atualizado em:

Visitando o Valle Sagrado dos Incas: tirando todas as dúvidas

Quais cidades visitar no Valle Sagrado? Como os sítios arqueológicos estão distribuídos pela região? O que vale mais a pena […]

por Natalie Soares outros artigos do autor
atualizado em:

Quais cidades visitar no Valle Sagrado? Como os sítios arqueológicos estão distribuídos pela região? O que vale mais a pena conhecer no Valle Sagrado? Qual a diferença entre as diversas ruínas encontradas por lá? Será que são todas do império Inca?

Valle Sagrado - vilarejo

Essa e muitas outras perguntas surgiram durante as minhas pesquisas para essa viagem. Eram muitas dúvidas e quanto mais informação eu buscava, mais confusa eu ficava. O que eu não poderia imaginar eram as surpresas, histórias e belezas que o Valle Sagrado nos reservaria 🙂

O Valle Sagrado dos Incas

Qual é a diferença entre conhecer Ollantaytambo e Pisac, por exemplo? Ao organizar o roteiro da viagem, estudamos a região e dividimos basicamente os sítios arqueológicos e cidades históricas por proximidade, interesse e pelos dias que tínhamos disponíveis para explorar essa área.

Valle Sagrado - Ollantaytambo

Quais cidades históricas formam o Valle Sagrado?

As principais cidades do Valle Sagrado são: Pisac, Ollantaytambo, Maras, Moray, Chinchero, Tipón, Urubamba, além de Andahuaylillas e Calca.

Na verdade, várias cidades e vilarejos próximos a Cusco são consideradas parte do Valle Sagrado, pois os Incas dominaram fortemente essa região e deixaram muitas ruínas por lá.

Valle Sagrado - Salinera de Maras

Como ficou o nosso roteiro pelo Valle Sagrado?

Nós contratamos um tour privado e assim conseguimos negociar todos os passeios com uma agência local de forma que, logo cedo, o guia passava no nosso hotel e já começava o nosso intensivão de história e cultura Inca.

Antes de fechar o negócio, conversamos com a dona da agência e ela sugeriu uma alteração, muito bem vinda, para otimizarmos nosso roteiro e, assim, economizar um dia em Cusco 🙂

Valle Sagrado - Moray

Foi assim que visitamos o Valle Sagrado:

1o. dia: Tipón / Pikillacta / Andahuaylillas / Puca Pucara
2o. dia: Pisac / Sacsayhuamán / Quenqo / Tambomachay
3o. dia: Salineras de Maras / Chinchero / Moray/ Ollantaytambo (daqui seguimos viagem para Aguas Calientes)
4o. dia: Machu Picchu – trilha até Huayna Picchu/ Retorno para Cusco

Leia também:

Onde ficar em Cusco e Machu Picchu?

É possível visitar o Valle Sagrado por contra própria?

Geralmente, os turistas não dispõem de muito tempo para conhecer o Valle Sagrado com mais calma. Alguns não acham necessário ou não curtem muito esse clima de “aula no museu a céu aberto”. Dessa forma, muitos tours coletivos são organizados e oferecidos aos visitantes que acabam optando por passeios que duram apenas um dia e prometem passar por diversas ruínas de forma mais rápida e superficial.

Ao redor da Plaza de Armas em Cusco, é possível encontrar inúmeras agências de receptivo que vendem esses passeios. É fácil e relativamente tranquilo comprar esses passeios sem muita antecedência.

O que eu sugiro é que você peça a indicação de alguma agência legal na própria recepção do seu hotel ou que já chegue em Cusco com algumas agências em mente para não perder muito tempo.

Valle Sagrado - Puca Pucara

Você que fez um passeio em grupo, indica algum agência?

Como foi o passeio? Foi muvucado ou muito corrido para você?

Se você quer conhecer a região com mais calma, recomendamos que tentem organizar um tour privado ou tentar pegar um tour coletivo que faça passeios com mais calma.

No caso dos tours privados, é importante prestar atenção a alguns detalhes:

Mas que menina pentelha! Jura que você foi atrás disso tudo?

