atualizado em:

Manila: a Pérola do Oriente é para os fortes

A capital filipina assusta à primeira vista, mas encanta quem tem coragem para procurar seus tesouros

por Gabe Britto outros artigos do autor
atualizado em:

Vou ser direto e sincero: Manila não é um destino para qualquer pessoa. Gigantesca, extremamente caótica e sem grandes atrações históricas (já que quase tudo foi destruído na Segunda Guerra), ela é a antítese dos cenários paradisíacos das Filipinas. Se você busca apenas paisagens tropicais no país, é melhor não sair do aeroporto da capital.
Por outro lado, se você é daqueles que curtem a muvuca das metrópoles asiáticas e suas misturas de tradição com modernidade, tem 100% de chances de amar a cidade. Porque atrás de toda essa bagunça do parágrafo anterior, existem lugares incríveis.

Índice

Manila, Metro Manila e City of Manila: entenda o que é cada uma

Uma das primeiras coisas que você percebe quando começa a preparar a sua viagem para Manila é que o nome da cidade vale para ela e também para o conjunto formado com suas cidades vizinhas.

É algo meio confuso, mas é importante entender e eu explico.

Sabe a Grande São Paulo, que é formada pela cidade de São Paulo e mais Guarulhos, São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano e outras?

Em Manila é mais ou menos a mesma coisa.

A Cidade de Manila é apenas um dos 16 ou 19 municípios (o número muda de acordo com o seu interlocutor filipino) que formam a área chamada de Metro Manila.

As diferenças – principalmente para os turistas – são as seguintes:

  • O nome “Manila” é utilizado para definir tanto a Cidade de Manila quanto a Metro Manila;
  • As atrações e os hotéis não estão apenas na Cidade de Manila, mas também nas suas vizinhas que formam a Metro Manila.

É como se a Grande São Paulo e a cidade de São Paulo fossem consideradas a mesma coisa, e como se os melhores hotéis e atrações turísticas paulistanas não estivessem apenas na capital, mas também na região do ABC, por exemplo.

Entendeu?

Então não esqueça: neste post, o termo “Manila” é utilizado para o conjunto inteiro, a Metro Manila.

Metro Manila
Corte horizontal no mapa de Metro Manila, mostrando a Cidade de Manila e as principais vizinhas (arte do mapa: Adkranz / Wikipedia / CC BY-SA 4.0)

Como montar seu roteiro por Manila

Por causa do trânsito que faz paulistanos sentirem saudades até de seus engarrafamentos em saídas de feriados com chuva e greve de ônibus (tudo junto), Manila exige roteiros sem grandes deslocamentos ao longo de cada dia.

Por exemplo: num dia, você visita toda a região de Intramuros, no outro passeia por Makati. Nunca programe Intramuros de manhã e Makati à tarde, porque você provavelmente vai perder horas valiosas no trânsito entre uma região e outra. No máximo (e olhe lá), é possível conhecer regiões coladas, como Intramuros e Chinatown, no mesmo dia.

Deixe os deslocamentos grandes limitados apenas à ida e à volta para o hotel (e eles já vão comer boa parte do seu tempo, acredite).

Respeitando essa regra, talvez você até esqueça como é difícil se locomover pela cidade com um veículo.

Trânsito em Manila

Onde ficar em Manila

Existem hotéis em todas as principais cidades da Metro Manila, mas os mais interessantes ficam nas regiões modernas ou próximos das principais atrações turísticas.

O Lonely Planet tem uma tabela excelente indicando as características e os prós e contras de cada região. Separei aqui as que eu mais indico:

  • Intramuros: calmaria, próxima das atrações históricas, preços mais baixos, cenários mais “autênticos”, porém vazia e sem opções à noite.
  • Makati: moderna, com hotéis de alto padrão, vida noturna agitada e muitas opções de bons restaurantes nos arredores.
  • Bonifácio Global City (BGC): semelhante a Makati, com a vantagem de ser ainda mais moderna.

Eu fiquei no Shangri-la at The Fort, em BGC. É um 5 estrelas maravilhoso e muito bem localizado (em frente à Bonifacio High Street, um boulevard de restaurantes e comércio). Se você estiver em busca de algo assim, saiba que esse tem minha bênção.

