atualizado em:

Trajes e Costumes

“In order to be irreplaceable one must always be different.” Coco Chanel Visitando pela primeira ou pela milésima vez a […]

por Natalie Soares outros artigos do autor
atualizado em:

“In order to be irreplaceable one must always be different.” Coco Chanel

Visitando pela primeira ou pela milésima vez a capital da Espanha, dedique alguns momentos para conhecer outras ótimas atrações que a cidade tem a oferecer. Uma delas é o Museo del Traje – um museu dedicado a contar a história das nossas vestimentas/trajes e figurinos.

Se você gosta de moda, história  da arte ou aprecia belos figurinos, vai gostar de conhecer de perto a interessante exposição que esse museu apresenta. São peças originais do século XIX, passando por trajes regionais da Espanha, Belle Époque, Alta Costura até os trajes dos tempos atuais.

Algumas salas possuem uma iluminação mais delicada, pois essa é uma forma de contribuir para a preservação das peças. Lá também é possível obter informações adicionais nas telas interativas que ficam em cada uma das salas.

O museu sempre oferece exposições temporárias singulares. Até Outubro, uma delas conta um pouco da história da famosa casa de perfumes franceses Roger & Gallet através da evolução dos desenhos da sua marca. Infelizmente essa mostra ainda não estava aberta quando visitamos o museu.

É mais fácil chegar lá do que parece. Basta pegar a estação Ciudad Universitaria e caminhar um pouco pela Av. Computense e logo você verá as placas indicando o museu. A entrada custa três euros.

Dentro da programação especial, é possível participar de pequenos workshops oferecidos pela fundação. Em junho, por exemplo, os temas abordados eram  “Moda e Comunicação”, “Blogs sobre Moda” e “Conservação e Restauração de trajes”. Detalhe: é preciso pagar pela inscrição, mas deve valer a pena.

O museu oferece visitas guiadas, mas é preciso agendar a visita pelo email: [email protected]

Um outro museu muito importante para a cidade se chama CaixaForum e ele fica no Passeo del Prado e também merece a sua visita. Dois arquitetos suíços, Pierre de Meuron e Jacques Herzog, os mesmos que transformaram uma fábrica no Tate Modern em Londres, transformaram uma estação elétrica de 1901 em um complexo de arte. O museu apresenta, tanto em sua coleção permanente quando em suas apresentações temporárias, alguns dos projetos mais vanguardistas da Espanha.

Acho que meu coração estava meio bruto no dia que visitamos esse museu, pois não consegui capitar a essência de muitas das obras expostas ali. Talvez esse seja um dos lugares em que a ajuda de um guia é fundamental para se compreender melhor toda a arte apresentada.

Nesse post da Patrícia do Turomaquia, que entende tudo e mais um pouco sobre arte, ela explica mais sobre o projeto do CaixaForum. A entrada é gratuita e também é possível participar das visitas monitoradas.

Nessa mesma bonita região, aproveitamos para conhecer o Real Jardim Botânico, mas infelizmente o jardim ainda não estava florido e muitos funcionários trabalhavam na manutenção do local.

Lá existem mais de 104 espécies de árvores e 3 mil tipos de plantas. Não deixe de entrar na estufa dos cactos e das orquídeas. Eu tive de segurar o Fred, pois ele queria trazer um exemplar de cada espécie de planta carnívora que havia na estufa. 🙂

Assine nossa newsletter!

Comentários