Sim. Afinal passaríamos quatro dias viajando pela região de carro com nosso guia. Era importante garantir que a experiência fosse agradável. A Isabel, dona da agência que contratamos, nos enviou todos os detalhes, inclusive com fotos do carro. Também conversamos diversas vezes com ela pelo telefone e ela ainda nos encontrou no nosso hotel no dia da chegada para nos apresentar o guia e explicar direitinho como seria tudo. Posso dizer que fizemos a escolha certa, tanto de roteiro quanto de empresa e de guia 🙂

Não quero passeio com uma galera e nem um tour privado. Existem outras alternativas?

Negociar um preço fechado com um taxista em Cusco e pedir para que ele lhe leve até o local desejado e aguarde seu retorno também é teoricamente viável. Talvez você sinta falta de uma explicaçãozinha aqui e outra acolá, mas é possível. Tenha em mente que o taxista pode lhe dar bolo, portanto esteja preparado para eventualidades.

E alugar um carro, é uma boa ideia?

Você pode alugar um carro em Cusco e fazer seus passeios, mas não conheço ninguém que tenha optado por essa alternativa. Como Cusco tem um trânsito bem melhor que o de Lima, talvez você não tenha dificuldades para dirigir por lá. A maioria das estradas entre as cidades é asfaltada e a sinalização é razoável. Um bom GPS, um mapa das estradas (yep, GPSs costumam não ter todas as estradas entre cidades pequenas) e um pouquinho de cautela, nessas horas, não fazem mal a ninguém 😀

Valle Sagrado - Ovelhas pelo caminho

Alguns guias impressos também citam o transporte público local como uma forma de visitar as cidades da região. Não consigo avaliar o grau de perrengue que essa economia pode oferecer, mas eu não indico essa opção para quem é de coração fraco 😛

Alguém aqui já fez esses passeios de transporte público no Valle Sagrado?

Quero explorar o Valle Sagrado com mais calma, é possível dormir por lá?

Caso você queria prolongar a sua visita, Ollantaytambo é a base ideal para o seu pit-stop entre Cusco e Machu Picchu. Algumas pessoas também dormem em Urubamba antes de seguir para a citadela Inca 🙂

A ordem dos fatores altera o produto? Devo visitar o Valle Sagrado antes ou depois de conhecer Machu Picchu?

Independente da forma como você irá conhecer essa região, seja por conta própria ou de excursão, a ordem dos fatores aqui realmente afeta o resultado.

Pense que todos os seus dias em Cusco e no Valle Sagrado servirão para construir uma base de conhecimento e informações sobre as tradições do império Inca e até mesmo sobre o tumultuado processo de colonização espanhol e que, sem isso, boa parte da magia de Machu Picchu se perderá.

A cada dia, cada novo passeio acrescenta uma nova experiência e novos detalhes, cujo auge será a visita a Machu Picchu.

Por isso, para garantir aquele efeito “uauuu”, eu acho fundamental deixar Machu Picchu para o final da viagem. Controle a ansiedade, pois tudo vai valer a pena e Machu Picchu será a cereja do bolo =D

Eu também diria que visitar os outros sítios arqueológicos depois de Machu Picchu pode diminuir o impacto e o encantamento de cada visita ao Valle Sagrado.

Valle Sagrado - Tambomachay

Abaixo estão os posts até o momento sobre Cusco, Machu Picchu e o Peru em geral:

Quantos dias ficar no Peru?

Onde ficar em Lima e quais os melhores bairros?

Onde ficar em Cusco e Machu Picchu?

Como ir para Machu Picchu

Qual é a melhor época para visitar Machu Picchu?

Ingressos para Machu Picchu: Como comprar e possíveis dúvidas

8 Dúvidas sobre como montar um roteiro de viagem para o Peru

Todas as nossas dicas sobre Cusco

Todas as dicas sobre o Peru

Você tem alguma dica legal do Valle Sagrado para indicar aos leitores

que estão planejando uma viagem para lá?

Se você tiver alguma outra dúvida, é só perguntar

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Assine nossa newsletter!

Comentários