atualizado em:

Roteiro de Park City: esquiando em Utah

O frio na barriga ao descer a primeira pista de esqui a gente nunca esquece.

por Fred Marvila outros artigos do autor
atualizado em:

A qualidade que define Park City nos é apresentada logo de cara: “a melhor neve da América do Norte”. Um título importante de se carregar quando o prêmio é disputado entre famosas regiões de esqui como Aspen, Vail e Whistler.

Essa fama não é à toa. Graças ao Great Salt Lake, o enorme lago que fica em Utah, a umidade da frente fria é retida e isso faz com que os flocos de neve caiam mais secos nas montanhas. Ou seja: um monte de neve fofinha pra gente brincar!

Renomado destino de inverno, a região de Park City concentra a maior área ‘esquiável’ dos Estados Unidos e abaixo você vai encontrar um roteiro completo para aproveitar o melhor dessa cidade histórica que já teve um pezinho na mineração e já foi considerada uma cidade fantasma. Prepare o casaco e divirta-se!

A história de Park City

Aventureiros do mundo todo desembarcavam em Park City em busca de prata poucos anos após sua fundação em 1884. Nesse período, a cidade viveu décadas de riqueza baseada na mineração, até o declínio do preço do metal com a crise de 1929. Uma lenda urbana garante que ainda existem quase 2 mil quilômetros de túneis escondidos nas montanhas próximas.

As olimpíadas de inverno de 2002 foram um divisor de águas na trajetória de Park City. As histórias e os recordes quebrados ali fazem parte do renascimento de uma cidade cujo passado está fortemente associado à história da mineração no centro-oeste dos Estados Unidos.

O que fazer em Park City: final do dia na montanha

Como chegar até Park City?

Park City fica a apenas 35 minutos de carro do aeroporto internacional de Salt Lake City, a capital de Utah, que recebe 300 voos diários vindos de 80 diferentes destinos.

Não existem voos direto do Brasil para Utah, mas é relativamente fácil chegar até as principais estações de esqui da região: basta fazer uma conexão em alguns dos hubs nos Estados Unidos como Dallas, Nova York ou Los Angeles e seguir viagem até Park City. Voando com a American Airlines para Los Angeles ou Dallas, você chega ainda mais rápido.

Do aeroporto até Park City e o transporte na cidade

A ligação entre o aeroporto de Salt Lake City e Park City é praticamente direta. Muitas empresas privadas oferecem transporte para os hotéis da região e os valores ficam na casa de 180 dólares para um carro privativo que comporta até cinco passageiros ou 50 dólares para veículos compartilhados. Consulte: Canyon Transportations, Snow Country Limousine ou Four Seasons Concierge. O percurso até seu hotel também pode ser feito de Uber, cuja corrida deve ficar em torno de 45 dólares.

Não é preciso alugar um carro para aproveitar as atrações de Park City.

O que fazer em Park City: estações de esqui

A cidade oferece, durante o ano todo, um sistema gratuito de ônibus elétricos, cujos motoristas são muito gentis e solícitos. Os pontos são distribuídos pelas principais ruas, passando pela Main Street até a entrada de Park City Mountain Resort.

Muitos hotéis também disponibilizam shuttles até as três estações de esqui. Se preferir, ainda é possível chamar um UberSki: dentro do próprio aplicativo da Uber existe a opção de selecionar carros que comportam os equipamentos de neve.

O que fazer em Park City: transporte público

Nos meses mais quentes, Park City ainda provê um programa de compartilhamento de bicicletas elétricas para quem quer conhecer a cidade. O aluguel custa entre 1 e 3 dólares por 45 minutos.

Onde ficar em Park City

É fácil escolher onde de hospedar em Park City. A cidade é dividida em três pólos hoteleiros: o centro de Park City, Deer Valley e Canyons Village.

Park City

Os hotéis que ficam em Park City propriamente dito são os mais centrais. Você consegue pegar o ônibus circular e ainda tem fácil acesso à Main Street.

O DoubleTree tem piscina ao ar livre e banheira de hidromassagem. Oferece wi-fi gratuito e alguns quartos ainda têm uma minicozinha. Possui fácil acesso ao Park City Mountain Resort e é uma das bandeiras econômicas (porém confortáveis) do grupo Hilton.