Filipinas, hotel Shangri-la em Manila

O que fazer em Manila

Como foi dito ali em cima, Manila não tem grandes atrações históricas, já que praticamente tudo foi destruído na Segunda Guerra Mundial. Então o que resta para ser visto – além do pouco que ficou em pé depois das bombas – é a própria muvuca da metrópole, as áreas mais modernas (com seus restaurantes excelentes) e a região de Binondo, a “Chinatown” mais antiga do mundo.

Igrejas em Intramuros, Manila

Região histórica: Intramuros

Como o nome indica, Intramuros é uma área cercada, um antigo forte.

Dá para dizer que foi ali que nasceu a Manila pós-colonização espanhola, já que a sua construção aconteceu logo depois da conquista definitiva da cidade pelos espanhóis, nos anos 1500, para servir de sede segura de todos os prédios administrativos da capital, além de igrejas, conventos, mosteiros e, é claro, das casas da elite local.

Ainda que tenha resistido a várias tentativas de invasão de outros conquistadores, Intramuros foi totalmente devastada na Batalha de Manila, em 1945, quando apenas a Igreja de Santo Agostinho ficou de pé. Consequentemente, quase tudo que vemos ali hoje é reconstrução do que havia na área.

Dentro de Intramuros, as principais atrações são estas abaixo.

Forte Santiago

Esta fortaleza servia como parte da estrutura de segurança da área de Intramuros e também como prisão de dissidentes políticos, revoltosos e todos aqueles que tentavam reduzir o poder dos espanhóis.

O maior nome entre os nacionalistas filipinos, José Rizal, ficou preso ali antes de ser executado. Seus últimos passos entre a prisão e o local de execução estão registrados no piso do forte.

Além das belas áreas abertas (um oásis no meio da muvuca da cidade), o Forte Santiago tem o Museu ni Jose Rizal, dedicado ao líder revolucionário.

Manila, intramuros, Filipinas

Forte Santiago

  • Endereço: Santa Clara Street, Intramuros
  • Horários: aberto diariamente das 8 às 21h
  • Ingresso: 75 pesos filipinos

Igreja e mosteiro de Santo Agostinho

Não apenas pela beleza do seu interior barroco, mas também pela sua sobrevivência (é a mais antiga das Filipinas) e por ser considerada Patrimônio da Humanidade, a Igreja de Santo Agostinho é uma atração obrigatória para quem quiser conhecer algo histórico genuíno em Manila.

Não deixe de passear pelo mosteiro que fica bem ao lado e pelo seu museu. Tudo é interessantíssimo e muito bonito. Com um pouco de sorte, você também vê casais filipinos posando para fotos por ali.

Filipinas, igreja de Santo Agostinho

Museu da Igreja e do Mosteiro de Santo Agostinho

  • Endereço: General Luna Street, Intramuros
  • Horários: aberto diariamente das 8 às 12h e das 13 às 18h
  • Ingresso: 100 pesos filipinos

Casa Manila

Com exceção dos lindos móveis, tudo na Casa Manila é reprodução, mas isso não faz com que seja menos interessante.

Ela foi construída por Imelda Marcos para mostrar como eram os grandes casarões da elite filipina no século 19. É fascinante ver a mistura de estilos nos ambientes, com toques orientais, mexicanos e espanhóis por todos os lados.

Casa Manila, em Manila, Filipinas

Casa Manila

  • Endereço: General Luna Street, Intramuros
  • Horários: de terça a domingo, das 9 às 18h
  • Ingresso: 75 pesos filipinos

Regiões modernas: Makati e Bonifácio Global City

Dedique boas horas dos seus dias para passear por estas duas regiões (que ficam coladas uma na outra), ainda mais se você estiver em busca de compras e bons restuarantes.

Makati é considerada o coração financeiro das Filipinas, onde estão as sedes de todas as grandes empresas instaladas na cidade. E para os fãs de aviação, ela tem um atrativo a mais: seu ponto principal fica exatamente onde funcionava o aeroporto de Manila há quase um século, e as atuais avenidas Makati e Ayala (que formam um cruzamento) eram as pistas de pouso. Quer mais? O lindo prédio art déco onde funciona o restaurante Blackbird era nada menos que o terminal do aeroporto.

Makati, Metro Manila, Filipinas

Bonifácio Global City (abreviada como BGC) tem pouco mais de 10 anos de idade, o que já dá uma ideia do estilo das construções da região. Ela foi construída numa área militar norte-americana, comprada pelos Estados Unidos quando o país comandava as Filipinas.

