I’m easy. Put me in an interesting location with good people and I’m there.” -Jane Curtin

Como vocês devem ter visto no post:

Vale a pena comprar um GPS fora do Brasil?

as duas marcas de GPS que mais me agradam são a TomTom e o Garmin.

Quando comprei meu GPS eu não tinha nenhum para testar e decidi baseado nos reviews e pelas imagens que eu achei. Acabei comprando o TomTom que estava também um pouco mais barato.

Nessa minha última viagem a Orlando, um colega comprou um Garmin de um modelo mais ou menos do mesmo nível do meu TomTom e, como eu havia levado meu GPS pra lá também, eu consegui testar os dois e fazer uma breve comparação já que não estive com o Garmin em minhas mãos por muito tempo :/

As principais diferenças em minha opinião foram:

1) Mapa:

O mapa mostrado no Garmin é realmente um pouco melhor que o do TomTom. O Garmin é mais claro de entender quando estamos próximo de um entroncamento.

2) Interface:

Não achei muito intuitiva a interface do Garmin. A do TomTom também não é das melhores. Às vezes é preciso acessar vários menus para chegar onde se quer. Contudo o Garmin usa o teclado com teclas na ordem alfabética e não como QWERTY como o TomTom. Eu imagino que isso seja configurável ou causado pelo tamanho um pouco menor da tela do Garmin. Mas com certeza é muito chato e me atrapalhou muito ao digitar.

Atualizando, o Fábio NG confirmou nos comentários que o Garmin tem opção de teclado QWERTY também.

3) Pontos de Interesse:

Ambos os mapas usados vieram com os aparelhos. O esquema de pesquisa do Garmin era MUITO lento. Estávamos indo para o Universal Studios sem GPS, mas como não tínhamos certeza do caminho, resolvemos ligar o Garmin. Mandamos pesquisar por Universal Studios e depois de séculos pensando ele não havia encontrado o ponto de interesse! Tentamos outras variações e ainda assim a pesquisa por nome demorava e não retornava nada. Só quando resolvi procurar por tipo de ponto de interesse que eu consegui achar o parque da Universal.

Já no TomTom a pesquisa era bem mais rápida e como a ele vai te mostrando as opções à medida que você digita, fica muito mais fácil achar o que se quer.

4) Bateria:

A bateria do Garmin dura bem mais que a do meu TomTom. Não sei se é por que o Garmin dele era novo ou se é por que meu TomTom é refurbished, mas a bateria durou bem mais. Isso não é tão problemático a meu ver pois só uso o GPS no carro ligado no cabo de alimentação, mas se você quiser levar o GPS para te guiar enquanto anda à pé, daí uma bateria de duração mais longa é melhor.

Na minha opinião, o TomTom foi uma ótima compra. É mais barato e ainda um pouco melhor que o Garmin que testei. Talvez só a questão do mapa ser mais fácil de entender me fizesse pensar em comprar um Garmin, mas com pouco tempo você já se acostuma com o mapa do TomTom e essa diferença já não será mais relevante.

É isso aê!

Se eu conseguir outros modelos de GPS para testar, farei mais comparações.

Se gostou do que viu, assine o blog!


    9 Comentários
  1. Fred, a Mel trouxe um Garmin dos EUA (modelo 255w, o equivalente widescreen deste que você testou). Usei muito pouco até agora pra poder dar dicas relevantes, mas já dá pra adiantar algumas coisas…

    Testando modelos de exposição em lojas, me parece que a tela do TomTom é bem mais sensível — mais confortável, portanto — do que a do Garmin. Pra ilustrar, eu diria que a tela do TomTom está mais próxima do iPhone, enquanto do Garmin é mais parecida com as dos antigos Palms. (Mas ok, porque o uso principal é "contemplativo", e não "interativo", como você bem havia palpitado na época…)

    Se a interface (mapa) é o uso principal, a solução do desenho da Garmin traz muita clareza às informações, mais do que qualquer outra marca que vi. Além disso, gosto do visual mais "limpo", enquanto o default do TomTom é meio poluído — embora você possa configurar e retirar o excesso de dados da tela.

    Pro uso no Brasil, ainda não recorri às comunidades (como a http://www.tracksource.org.br ) que fazem seus próprios mapas para Garmin. Com um google, achei um mapa "desbloqueado" com todas as cidades do Brasil. Foi só copiar num cartão SD e ligar o aparelho — o TomTom não tem entrada externa pra cartão.