O Hyatt Place segue a mesma linha básica de decoração do DoubleTree e fica a um quilômetro do novo teleférico cabriolet.

O que fazer em Park City: por do sol

O Marriott’s MountainSide presenteia seus hóspedes com uma bela vista para as montanhas Wasatch e uma piscina ao ar livre. Tem acesso direto às pistas de Park City Mountain e Deer Valley fica a menos de 1,5 km do hotel. Também disponibiliza wi-fi gratuito e alguns quartos têm cozinha compacta.

O Park City Peaks é cheio de personalidade. Lembra uma casa na montanha decorada com toques contemporâneos. O hotel oferece piscinas aquecidas cobertas e ao ar livre, banheira de hidromassagem ao ar livre e sauna. Também disponibiliza transfer de e para o aeroporto de Salt Lake. Baita hotel!

Já pensou em se hospedar numa antiga casa escola que foi transformada num belo hotel? Essa é a história do Washington School House Hotel, uma das casas históricas de Park City que fica apenas a dois minutos a pé do teleférico Town Lift e da Main Street. O wi-fi é gratuito e o café da manhã é servido diariamente. Também tem banheira de hidromassagem, piscina aquecida ao ar livre e depósito para equipamentos de esqui. A decoração é clássica e de bom gosto.

Canyons Village

A área de Canyons não está totalmente pronta e ainda estão construindo novos hotéis. Essa é a região mais próxima dos outlets que ficam entre Salt Lake City e Park City.

O Waldorf Astoria é uma das bandeiras mais tradicionais e pomposas da hotelaria de luxo. Na região de Park City, o hotel fica a 300 metros da entrada do Canyons Resort, tem piscina ao ar livre e alguns quartos são equipados com cozinha com lava-louças, forno e microondas.

O Hyatt Centric oferece acesso direto às pistas de esqui de Canyons (que é integrado ao complexo de Park City Mountain). Tem piscina ao ar livre, banheira de hidromassagem e restaurante. Os quartos têm opção com cozinha completa ou compacta. O hotel traz um clima de  “apartamento na montanha”.

Deer Valley

Deer Valley concentra os hotéis mais luxuosos da região de Park City.

O que fazer em Park City: onde ficar

O Stein Eriksen Lodge é um dos hotéis mais classudos dessa área. Imponente na decoração e atento aos detalhes, o endereço oferece uma bela piscina ao ar livre, SPA e restaurantes abertos ao público em geral. Todos os quartos têm banheira de hidromassagem, roupões, chinelos e wi-fi gratuito. Algumas suítes ainda dispõem de varanda aberta com vista para as montanhas.

Já o Stein Eriksen Residences é o hotel mais elegante e charmoso de toda Park City. Combina perfeitamente com uma viagem de lua de mel ou com aquele upgrade especial no final das férias. As grandes janelas de vidro e a banheira com linhas mais contemporâneas fazem um belo contraponto à tradição e presença do nome Stein Eriksen.

O Chateaux, o Black Bear Lodge e o Montage seguem aquela linha clássica de hotéis de montanha: madeira escura, lareira e carpete. Tente cacifar uma boa promoção.

O Goldener Hirsch tem cara de chalé suíço. Menor que os outros hotéis de Deer Valley, ele passa uma sensação de aconchego.

Onde comer e beber em Park City

Ao lado de destinos norte-americanos como Chicago e New Orleans, Park City também arrasa quando o assunto é gastronomia de qualidade. Come-se muito bem ao redor dos complexos de esqui, passando longe de redes de ultra processados e enlatados.

Five5eeds

Minha primeira refeição foi no Five5eeds, cujo nome é inspirado nos cinco filhos do casal de australianos de Melbourne que idealizou o restaurante. Lá eles servem café da manhã, brunch e almoço preparados sempre com ingredientes frescos. Desde as hipsters tostadas com avocado, até o clássico ovos beneditinos (e o melhor cold brew que eu já provei!), esse restaurante vale a visita.