Por ali, minha sugestão é passear calmamente pela moderna Bonifácio High Street (cheia de restaurantes bons) até o mercado Market Market, onde você pode ver vários jeepneys coloridíssimos se exibindo para os turistas.

Bonifacio High Street, em Manila

Binondo (Chinatown)

Não espere nada calmo, moderno ou muito limpo nas ruas de Binondo. A bagunça é enorme naquelas ruas sinuosas, estreitas e lotadas de carros de todos os tamanhos.

Apenas passeie apreciando a muvuca, as luminárias (algumas quebradas, como na foto abaixo) e lembre que você está na Chinatown mais antiga do mundo.

Chinatown em Manila

Onde comer em Manila

Como é de se esperar numa metrópole tão grande, a capital filipina não decepciona na sua gastronomia. São muitas opções de restaurantes de todos os tipos e preços. Aqui embaixo estão os que mais me chamaram a atenção.

Raging Bull

Fica dentro do hotel Shangri-la at The Fort. É uma maravilha para quem gosta de boa carne, mas também tem delícias para vegetarianos. Excelente sugestão para quem estiver passeando por Bonifacio Global City.

Ah, o site dele avisa: pode ir com uma roupa bem casual, mas não de chinelos.

Restaurante Raging Bull, Manila, Filipinas

Raging Bull

  • Endereço: 30th Street corner 5th Avenue – Level 3 Shangri-La at the Fort – Bonifacio Global City, Taguig
  • Site: ragingbullchophouse-fort.com
  • Horários: almoço de segunda a sexta, das 11h30 às 14h30 e, no fim de semana, das 12h às 15h; jantar todos os dias das 18h às 22h30
  • Faixa de preço: pratos principais de 735 a 1950 pesos filipinos; pratos com carnes de 1725 a 7950 pesos filipinos

The Test Kitchen

Provavelmente o restaurante mais exclusivo de Manila, porque tem lugar para apenas 20 pessoas e só atende com reservas (que podem chegar a 30 dias de espera). Pertence ao premiado chef Josh Boutwood, que faz pratos deliciosos definidos pela estação, sem menu aberto. Para melhorar, fica numa casinha escondida, em Makati.

Filipinas, restaurante em Manila

The Test Kitchen

  • Endereço: 9780 Kamagong St. – San Antonio Village, Makati City
  • Site: thetestkitchen.ph
  • Horários: a partir das 19h, mas apenas com reservas
  • Faixa de preço: menu degustação de 1900 a 2900 pesos filipinos
  • Reservas: [email protected]

Romulo Cafe

Carlos Peña Romulo foi um homem respeitadíssimo nas Filipinas. Diplomata e jornalista (entre outras atividades), ele foi o primeiro asiático a presidir a Assembleia Geral da ONU e o primeiro não-americano a receber um Pulitzer como correspondente.

Seus netos decidiram fazer uma homenagem a ele com esse restaurante, que tem clima e pratos que combinam com uma pessoa tão distinta. É o melhor lugar para provar um sisig (prato típico das Filipinas, feito com carnes da cabeça do porco).

Restaurante Romulo, Manila

Romulo Cafe

  • Endereço: 148 Jupiter Street – Bel-Air Village, Makati City
  • Site: romulocafe.com
  • Horários: todos os dias, almoço das 11h às 15h e jantar das 18h às 23h
  • Faixa de preço: pratos principais de 185 a 665 pesos filipinos (mas as porções não são grandes)

Jollibee

A rede de fest-food Jollibee (que é  chamada de “McDonald’s filipino”) pode ser uma boa opção para os aventureiros, para os curiosos e para quem estiver com a grana curta, já que vende pratos baratíssimos. Dá para fazer uma refeição com 2 dólares – mas não espere sabores maravilhosos, é óbvio.

Fast-food Jolibee, Manila

Este combinado saiu por 124 pesos filipinos

Jollibee

  • Endereço: vários, em toda Manila
  • Site: jollibee.com.ph
  • Horários: depende da loja, mas normalmente abrem bem cedo e vão até tarde da noite
  • Faixa de preço: a partir 50 pesos filipinos você já come algo

Quando ir para Manila

O clima da capital acompanha a média do país, com a desvantagem de qualquer metrópole tropical: calor e abafamento ainda maiores do que em cidades menores. Veja as tendências do clima nas Filipinas ao longo do ano e acrescente esse fator.