    Ainda não testei o uso de POIs aqui no Brasil, mas registro que o teclado é configurável e você pode usar o padrão QWERTY, sim.

    Outra coisa (ainda não testada) que me pareceu bem interessante no Garmin é a possibilidade de você traçar suas rotas ou marcar seus POI num Google Maps e transmitir pro aparelho.

    Por outro lado, o TomTom parece imbatível com suas atualizações automáticas através das contribuições dos usuários, que marcam novas informações no próprio aparelho. (Mas imagino que pra isso funcionar bem precisa de uma certa massa crítica, que não sei se temos no Brasil…)

    • Obrigado pelos comentários! Muito interessantes os pontos que você colocou sobre o Garmin.

      Só pra corrigir, o TomTom ONE XL tem entrada pra cartão SD sim :) As versões mais básicas dele não têm realmente.

      Esse ONE XL tem entrada SD e memória interna de 1GB o que é bastante prático pra mim, pois eu deixo o mapa do Brasil na memória interna e quando viajo coloco o outro mapa no cartão SD.

      É isso aê :)

  2. Esqueci de mencionar um ponto… Externamente, o design do TomTom é BEM superior ao Garmin: melhor acabamento, mais compacto, mais bonito, encaixes (suporte, cabo) mais inteligentes.

    Somado à tela mais sensível, parece ser um produto superior, mais bem desenvolvido. O Garmin é uma caixona preta quadrada, com aspecto mais robusto (e grosseiro).

    Se dependesse puramente do design externo, tinha comprado o TomTom sem nenhuma dúvida.

    Mas não depende só disso, e fomos de Garmin. (Fiquei pensando se o fato de patrocinarem uma equipe do Tour de France não foi decisivo na minha percepção positiva sobre a marca…) ;-)

  3. Um dia eu ainda hei de ser uma Marvila! ;-)

    • Que gracinha seu comentário, Sil! Como o Fred é da área de tecnologia ele tem mais facilidade para entender, conhecer e falar sobre produtos tecnológicos que possam nos ajudar nas nossas viagens. E vc tem o dom de escrever a melhor série sobre Europa a 50 euros :D Vc ensina a gente a ser Matraqueando e a gente te ensina a ser Marvila :P

  4. Olá Fabio NG,

    Estou nos EUA e penso em comprar o mesmo modelo de GPS da Garmin que você citou.

    Gostaria de algumas informações, como por exemplo se ele fala o nome das ruas em Portugês do Brasil…

    Se você pudesse me passar seu contato ficaria muito grato!

    Abraço

  5. Oi Felipe.

    Eu consegui um Garmin nüvi 255w (o mesmo modelo queo Fábio tem) emprestado com um amigo para eu poder testar e comparar com o TomTom que eu tenho.

    Ele também comprou esse GPS nos EUA e colocou tanto a voz em portugues como os mapas do Brasil.

    Segundo meu amigo o site usado foi o http://www.gpsbra.com/

    Eu vou fazer o teste com o Garmin essa semana quando for para São Paulo de carro.

    Sobre sua pergunta, acabei de procurar no GPS e não achei a opção de falar o nome das ruas. Talvez haja como habilitar trocando o sistema do Garmin (no TomTom é possível), mas não por padrão.

    No meu TomTom eu troquei o software e tenho essa opção, mas é muito ruim pois o nome é falado com voz de máquina e só está preparado para nomes americanos.

    Aguarde o post comparando lado a lado o TomTom e Garmin :D

  6. Eu uso o Sygic no iPhone. A versão U.S. East é excelente. De Miami a Orlando. Do JFK até Pensilvânia. E depois o retorno. Sem contar os trechos internos. Para quem tem iPhone, recomendo fortemente. Atualmente está por USD 14,99 na App Store.

    • Obrigado pela dica Alexandre :D

      Acho que é bem interessante esse Sygic e o preço é bem legal tb. Olhando o site acho que para o Brasil ainda não é assim tão bom já que disseram que só tem o Rio de Janeiro mapeado (na versão Android), mas que venham outros programas para melhorar a "concorrência" hehehe

      Até,

      Fred Marvila

Deixe seu Comentário