O que fazer em Park City: melhores restaurantes

Five5eeds

  • Endereço: 1600 Snow Creek Drive EF. Site.
  • Horários: todos os dias, das 7h30 às 15h
  • Faixa de preço: entre 7 e 15 dólares

Alpine Distilling

Na onda do renascimento do gim, Park City tem sua própria destilaria: a Alpine Distilling. A casa oferece um programa divertido para quem quer fabricar sua própria bebida à base de zimbro: a “Alpine distilling gin experience at 350 Main”. Além de conhecer um pouco mais sobre a história e os métodos de produção, você ainda pode jantar no restaurante com um menu de quatro passos preparado pelo chef Matt Safranek e harmonizado com os gins da casa.

O que fazer em Park City: drinks

Alpine Distilling

  • Endereço: 7132 N Silver Creek Rd. Site.
  • Horários: de segunda a sexta, das 11h às 17h. Sábado das 12h às 14h. Fechado aos domingos
  • Faixa de preço: The Gin Experience – 200 dólares o casal.

The Farm

Com ingredientes locais e opções vegetarianas e sem glúten, o The Farm oferece um menu contemporâneo envolto num cenário rústico bem no coração de Canyons Village. Provei um old fashion muito curioso que levava uma pitada de sal defumado.

The Farm

  • Endereço:  4000 Canyons Resort Dr. Site.
  • Horários: todos os dias
    • almoço: das 11h30 às 14h30
    • après ski: das 14h30 às 16:30
    • jantar: das 17h às 22h
  • Faixa de preço: de 17 a 40 dólares

No Name Saloon

O No Name Saloon fica em um dos prédios históricos mais importantes da Main Street. Construído em 1905, já foi conhecido como “O Alamo”.  É um ótimo lugar para curtir o final da noite e provar uma cerveja artesanal ou algum coquetel diferente.

No Name Saloon & Grill

  • Endereço:  447 Main St. Site.
  • Horários: todos os dias, das 10h às 2h
  • Faixa de preço: de 6.50 a 16.50 dólares

High West Distillery

Durante o Sundance Festival, a High West Distillery é “O” ponto de encontro. As boas festas sempre acontecem por aqui e o bar vive lotado, por isso não aceita reservas. Hoje a destilaria é famosa pelo seu whiskey, por drinks à base da bebida – como o The Miners Experiments Drink, uma variação do clássico old fashion – e pela boa trilha sonora de rock antigo.

O que fazer em Park City: melhores bares

High West Distillery

  • Endereço: 703 Park Ave. Site
  • Horários: todos os dias, das 11h às 21h
  • Faixa de preço: de 7 a 45 dólares

Deer Valley Grocery Café

Para quem procura uma refeição rápida, mas não abre mão da qualidade, o Deer Valley Grocery Café oferece café da manhã, almoço e après-ski com uma vista linda para as montanhas de Deer Valley. O menu tem gostosuras como pães e cafés frescos, saladas, sopas, panini e brownies.

Deer Valley Grocery Café

  • Endereço: 1375 Deer Valley Dr S. Site.
  • Horários: todos os dias, das 7h30 às 17h30
  • Faixa de preço: de 9.75 a 13.25 dólares

Twisted Fern

Com menos de dois anos de vida, o Twisted Fern quer se tornar um dos endereços favoritos de quem mora na cidade, oferecendo “comida de verdade” com uma atmosfera de restaurante de Instagram. A preocupação do casal que comanda a casa é sempre trabalhar, de maneira criativa, com ingredientes frescos da região.

Twisted Fern

  • Endereço: 1300 Snow Creek Drive. Site.
  • Horários: todos os dias, das 11h30 às 21h30
  • Faixa de preço: valores não divulgados no site

The Mustang

O Mustang é o mais estrelado restaurante de Park City. Ele oferece cozinha americana contemporânea, integrando pratos feitos com carne e frutos do mar.

The Mustang

  • Endereço: 890 Main St #5115. Site
  • Horários: todos os dias, das 17h30 às 21h00
  • Faixa de preço: de 14 a 52 dólares

Harvest

O Harvest, outro restaurante de australianos, trabalha com produtos de muita qualidade. Esqueça Starbucks, aqui é café de verdade! Ele fica no final da Main Street e é uma ótima maneira de você provar um café da manhã saboroso antes de subir a montanha.

