atualizado em:

Boracay: o paraíso das festas e do sossego nas Filipinas

Uma das maiores maravilhas das Filipinas, ela já foi eleita a segunda melhor ilha do mundo para passar férias.

por Gabe Britto outros artigos do autor
atualizado em:

Não é fácil escolher em qual ilha ficar nas Filipinas, afinal são mais de 7 mil opções, sendo que uma porção enorme delas é feita de lugares divinos. Mas se você procura um lugar que também tenha opções de vida noturna e esportes aquáticos (incluindo mergulho), a decisão fica menos complicada: seu destino é Boracay.

Um panorama de Boracay

Boracay apareceu definitivamente para o mundo em 2003, quando uma revista internacional colocou a pequena ilha como a segunda melhor do planeta. É óbvio que isso foi um exagero gigantesco (ainda que ela seja maravilhosa), mas foi o suficiente para que todos os olhares dos viajantes praieiros se voltassem para ela, mudando o cenário local.

Se antes Boracay era um cantinho filipino mais ou menos calmo, hoje suas ruas principais são uma confusão de tricycles (as motos que funcionam como táxis na ilha), suas noites são agitadíssimas – ela é considerada uma das melhores do Sudeste Asiático nesse assunto, competindo com gigantes da Tailândia – e suas encostas montanhosas estão sendo tomadas aos poucos por condomínios e novas casas.

Praia de White Beach, em Boracay
Mas tenha calma: o cenário paradisíaco segue lá e ainda dá para encontrar muitos lugares tranquilos no meio disso tudo, fazendo com que esse pedacinho de terra com mar pontilhado de lindos barcos com velas azuis continue sendo uma opção fácil para quem quer apenas descansar nas Filipinas. Exatamente como devia ser antes de 2003.

Filipinas, Boracay, barcos

Onde ficar em Boracay

Apesar de pequena (ela tem apenas 7 km de ponta a ponta nas suas extremidades mais distantes), Boracay tem algumas divisões que devem ser compreendidas antes de você escolher seu hotel.

  • White Beach: é a praia mais famosa e também o destino das festas. Fica virada para o mar aberto, por isso tem águas um pouco mais agitadas do que a parte oposta. É dividida em 3 áreas: Station 1, Station 2 e Station 3.
    • Station 1: é a região nobre de White Beach, a parte mais paradisíaca da praia e indicada para quem quer um pouco de sossego (quanto mais ao norte você ficar, melhores serão as suas noites de sono). As maiores opções de hospedagem são resorts, vários com acesso direto à areia.
    • Station 2: fica no meio da praia e é indicada para quem quer fazer festa.
    • Station 3: região boa para quem procura albergues e acomodações mais baratas (e às vezes mais autênticas).
  • Bolabog Beach: é a praia na parte oposta à White Beach. Costuma ter águas mais calmas, o que faz com que seja a área de saída e chegada da maioria das excursões para esportes aquáticos na ilha. É bastante indicada para quem busca hospedagem em conta, porque está perto de White Beach e do centro de Boracay.

Estas são as regiões mais famosas, mas ainda existem várias outras pequenas praias, algumas escondidas de tudo e com ótimos resorts. Vale pesquisar a fundo, mas comece com esses abaixo. Eles são os que mais me chamaram a atenção na ilha.

Boracay vista mais ou menos de cima
Bolabog Beach, com seus barcos esperando os aventureiros do dia; no lado oposto, White Beach

Shangri-La’s Boracay Resort & Spa

É disparado o melhor lugar da ilha.

Eu não costumo gostar de resorts, então fico surpreso quando algum deles me conquista. O Shangri-La foi um desses raros, principalmente porque fica no melhor canto de Boracay, em duas pequenas praias praticamente privadas, cercadas por morros cobertos de verde e banhadas pelo lado do mar onde o sol se põe e faz você agradecer pela vida quase todo final de dia.

Vista das cabanas do Shangri-la Boracay
Ele tem estrutura completa como qualquer bom resort, restaurantes formidáveis e quartos grandes, com decoração na medida certa, além de cabanas totalmente isoladas, divinamente penduradas nas encostas e com aquele visual que cria dificuldades para você aceitar que um dia vai ter que ir embora dali.

Para melhorar, o café da manhã é um espetáculo à parte. Absurdamente delicioso, ele tem variedades difíceis de imaginar, incluindo uma seleção de diferentes tipos de mel com temperos inusitados – e eu recomendo que prove o que tem alho.

