabalho feito pelo querido Rodrigo do Mocotó. […]