Harvest

  • Endereço: 820 Park Ave suite 101. Site
  • Horários: todos os dias, das 8h às 15h00
  • Faixa de preço: de 8.50 a 14.50 dólares

Park City Food Tour

Um jeito diferente de conhecer a história e a variedade gastronômica de Park City é aproveitando o food tour organizado pela Park City Food Tour.

Nossa primeira parada foi no Wasatch Brewery. A primeira cervejaria da cidade foi aberta em 1986 e sofreu um bocado com as duras leis de Utah para produção e comercialização de bebidas alcoólicas. Hoje é um point para provar receitas cervejeiras um tanto quanto curiosas. No cardápio do tour, provei um camarão empanado e chips de coco, além de algumas weizenbier e uma session IPA.

Já o segundo pit-stop foi na Riverhorse, considerado um dos melhores restaurantes do estado. Aproveite um prato com um wagyu e outro com atum amarelo.

No terceiro ponto, uma boa surpresa: o The Bridge. A casa é comandada pelo Emerson Oliveira, um simpático brasileiro que mudou para Park City depois de um intercâmbio. Se a saudade de casa bater, você já sabe onde encontrar uma boa coxinha.

O tour terminou no Vinto, um restaurante italiano que faz tudo na sua própria cozinha, exatamente como manda a tradição. Destaque para o gelato de pistache.

Para reservar o passeio, acesse Park City Food Tours ou escreva para info@parkcityfoodtours.com. Ele custa entre 70 e 80 dólares por pessoa.

O que fazer em Park City no inverno

Park City é um dos destinos favoritos para quem gosta de brincar na neve nos Estados Unidos. A região abriga duas enormes estações de esqui: Park City Mountain e Deer Valley Resort. Abaixo você encontra uma breve descrição de cada uma delas.

Esquiando em Park City Mountain Resort

No meio das Montanhas Rochosas, Park City Mountain e Canyons Village têm a maior área “esquiável” do país acessada por teleféricos. São 347 pistas interligadas por 41 meios de elevação servidas por 18 restaurantes com menus bem variados.

Já assistiu aos X-Games na tevê ou gosta de esportes de aventura? A estação também é famosa por ter um super pipe e um mini pipe para quem gosta de fazer manobras radicais.

Park City também oferece um sistema de ônibus que levam os visitantes do centro da cidade até a entrada dos dois resorts gratuitamente. Eles partem a cada 30 minutos e param em Park City Mountain Village e na base do Cabriolet em Canyons Village.

O que fazer em Park City: aprender a esquiar

O complexo ainda oferece um serviço de ski valet (a partir de 10 dólares) e o day use lockers (a partir de 9 dólares por dia) – assim você não precisa carregar seus equipamentos de volta para o hotel todos os dias.

Para os pequenos, a Little Adventures Children’s Center – no Canyons Village – recebe crianças entre 6 semanas até 6 anos com um menu de brincadeiras indoor e outdoor. O valor da diária desse divertido acampamento é de 289 dólares e pode ser reservado no site.

Tanto para nós, que nascemos nos trópicos, quanto para quem mora num iglu, fazer aulas de esqui ou snowboard é fundamental. Isso torna toda a experiência na neve mais segura e muito mais divertida. Você pode agendar as aulas no site. Os grupos são bem pequenos (até 4 pessoas) e a monitoria custa 229 dólares por adulto.

O complexo de Park City Mountain e Canyons Village fazem parte do Epic Pass, um passe para quem quer esquiar nas estações do grupo Vail Resorts.

Para evitar filas, compre seu bilhete online e ainda ganhe descontos progressivos de acordo com a quantidade de dias que pretende esquiar. No site os bilhetes começam em 139 dólares para um dia de aventura.

Para se familiarizar com as montanhas, Park City ainda oferece dois tours guiados gratuitos: o Silver to Slopes Historic Tours e o Mountain Exerience Tours.