Em resumo, se você ficar no Shangri-La’s Boracay Resort & Spa, vai estar no melhor de Boracay e não vai precisar sair dele. Aliás, nem vai querer.

Quarto do Shangri-la Boracay

The Lind Boracay

Se ficasse em uma praia escondida e isolada de Boracay, talvez o The Lind conseguisse competir com o Shangri-La, porque é muito moderno e de bom gosto, com uma piscina magnífica virada para o mar. Mas perde porque fica em White Beach, mesmo que seja bem ao norte da Station 1.

De qualquer maneira, o The Lind é a melhor opção para quem quer um lugar muito bom mas não está podendo bancar o Shangri-La. Eu ficaria nele feliz da vida.

Resort Lind, em Boracay

Fridays

Confesso que não consegui fazer uma visita ao Fridays, mas pude olhar bem a sua estrutura (ele é vizinho do The Lind) e gostei do que vi, principalmente em relação à arquitetura: segundo o expert filipino que acompanhou o meu grupo, as cabanas têm estilo genuinamente local. Perfeito para quem quer autenticidade.

Resort Fridays, em Boracay

Astoria Boracay

O Astoria Boracay é uma boa opção para quem quer ficar um pouco mais perto do agito, já que está no limite entre a Station 1 e a Station 2 e no final da White Beach Path, o caminho exclusivo para pedestres que percorre toda a praia, passando em frente a bares, restaurantes e tudo mais.

O que fazer em Boracay

O leque de opções de atividades em Boracay é impressionante, a maioria ligada ao mar (é claro). Do mergulho ao kitesurf, do caiaque tranquilo ao banana boat (ou seu variante mais maluco, o flyfish), você só fica parado se realmente quiser.

Algumas pequenas ilhas nas proximidades são totalmente dedicadas à recreação, como se fossem parques de diversões mesmo. Você pode, por exemplo, pular de trampolins de alturas variadas diretamente no mar, na Magic Island. Ou pode explorar cavernas que se abrem para o oceano, na ainda mais temática ilha Crystal Cove.

Trampolim no mar, uma das tantas atividades em Boracay
Se essas brincadeiras não fizerem a sua cabeça, ainda é possível mergulhar com snorkel para ver corais na região chamada de Coral Garden ou apenas passear pela ilha em quadriciclos, descobrindo novas paisagens e praias.

Para qualquer uma dessas atividades, o ideal é contratar uma empresa que organiza tudo. A Southwest parece ser a melhor de todas, mas existem outras também.

E caso você não queria nenhuma aventura, considere apenas dar uma volta no tumultuado centro de Boracay, principalmente nos arredores do lago Balabag. Porém, não espere absolutamente nenhuma beleza estética pela área, apenas comércio e lugares para comer ou beber.

Ou esqueça tudo isso e fique só na praia, que já está de bom tamanho.

Kitesurf em White Beach, Boracay

Onde comer em Boracay

O centro da ilha é repleto de opções e um passeio pela avenida mais movimentada ou pela White Beach Path (a rua exclusiva para pedestres na beira de White Beach) vai mostrar isso para você.

Para escolhas mais certeiras, anote estas abaixo.

Restaurantes do Shangri-La’s Boracay

Caso não consiga ficar no resort, ao menos faça uma visita a um dos seus quatro restaurantes. O Rima é o melhor de todos, com um visual maravilhoso de toda a área.

Restaurante Rima, em Boracay

Rima

  • Endereço: Shangri-La’s Boracay Resort & Spa
  • Site
  • Horários: todos os dias das 18 às 23h
  • Faixa de preço: pratos principais entre 1.050 e 1.850 pesos filipinos; massas e risotos entre 730 e 950 pesos filipinos; carnes entre 2.450 e 7728 pesos filipinos

Restaurantes do hotel The Lind Boracay

São ótimas opções para quem estiver passeando por White Beach. A pizza do café e bar Crust é extremamente respeitável (eu diria que é deliciosa, mas não quero me comprometer com os leitores paulistanos).

Café e bar Crust, no hotel Lind, em Boracay

Crust

  • Endereço: The Lind Boracay
  • Site
  • Horários: todos os dias das 11 às 23h
  • Faixa de preço: pizzas entre 650 e 1.400 pesos filipinos; massas entre 420 e 985 pesos filipinos

Nonie’s

Um restaurante filipino focado em comida sustentável, com ingredientes comprados de produtores locais, para ser apreciada com calma e tranquilidade.

