Era nosso último dia pelo Valle Sagrado. Nosso trem partiria a noite de Ollantaytambo para Aguas Calientes e a nossa ansiedade já era visível. Ainda bem que a programação do dia nos reservava ótimas surpresas e muita história interessante pela frente :D

Valle Sagrado - Montanhas nevadas

Terceiro dia no Valle Sagrado

Esse dia foi, sem dúvida, o dia das estradas mais bonitas, das paisagens que não imaginávamos que poderiam cruzar nossos caminhos. Picos nevados, pastores de ovelhas, estradas de terra, vilarejos praticamente esquecidos no tempo passaram por nós.

Leia também:

Onde ficar em Cusco e Machu Picchu?

Valle Sagrado - pastoreio em estradas de terra

Chinchero

Primeira parada do dia: Chinchero. Uma pequena aldeia Inca devastada pelos espanhóis e famosa por suas ruínas históricas.

Valle Sagrado - Chinchero

Aqui, a altitude também manda lembranças. E eu achando que Tambomachay era o lugar mais alto que visitaríamos nessa viagem…

Valle Sagrado - Chinchero - detalhe no alto das casas

Em Chinchero já é possível avistar os picos nevados de Salcantay e as distantes cadeias montanhosas de Vilcabamba e Urubamba que formam um belo cenário para a região.

Valle Sagrado - Chinchero - montanha nevada

Ao domingos, acontece a feira de alimentos em Chinchero e, até hoje, muitas das transações são feitas a base de trocas. Ao término da feira, os moradores caminham até a igrejinha para ouvir a missa que ainda é feita em Quechua, dialeto oficial dos Incas.

Valle Sagrado - Chinchero - cruz em frente à igreja

Valle Sagrado - Chinchero - mercadinhoValle Sagrado - Chinchero - mercadinho, nosso guia, Ingrid e Natalie

Lá visitamos basicamente a Igreja da Virgem da Natividade de Chinchero, uma igreja colonial feita em adobe e construída sobre fundações incas, e a Praça Central onde alguns moradores tentam vender artesanatos para os turistas que por ali passam.

Valle Sagrado - Chinchero - corta-grama para quê? :P

Moray

A próxima parada estratégica era em Moray, praticamente dentro de um capítulo de qualquer série do History Channel.

Valle Sagrado - Moray

O que aquelas famosas terraças em formato circular representavam para os Incas?

As teorias são as mais diversas possíveis, incluíndo uma que diz que Moray era um grande anfiteatro. A teoria mais viável é que a região representava um tipo de estação de desenvolvimento de agricultura, uma espécie de laboratório agrícola. Lá os Incas testavam sementes, colheitas e o solo. Dizem até que cada nível de Moray possuía seu próprio microclima, com diferenças de mais de 1 grau de temperatura entre elas.

Valle Sagrado - Moray e montanhas ao fundo

Os Incas também consideravam Moray o umbigo do mundo. Até hoje muitos turistas, que procuram a região por motivos místicos, vão a Moray fazer homenagens à Pacha Mama (mãe natureza), levando folhas de coca e batatas.

Atente-se para o detalhe: excursões rápidas em grandes ônibus não costumam descer até o centro de Moray. Eles passam poucos minutos observando a região no mirante e já partem para o próximo destino :( Somente grupos pequenos costumam descer até o centro. Garanto que isso faz toda a diferença na compreensão sobre como funcionava Moray (e no teste da sua capacidade física a 3800m de altitude) ;P

Valle Sagrado - Moray - umbigo do mundo

Salineras de Maras

Quando eu pensava em regiões cobertas de sal, logo me vinham à mente o deserto do Uyuni na Bolívia ou no Pamukkale na Turquia. Eu realmente desconhecia as Salineras de Maras.

Valle Sagrado - Salineras de Maras

Ao chegar lá, fomos surpreendidos por um grande terraço na encosta da montanha coberta por sal e barro.