O primeiro conta a história das montanhas e a evolução dos esportes de neve. O passeio parte da Estátua da Águia na Park City Mountain Village todos os dias às 10h, e do Bonanza Summit Trail Map às 13h. Faça uma pré-reserva no Guest Service da estação.

Já o segundo tour parte de Canyons Village, do topo da Red Pine Gondola, sempre às 10h e às 13h. O guia explica as diferenças das pistas, das montanhas, sugere itinerários de acordo com o seu nível no esporte e seu interesse. Não esqueça de passar no Guest Service para colocar seu nome da lista.

O que fazer em Park City: panorama

Novidades para a temporada de 2018 / 2019

A temporada de esqui em Park City, que começou 21 de novembro de 2018 e vai até 7 de abril de 2019, chegou com ótimas novidades principalmente para quem viaja em família.

Além da reformulação completa do teleférico High Meadow, que passou a ser uma gondola fechada, foi montada uma área familiar e um novo trecho para iniciantes. Nesse espaço, as crianças podem aprender a esquiar ou a praticar snowboard, enquanto os adultos descansam e aproveitam o 7M Day Lodge.

Esquiando em Deer Valley Resort

Deer Valley Resort carrega com orgulho o título que conquistou em 2018 de “a melhor estação de esqui na América do Norte” pelos leitores da SKI Magazine, a publicação mais respeitada sobre o assunto no mundo. Mas isso não é storytelling, a estação foi classificada como o primeiro resort de esqui cinco estrelas entre os Estados Unidos e o Canadá.

Todo o conceito foi pensado para que a estação proporcionasse um serviço que lembrasse um hotel bem conceituado. Para tanto, Deer Valley limita o acesso diário de visitantes a um número máximo de 9 mil pessoas, isso faz com que não se formem filas nos meios de elevação e as pistas não ficam lotadas.

Uma curiosidade: o resort é aberto apenas para esquiadores. Portanto, quem quer praticar apenas snowboard, precisa concentrar seus dias em Park City Mountain.

Dessa vez, optei por fazer aulas de esqui e achei que evoluí muito mais rápido do que no snow – o que já era esperado. Com poucas horas de aula, consegui me aventurar descendo uma pista verde inteira!

O que fazer em Park City: esquiar em Deer Valley

A escola de instrutores também é uma das mais bem-conceituadas dos Estados Unidos e as aulas são feitas em grupos pequenos de até quatro pessoas e custam 200 dólares por aluno.

Quem se hospeda nos hotéis dentro do complexo de Deer Valley encontra ainda mais comodidades, como hospedagens com sistema ski in – ski out (direto para as pistas de esqui) e ainda podem entrar mais cedo na estação.

Quem viaja com crianças pode deixá-las no Children’s Center. O espaço recebe os pequenos de 2 meses a 12 anos e os monitores organizam diversas atividades ao longo do dia. O centro recreativo fica no nível principal do Snow Park Lodge e abre diariamente durante a temporada sempre de 8h30 às 16h30. São cobrados 154 dólares pelo dia todo.

O que fazer em Park City: onde ficar - dicas de hotéis

Nada de fast-food ou refeições sem graça: 14 diferentes restaurantes oferecem um menu variado para quem quer aproveitar o dia na montanha, mas também não abre mão de um bom almoço. Provei o Snow Park Restaurant, do Snow Park Hotel, que fica na base da montanha e serve refeições mais práticas. O restaurante é famoso pelos seus cookies, pelo turkey chili e pelo bolo de cenoura.

Novidades para a temporada de 2018 / 2019

A temporada 2018 começou dia 8 de dezembro e vai até 7 de abril com algumas novidades.

Deer Valley Resort continua investindo pesado para manter o status de um dos grandes centros de excelência na prática de esqui no hemisfério norte. A exemplo disso, um antigo meio de elevação foi substituído por um teleférico de alta velocidade. Essa mudança diminuiu pela metade o tempo do percurso entre a Silver Lake Village até o topo da montanha Bald Eagle.

A estação também passou a integrar o IKON Pass, um passe global ideal para quem quer esquiar 5 ou 7 dias gastando menos nas principais estações de esqui do mundo.