Nonie’s

  • Endereço: Hue Hotels & Resorts
  • Site
  • Horários: todos os dias das 7 às 15h e das 17 às 22h
  • Faixa de preço: pratos principais entre 250 e 420 pesos filipinos

Los Indios Bravos

Bateu a saudade de uma cervejinha artesanal e alguns petiscos? Talvez este seja o seu lugar. De brinde, o pessoal é extremamente simpático.

Cervejaria Los Indios Bravos, em Boracay

Los Indios Bravos

  • Endereço: Road 1A, praia de Bolabog
  • Site
  • Horários: todos os dias das 10 às 23h
  • Faixa de preço: pratos principais entre 230 e 750 pesos filipinos

Aria

Restaurante italiano no D’Mall, a galeria comercial a céu aberto no centro da ilha. Uma excelente escolha se quiser juntar a fome com a vontade de fazer compras.

Aria

  • Endereço: Galeria D’Mall
  • Site
  • Horários: todos os dias das 11 à meia-noite
  • Faixa de preço: massas entre 370 e 590 pesos filipinos

Quando ir para Boracay

  • Alta temporada: entre novembro e maio.
  • Média temporada: junho e julho.
  • Baixa temporada: entre metade de julho e outubro.

Na baixa e na média temporada, o país está mais sujeito a tufões, mas Boracay é relativamente protegida do fenômeno, então não há tanto perigo (apenas o tempo pode ficar bem feio).

Para mergulhadores, as melhores épocas costumam ser entre dezembro e abril.

Willy's Rock, em Boracay

Como chegar em Boracay

Boracay fica a aproximadamente 300 km de Manila, na região de Visayas, e o melhor jeito de viajar até ela é de avião.

O aeroporto mais próximo fica numa ilha vizinha e é conhecido como Caticlan Airport (apesar de ser batizado oficialmente como Godofredo P. Ramos). Seu código é MPH.

A Philippine Airlines voa entre 3 e 4 vezes por dia da capital para lá. A ligação é direta, feita em Airbus A320-200 (os mesmos que a Latam utiliza no Brasil), tem duração de apenas uma hora e sai do Terminal 2 do aeroporto Ninoy Aquino, em Manila. O terminal é simples mas bom, com boa infraestrutura e até uma sala vip exclusiva para membros do programa de fidelidade da companhia.

Filipinas, Philippines Airlines
Já a companhia Cebu Pacific faz o mesmo trecho até 7 vezes por dia, também direto, mas saindo dos terminais 3 e 4, voando com Airbus A320 e com ATR-72.

Chegando no aeroporto de Caticlan, ainda será preciso pegar um barco para chega a Boracay.

Se você ficar hospedado num resort, provavelmente haverá alguém esperando para auxiliar no traslado até a ilha. Mas se o seu hotel não oferecer essa facilidade, você pode caminhar até o porto (Caticlan Jettyport), pode pegar um trycicle (o transporte público local) ou pode contratar um transfer. A Southwest oferece esse serviço.

A propósito: o Shangri-La’s Boracay Resort & Spa leva os hóspedes numa lancha particular até o resort, com direito a sala vip caso seja necessário esperar pelo barco ainda em Caticlan.

Como se locomover em Boracay

Boracay é pequena, então você não vai precisar de nada além de vontade de caminhar (se ficar nos resorts mais perto do centro e não quiser sair da região).

Mas se estiver em outros lugares ou sentir vontade de explorar a ilha, pode confiar nos trycicles, as moto-táxis da ilha. Elas custam centavos e os motoristas topam levar você para qualquer lugar.

Dica: prepare-se para um pouco de desconforto, porque os trycicles não são luxuosos e as ruas são bem esburacadas.

Transporte público em Boracay

Segurança em Boracay

Aqui serve a mesma orientação geral para as Filipinas: apenas não dê bobeira deixando suas coisas por aí, cuidado com a carteira em aglomerações e evite lugares muito vazios à noite. Muitos resorts da ilha têm checagem de segurança mais rígida na entrada, mas é apenas por prevenção. Boracay está longe da região tumultuada do país.

Dinheiro e cartões de crédito em Boracay

Hotéis geralmente aceitam cartões de crédito e existem vários caixas eletrônicos pela ilha, principalmente no centro, onde também estão as casas de câmbio. Pode acontecer de restaurantes aceitarem pagamento apenas em dinheiro, então esteja preparado.

De resto, apenas relaxe. Você está em Boracay.

O Sundaycooks viajou a convite da Ethiopian Airlines e do Departamento de Turismo das Filipinas.

Assine nossa newsletter!