Valle Sagrado - Salineras de Maras - poças de secagem de sal

As Salineras de Maras são formadas por 4 mil “poças” de sal cristalizado originário de uma fonte de água subterrânea a muitos quilômetros dali.

Valle Sagrado - Salineras de Maras - rio ao longe

Cada poça produz cerca de 300 quilos de sal por mês e cada família de Maras é responsável pela manutenção e extração de 40 poças.

Valle Sagrado - Salineras de Maras - montanhas

Se você tiver a oportunidade, coloque o dedo na água que vai até as poças e veja o que ela faz com eles :mrgreen:

Valle Sagrado - Salineras de Maras - Fred e seu chapeuzinho

Ollantaytambo

A última etapa do nosso dia foi Ollantaytambo, apelidada carinhosamente por Ollanta. A cidade representava o fim da nossa visita ao Valle Sagrado e a despedida do nosso guia que nos acompanhou ao longo desses três intensos dias respondendo prontamente a cada pergunta pentelha que fizemos, a cada teoria da conspiração e a cada lamento sobre política na América Latina :P

Valle Sagrado - Ollantaytambo - montanha em frente às ruínas

Ollanta é uma das regiões mais visitadas no Valle Sagrado pelos turistas que seguem caminho rumo a Machu Picchu. Se você quer visitar as ruínas com mais calma, sem trombar com muitas excursões, a dica é dormir uma noite na cidade e visitar as ruínas logo pela manhã antes dos grupos chegarem.

Valle Sagrado - Ollantaytambo - ruínas

O complexo de ruínas de Ollantaytambo é grande e você encontrará diversas características da cultura Inca: grandes sistemas de irrigação, um templo de coroação e uma grande área para adoração e observação astronômica.

Valle Sagrado - Ollantaytambo - mais ruínas

Ollanta, encerrou com chave de ouro mais essa etapa da viagem que era um grande sonho para nós. Era hora de seguir para a estação de trem e partir para Aguas Calientes.

Valle Sagrado - Ollantaytambo - portões na base

Apesar de todo o cansaço, eu mal consegui dormir aquela noite :P

Veja também os outros posts que vão lhe ajudar a organizar seus dias pelo Valle Sagrado:

Visitando o Valle Sagrado dos Incas: tirando todas as dúvidas

Valle Sagrado: Qorikancha, Tipón, Pikillacta e Andahuaylillas

Valle Sagrado: Sacsayhuamán, Qenqo, Tambomachay e Pisac

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Se gostou do que viu, assine o blog!


    84 Comentários
  1. Oi!!
    Estou pensando em viajar com meu namorado para o Peru em fevereiro e tenho algumas dúvidas…
    Pretendo comprar o boleto turístico geral… Aqui vão minhas (várias) dúvidas:
    1) É possível comprá-lo diretamente na plaza das armas?
    2) O boleto é só a entrada dos locais, então além dele, preciso comprar um pacote de excursão com ônibus, ou ir de táxi para cada lugar, certo? Vocês têm ideia do custo médio de cada uma dessas opções?
    3) Onde há locais para alimentação? Vocês sabem quanto se gasta por dia em alimentação, em média? (não pretendo comer nada de muito demais, qualquer coisa que alimente, pizza, pastel, já está bom hehe)
    4) Se eu quiser uma visita guiada, preciso pagar um guia separado, certo? Onde posso encontrá-lo? Na entrada de cada local ou posso encontrar alguém no hostel ou na plaza das armas que faça a visita toda comigo? Vocês têm ideia de valor?
    5) Pretendo pegar o circuito geral, vocês acham que um dia para cada circuito (1, 2 e 3) está bom, ou precisa de mais ou menos tempo em algum deles? No segundo dia, como parece mais leve (apenas museus e coisas assim…) pretendia ir ao planetário também, vocês acham viável? Sabem como posso fazer para reservar a ida ao planetário?
    6) O trem que vocês pegaram de Ollantaytambo para Aguas Calientes custou quanto? Quando e onde compraram as passagens? Estudante tem desconto?
    7) E uma dúvida nada a ver, vocês sabem qual a voltagem das tomadas no Peru? Hahahaha e o formato dos pinos das tomadas… Como é meio frio, preciso secar meu cabelo sempre que lavar, e não sei se nos hostels têm secador, então pretendo levar um pequeninho, aí queria saber se é 110V ou 220V, e se preciso levar algum tipo de adaptador…