Aluguel de equipamentos em Park City

Alugar equipamentos para a prática de esportes na neve não precisa ser um sofrimento. Muito pelo contrário!

Existem várias empresas especializadas em Park City e muitas delas ainda oferecem um serviço bem bacana: levam os equipamentos para você provar no conforto do seu hotel, fazem os ajustes necessários e ainda voltam para retirá-los no final das suas férias.

Deixo aqui a indicação de duas empresas: a Silver Star Sports e a Ski Butlers.

Na Ski Butlers o aluguel custa a partir de 51 dólares (mais taxas) para o kit de esquis para iniciantes e as botas básicas. Acrescente a esse valor o custo do capacete, óculos e dos bastões. Faça a reserva pelo site e ganhe descontos. Você ainda consegue encontrar outras ofertas nesta página.

O que fazer em Park City: aluguel de equipamento

Outras atividades na neve em Park City

O menu de passeios na neve em Park City contempla atividades lúdicas para toda a família. O destino realmente se mostra uma excelente opção para quem quer alternar os dias de esqui com outros passeios.

Conheça algumas dessas atividades:

  • Patinação no gelo
  • Bicicleta de neve (snowbike ou fat-bike)
  • Tubing (boias gigantes)
    • Vem novidade bacana para a temporada 2019 / 2020. O Woodward Park City vai incluir os escorregadores na neve com nessas boias gigantes para o próximo inverno.
  • Raquete de neve (snowshoeing)
    • O tour de snowshoeing para grupo de 2 a 5 pessoas sai por 79 dólares cada adulto, tem duração de duas horas e pode ser reservado direto com a Destination Sports.
  • Moto de neve (snowmobiling)
    • Não precisa saber dirigir uma moto convencional para se divertir com a moto de neve. Subi até o topo da montanha com o instrutor me conduzindo e me orientando por uma trilha praticamente isolada. O passeio com uma hora de duração custa 130 dólares por adulto. Fiz com a Destination Sports.
  • Passeios de trenó puxado por cachorros
    • Com tantas alternativas diferentes de passeios na neve, deixamos os cachorros descansando um pouco dessa vez.

O que fazer em Park City: moto de neve

Quer intercalar a brincadeira nas montanhas geladas com outros programas mais tranquilos?

A Main Street – como o próprio nome sugere – é a principal rua de Park City. Ela ainda preserva aqueles ares de velho oeste com pequenos prédios históricos com fachadas coloridas. Lá ficam algumas das principais lojas, galerias e restaurantes da cidade.

O que fazer em Park City: main street

Ainda no centro, você encontra o curioso Park City Museum que mostra o passado da mineração e também a história dos esportes de neve. Sabia que a primeira prisão de Park City era o porão desse museu?

Park City Museum

  • Endereço: 528 Main Street. Site.
  • Horários: de segunda a sábado, das 10h às 19h; domingo, do meio-dia às 18h. Fechado no natal e no dia de ação de graças.
  • Ingressos: 12 dólares por adulto

Quer se sentir um atleta olímpico por um dia? Numa visita ao complexo Utah Olympic Park, é possível ver de perto o centro de treinamento de algumas equipes olímpicas dos Estados Unidos.

Lembra daqueles malucos que quase matam suas mães do coração ao praticarem salto com esqui nórdico? Dá pra ver a pista de pertinho e garanto: é alto demais! Também é possível cruzar com equipes de bobsled, skeleton e luge.

No inverno, eles liberam a pista de bobsled para quem quer brincar de Jamaica Abaixo de Zero (com a ajuda de um instrutor, é claro!). Já no verão, ela é descongelada, os trenós ganham rodinhas e tudo vira uma grande brincadeira. Mas é preciso fazer a reserva pelo site e custa 175 dólares por adulto.

O que fazer em Park City: Olympic Park

A marca dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 ainda pode ser vista dentro do complexo. Nele foi montado um museu que retrata as histórias das competições (Eccles 2002 Olympic Winter Games) e também o Alf Engen Ski Museum, que expõe curiosidades sobre a evolução da prática de esqui.

