Era quase impossível não tentar imaginar o que o segundo dia de passeios pelo Valle Sagrado nos reservava, se seria tão bacana quanto o dia anterior ou não. O roteiro previsto para esse dia incluía algumas das ruínas mais famosas da região: Sacsayhuamán, Qenqo, TambomachayPisac com seu famoso mercado de artesanatos. Este seria um ótimo dia 😉

Veja como foi nosso primeiro dia no Valle Sagrado

Tire todas as suas dúvidas sobre o Valle Sagrado neste post

Onde ficar em Cusco e Machu Picchu?

Confira todos as nossas dicas e roteiro do Peru

Valle Sagrado - Sacsayhuamán - de onde vinham as pedras

Segundo dia no Valle Sagrado

Sacsayhuamán

Para aprender como se pronuncia o nome dessas ruínas é preciso saber um pouco de inglês. Repitam comigo: sexy woman. É, queridos leitores, é assim que se fala Sacsayhuamán :mrgreen:

Valle Sagrado - Sacsayhuamán - zigue-zagues

Começamos o dia visitando esta ruína e os sinais da altitude já nos mandavam lembranças. Ainda bem que nem imaginávamos a quantidade de degraus que subiríamos nos dias seguintes 😛

Sacsayhuamán é uma das ruínas mais conhecidas da região. Com mais de 4 mil metros quadrados de fortificação, esta obra possuía aspectos e significados militares para o povo Inca.

É interessante notar que, assim como todas as construções Incas, as pedras se encaixam perfeitamente sem o uso de nenhum tipo de argamassa. Nosso guia ainda nos disse que as pedras utilizadas na construção foram trazidas de mais de 3 km de distância ao norte dali. Ainda segundo ele, mais de 25 mil homens trabalharam na construção de Sacsayhuamán.

Valle Sagrado - Sacsayhuamán - portaValle Sagrado - Sacsayhuamán visto de cima

A cultura Inca era baseada em três símbolos muito importantes: o Condor que representava o céu e os deuses; o Puma que representava a vida do homem na terra e a Serpente que representava o mundo espiritual, o mundo da morte.

Valle Sagrado - Sacsayhuamán mais zigue-zague da serpente

Muitos acreditam que Sacsayhuamán foi construída em formato de serpente, e ,por isso, muitas de suas paredes lembrariam um grande zigue-zague.

Valle Sagrado - Sacsayhuamán - serpente desenhada em pedra

Diz a lenda que é possível até observar o formato da serpente nessa parte da construção. Outros também acreditam que, por conta da grande quantidade de quartzo das pedras, essas ruínas canalizam boas energias vindas do sol 🙂

Qenqo

Qenqo era um templo espiritual cravado numa caverna e utilizado como um importante sítio de cerimônias e rituais.

Valle Sagrado - Quenko

Em Qenqo é possível observar as mesas cerimoniais onde muitos os líderes Incas era mumificados. Aliás, vocês sabiam que os Incas utilizavam a mesma técnica de mumificação que os Egípcios? O mundo já era globalizado desde aquela época 😛

Valle Sagrado - Quenko - mesa cerimonial

Qenqo também era um local utilizado para cerimônias de fertilidade realizadas em Agosto para celebração da água e da terra e celebrações de solstícios e equinócios. Alguns rituais de sacrifício (para estudo) das llamas negras (coitadinhas) durante o solstício de inverno aconteciam por lá. Não bastasse isso tudo, Qenqo ainda era um templo de observação astronômica 🙂

Valle Sagrado - Quenko - entrada

Ao chegar lá, não deixe de soprar uma folha de coca três vezes e fazer um pedido em homenagem à trilogia Inca: Condor, Puma e Serpente.

Valle Sagrado - Quenko - roteiro místico no Peru

Essas ruínas também são base para visitação dos grupos que vão ao Peru em busca de um roteiro místico.

Tambomachay

3.765 metros de altitude.

Os        passos                    ficaram          um                 pouco        mais                       leeeeentos.

Valle Sagrado - Tambomachay

Tambomachay é considerado o “templos das águas“.

Valle Sagrado - Tambomachay - grupo que ia fazer a trilha até o lagoValle Sagrado - Tambomachay - principal fonte

Nessas ruínas é possível perceber toda a tecnologia hidráulica desenvolvida pelos Incas. A água ainda flui por um sofisticado sistema de aquedutos e canais no pequeno complexo de terraços e piscinas construídos por ali. As águas que jorram em Tambomachay são canalizadas de um lago a 25 km dali o.O”

Ruínas de Pisac

Se você pretende conhecer as ruínas de Pisac e o mercado de artesanato contratando um tour, confirme antes se o tour visita tanto as ruínas quanto o mercado. Como esses passeios em grupo costumam ter uma programação muito corrida, muitas vezes eles só passam por uma dessas atrações: ou as ruínas ou o mercado :/ Por isso, vale confirmar antes de contratar o serviço.