  • Janeiro e fevereiro: melhor época, com sol e clima mais agradável.
  • Março, abril e maio: sol com temperaturas elevadas. Pode haver tufão em maio.
  • Junho e julho: temporada dos tufões. Julho tem mais chuvas, que podem ser apenas temporais de fim de tarde.
  • Agosto: mês de muita chuva e ainda pode haver tufões.
  • Setembro e outubro: diminuem as chances de tufões.
  • Novembro: a umidade finalmente começa a cair.
  • Dezembro: faz parte da melhor época, mas os preços disparam no fim do ano.

Segundo os filipinos, a Páscoa é uma boa época para estar em Manila, porque a cidade fica mais calma (enquanto as cidades menores ficam praticamente desertas).

Manila num dia de sol e calor

Como andar em Manila

Existem basicamente duas opções de transporte relativamente confortável em Manila: táxis ou carros de aplicativos.

Para os táxis, o ideal é sempre pedir algo indicado pelo seu hotel (e sempre exija que o taxímetro esteja ligado). Para os aplicativos, você pode usar o Uber ou o concorrente local, chamado Grab. Ambos são bastante recomendados pelos filipinos.

Mas se você quiser algo mais emocionante, sua escolha são os jeepneys. Eles são algo como as nossas lotações, mas com muito mais cores e história: sua origem vem dos jipes deixados pelos norte-americanos após a saída do país. Os filipinos pegaram os veículos, deram aquela ajeitada na traseira (alongando muito) e começaram a transportar passageiros dentro das cidade e entre elas.

Os trajetos que os jeepneys fazem são fixos, mas eles não conseguem fugir do caos no trânsito. Em caso de dúvidas sobre o destino, pergunte ao motorista ou ao seu ajudante. Ambos falam inglês.

Metrô? Sim, Manila até tem um, mas a recomendação é esquecer esse meio de transporte. A quantidade de pessoas em cada vagão não é algo legal, a não ser que você goste de sofrer.

Segurança em Manila

Como toda cidade grande de um país em desenvolvimento, Manila tem suas áreas seguras e inseguras.

As regiões mais turísticas e os grandes centros modernos são seguros e requerem apenas aqueles cuidados básicos: não ficar mostrando muito dinheiro, evitar caminhar com câmeras muito caras a tiracolo (apesar da minha ter ficado na minha mão o tempo inteiro), ter muita atenção em aglomerações e, principalmente, ficar de olho na sua mochila e na sua carteira.

À noite, obviamente, evite ruas muito desertas ou escuras.

Nos táxis e carros de aplicativo, convém trancar as portas (mas seu motorista deve recomendar isso a você).

Onde ir à noite em Manila

A noite de Manila é bastante agitada, com várias opções que ficam aberta até o nascer do dia, principalmente bares de karaokê (uma mania filipina). Makati é o destino certo para procurar esses lugares, mas se quiser beber no melhor bar do país, anote o nome abaixo.

The Curator

Se você gosta de drinques, não perca (de jeito nenhum) o The Curator, considerado um dos 25 melhores bares de coquetéis de toda a Ásia em 2016 e 2017. A entrada é por uma porta escondida dentro de um café com aparência totalmente normal. Mas depois de entrar, a mágica acontece e você começa a pensar que talvez fosse uma boa morar em Manila. Não tenho fotos dele, mas é melhor assim. Sua surpresa vai ser ainda maior.

The Curator

  • Endereço: 134 Legazpi Street, corner Don Carlos Palanca Street, Makati City
  • Site: facebook.com/thecuratorcoffeeandcocktails
  • Horários: de segunda a quinta das 18h às 2h da manhã; sexta e sábado até as 3h da manhã
  • Faixa de preço: todos os drinques por 400 pesos filipinos

Compras em Manila

Quem gosta de comprar produtos típicos precisa conhecer a rede Kultura, especializada em artigos originais das Filipinas. A maior e melhor loja fica no shopping SM Makati.

Kultura – SM Makati

  • Endereço: SM Makati, Building Ayala Center Brgy., San Lorenzo Village, Makati City
  • Sitekulturafilipino.com
  • Horários: aberto diariamente das 10 às 21h

Loja Kultura, Manila

O Sundaycooks viajou a convite da Ethiopian Airlines e do Departamento de Turismo das Filipinas.

Assine nossa newsletter!