Termine sua visita pelo Parque Olímpico de Utah aproveitando a novidade do ano: uma tirolesa a 50 metros de altura que pode chegar a até 60 km/h. São sete paradas ao longo do trajeto que podem ser completadas com um roteiro de arvorismo (o circuito todo custa 50 dólares).

Utah Olympic Park

  • Endereço: 3419 Olympic Pkwy. Site.
  • Horários: welcome center: todos os dias, das 9h às 18h
  • Ingressos: 12 dólares por adulto (faça a reserva pelo site, pois as visitas são com hora marcada)

O que fazer em Park City: olimpíadas de inverno 2002

O que fazer em Park City: passeios na neve

Vale a pena visitar Park City durante a primavera e o verão?

Claro! Nem só de Let It Go vive Park City: a cidade também abraça sua aptidão para destino outdoor. São mais de 700 quilômetros de trilhas que podem ser feitas a pé, de bicicleta ou a cavalo. Sobrevoos de balão, pesca esportiva, passeios de barco, stand-up e tirolesa na floresta também complementam a agenda de atividades ao ar livre.

Você ainda pode curtir os restaurantes, SPAS e o outlet que não fecham durante os meses mais quentes do ano. Aproveite também para se aventurar no Alpine Coaster, um misto de montanha-russa com bobsled bem divertido.

Onde fazer compras em Park City

Park City tem mais de 300 lojas diferentes e 20 galerias de artes, como a Montain Trails. As lojinhas mais autênticas ficam na Main Street, a principal e mais movimentada rua do centro.

Se você adora o estilo divertido das meias do Justin Trudeau, a loja Sock City vende uma variedade de peças engraçadas; para presentes diferentes, visite a Southwest Indian Traders.

Ali pertinho ainda fica o Tanger Outlet Center que reúne mais de 65 marcas como Nike, Tommy Hilfiger e Polo Ralph Lauren e é um ótimo endereço para quem precisa comprar roupas de frio ou para quem adora uma boa oferta. Não dá pra voltar pra casa com a mala vazia!

Eventos em Park City 2019/2020

Park City também é a casa do cinema independente nos Estados Unidos. De 24 de janeiro a 3 de fevereiro de 2019, aconteceu o Sundance Film Festival. Esse importante evento une cineastas, atores, produtores e fãs da sétima arte em diversas pré-estreias, tapetes vermelhos, festas e painéis de discussão.

A temporada de inverno 2018-2019 ainda não acabou! Entre os dias 1 e 10 de fevereiro, as montanhas de Park City receberam o eletrizante Campeonato Mundial de Snowboard, Freestyle e Freeski. Os visitantes conseguiram assistir às provas e ainda curtiram o après-ski com essa galera maluca.

Para comemorar a chegada da primavera, a partir de 23 de março até 7 de abril, acontece o Spring Grüv, um evento que promove shows gratuitos em Park City Mountain Village e Canyons Village. Veja a programação completa aqui.

Como gastronomia é um assunto sério, uma programação especial dedicada ao tema não poderia ficar de fora do calendário oficial. Em 2019, no dia 22 de junho, acontece o animado Savor the Summit. Nessa noite, os principais restaurantes promovem um grande banquete bem no meio da Main Street.

Para conseguir um lugar à mesa, entre em contato com um dos participantes e faça sua reserva antecipada, porque os lugares são muito disputados.

Durante três dias em agosto (de 2 a 4, ingressos a 12 dólares) as ruazinhas do centro histórico se transformam num caldeirão das artes. O Kimble Arts Festival é um dos mais conceituados eventos para artistas apresentarem e, porque não, venderem seus principais trabalhos. Mas não pense em um festival erudito onde todos usam black-tie: o Kimble Arts também promove uma agenda de shows ao ar livre, oficinas culturais e food-trucks.

Encerrando o calendário, o Deer Valley Music Festival reúne a orquestra sinfônica de Utah num belo anfiteatro ao ar livre, com apresentações gratuitas e pagas. A programação de 2019 ainda não foi liberada, mas geralmente acontece aos finais de semana de junho a agosto, sempre durante o verão. Confira mais detalhes.

O Sundaycooks viajou a convite do Visit Park City.

Assine nossa newsletter!