Valle Sagrado - Pisac - ruínas

Pisac foi construído parte como cidade, parte como complexo militar, parte como centro cerimonial e também como espaço de observação astronômica.

Valle Sagrado - Pisac - lhama, lhama, lhama, lhama, lhama

Os Incas cultuavam muito o estudo do meio ambiente e das estrelas e conseguiam até prever quando aconteceria o El Niño.

Valle Sagrado - Pisac - interior das ruínasValle Sagrado - Pisac - caminhos

No alto você vai avistar algumas fortificações, o Templo do Sol, o Templo da Lua e as famosas terraças de agricultura. Na foto é possível ver que algumas estavam passando por restauro devido aos fortes danos causados pelas chuvas do ano anterior.

Valle Sagrado - Pisac - problemas causados pela chuva

Repare também nos buracos feitos nas paredes da montanha oposta de Pisac. Esse espaço era utilizado como cemitério e era um dos maiores cemitérios Incas já descobertos.  Pena que ele foi tão saqueado e muitas das múmias que estavam ali sumiram nas mãos de ladrões de antiguidade sem deixar nenhum rastro 🙁

Valle Sagrado - Pisac - mais ruínas vistas ao longe

A imensidão do vale impressiona ao mesmo tempo que o vento traz uma certa sensação de paz e tranquilidade.

Valle Sagrado - Pisac - calma e tranquilidade

Posso ficar só mais 5 minutinhos? 😉

Mercado de Pisac

O famoso mercado de artesanatos de Pisac acontece aos domingos, mas também é possível visitar uma versão mais express dele às terças e quintas-feiras.

Valle Sagrado - Mercado de Pisac visto de longe

Lá você encontra, infelizmente, muitos souvenirs vindos da China, mas se procurar com cuidado ainda vai encontrar muitas peças feitas pelos artesões locais. A dica é sempre procurar por itens que não sejam vendidos em várias barraquinhas, pois quanto mais comuns, maior a probabilidade de ter vindo da China.

Compramos objetos muito delicados, trabalhos feitos com bastante cuidado, por isso, se você que gosta de trazer esses badulaques de viagem, vale a pena conhecer o mercado de artesanato de Pisac. Foi uma ótima experiência 😀

Valle Sagrado - Mercado de Pisac

Encontrei algumas dicas no meu caderninho de anotações para você aproveitar melhor o mercado e conseguir mais descontos nas negociações:

  • Chegue após o almoço, a feira já está acabando e está menos muvucada. Os descontos também são maiores nessa hora do que logo pela manhã quando boa parte dos tours chega à cidade.
  • Negociar perto de outros turistas é mais difícil. Se for possível, espere que eles se afastem 😛
  • As barracas no final do mercado têm preços mais baratos.
  • Não se envergonhe em pedir descontos, a arte da negociação faz parte da cultura local. Aproveite o treinamento para quando estiver em outros países que levam esse tema bem mais a sério 😛

E uma forte chuva cruzou nosso caminho enquanto visitávamos o mercado. O Fred, coitado, foi a principal vítima e voltou completamente ensopado para o carro.

Voltamos ao nosso hotel de Cusco após um dia intenso de explicações sobre construções Incas, fortificações, cerimônias, templos religiosos, sistemas hidráulicos, terraças e muita cultura local.

Ufa!

E nem chegamos em Machu Picchu ainda 😛

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    21 Comentários
  1. Natalie e Fred, adoramos o site de vcs realmente tem nos ajudado muito. Parabéns! Estamos querendo fazer o nosso roteiro igual ao de vcs mas gostaríamos de chegar mais cedo em Águas Calientes pra descansar, vcs acham q dá pra incluir mais alguma cidade nos primeiros dias?

  2. Boa tarde,
    Primeiramente, amei o seu post, muitas dicas que nao havia encontrado em outros post. Parabéns.
    O que gostaria de perguntar, dentre as cidades do Vale Sagrado, qual voce indicaria para uma pessoa com problemas de coluna, que não subisse tantas escadarias.
    Obrigada
    Ester

    • Infelizmente a maioria das ruínas no Vale Sagrado ficam em terrenos elevados, com morros e vários degraus. O ideal é fazer uma viagem mais calma e sempre muitos passeios programados em sequencia, assim é possível descansar mais. Boa sorte, Ester! Em todo caso, dá uma olhadinha nas fotos 😉

  3. Oi pessoal, gostaria de saber qual foi o tempo de duração desse passeio e daquele que vocês pararam em Ollanta. Obrigada!

  4. Oi tudo bem? queria perguntar se para esse dia tiveram que pagar entradas em todos esses lugares ou gastaram apenas com o guia particular?
    Também gostaria de pedir um contato do guia. Vou pra Cusco na ultima semana de outubro…

  5. 1 2
Deixe seu Comentário