    Sei que são váriass dúvidas hahaha mas ainda estou pesquisando sobre tudo, ainda estou meio perdida… Agradeço qualquer informação que vocês possam dar (além das váriass que já encontrei aqui no site de vocês, que por sinal é muito bomm, adoreiii hehe) Obrigada!!!

    • Oi Isadora. Vamos lá :)

      1) Sim.
      2) Sim. O ideal é você ir ou com tour privado ou em excursão pra poder ter as explicações dos guias. Os preços variam muito, então é melhor entrar em contato com as agências deste post >> Agência de viagem do Peru, qual você indica?
      3) Geralmente os tours param em algum restaurante pra vocês comerem. Na cidade os preços variam muito também, mas há pizzas de 10 soles como comida mais cara e gourmet :P
      4) Sim, mas como o ideal é ir com uma excursão ou tour privado, vc não precisará contratar ninguém extra. Talvez apenas em Machu Picchu se vc não fechar o tour com antecedência. Os valores também variam muito :/ Entre em contato com as agências do post ali em cima pra saber direitinho :) Ouvi alguém dizer aqui que um tour compartilhado no valle sagrado custou 12 dólares por pessoa, mas não sei dizer qual tour e se há tours mais baratos. Ah, e não é na porta de todo sítio que há guias, apenas nos mais famosos.
      5) Dá uma olhada nesse link de todos os posts do Valle Sagrado pra ver os tours que fizemos. Lembrando que vc pode fazer na ordem que quiser, não precisa e talvez nem dê, pra fazer a ordem dos circuitos q eles sugerem ;) http://sundaycooks.com/category/destinos/peru/valle-sagrado-peru-viagens/ Infelizmente não conheço o planetário e não tenho como dizer como funciona :( O pessoal do seu hotel deve ter mais informações.
      6) Dá uma olhada neste post: Como ir para Machu Picchu
      7) Sabe que nunca me preocupei com isso. Meus aparelhos são todos bi-volt e eu sempre carrego um adaptador de tomada universão na mala :P Mas aparentemente é 220v e aceita plugs de tomada com 2 pinos redondos ou chatos. Mais info aqui: http://goperu.about.com/od/planningandpacking/a/Electricity-In-Peru-Outlets-And-Voltage.htm

      Além dessas dicas, confira os posts do roteiro do peru que fizemos e também esse link com todos os posts do peru até hoje do blog:

      Dicas e roteiros do Peru: Guia completo do país
      http://sundaycooks.com/category/destinos/peru/

  2. 1 2 3 4
Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback
  1. […] do Ricardo, leitor do […]

  2. […] Valle Sagrado: Chinchero, Moray, Salineras de Maras e Ollantaytambo […]

  3. […] / Andahuaylillas / Puca Pucara 2o. dia: Pisac / Sacsayhuamán / Quenqo / Tambomachay 3o. dia: Salineras de Maras / Chinchero / Moray/ Ollantaytambo (Aqui seguimos viagem para Aguas Calientes) 4o. dia: Machu Picchu – trilha até Huayna […]

  4. […] ou uma pesquisa profunda sobre o assunto, você dificilmente saberá que a maior pedra usada em Ollantaytambo veio das montanhas que ficam a mais de 2km de distância além do rio que corta a […]

  5. […] o típico viajante resumido quando estivemos em Moray. Nós estávamos subindo os últimos níveis das ruínas quando vimos um grupo chegando e tirando […]