Quando visitei Santiago pela primeira vez, o Fred me levou para o Museu Ralli, um museu praticamente escondido em Santiago cuja única referência pela cidade era uma plaquinha pendurada num poste na Avenida Américo Vespucio Norte. Curiosos por museus como somos, não hesitamos em parar para conhecer o Museu Ralli que, além de tudo, tem entrada franca.

Como naquela época, o blog era apenas um espaço dedicado a falarmos bobagens do dia-a-dia, eu acabei não me preocupando em anotar as informações sobre o acervo, apenas aproveitar os vários Dalís (yep :D) que estavam ali, ao alcance da mão. Como o museu é pouco divulgado (alguém aí já havia ouvido falar nele?), ele geralmente está vazio e naquela ocasião o segurança ia acendendo as luzes exclusivamente para nós ;)

Sempre que eu comentava sobre o Museu Ralli, todo mundo me olhava com uma cara de “não é possível ver Dalí de graça em Santiago”. Pois bem, passei todas as coordenadas para a minha mãe e pedi para ela conferir se o Museu Ralli realmente existia, ou se havia sido obra da nossa imaginação, e trazer todas as dicas e informações para quem quer incluir um programa cultural Daliesco na sua próxima visita à capital chilena.

E não é que ela encontrou um museu pequeno, sem muvuca e cercado de obras interessantes, exatamente como nós o havíamos visitado anos antes? :mrgreen:

Acompanhem o relato da Dona Sônia, nossa correspondente exclusiva:

Museu Ralli, obras do Dalí em plena Santiago

Entrada do Museu Ralli

O sol iluminava as belas ruas de Santiago em certa tarde de Domingo. Após o almoço, peguei a linha vermelha do metrô e me dirigi até a estação Escuela Militar, onde tomei um taxi que me deixou no endereço indicado: Calle Alonso de Sotomayor, 4110, Vitacura. As linhas retas e rosas das paredes demonstravam que eu havia chegado ao local correto.

Entrei no prédio e fui recebida pelo senhor responsável pela portaria, aquilo já começou a aguçar minha curiosidade, que seria saciada logo a seguir. Eu acabara de chegar ao Museu Ralli e o tinha inteira e exclusivamente para mim.

EsculturaMiró

Nas primeiras salas, trabalhos de artistas sul-americanos, belas peças que prepararam meus olhos para o que viria a seguir. Conforme eu me aproximava da saída de uma sala, outra se iluminava para aguardar a minha visita.

Deparei-me, com uma bela escultura em bronze de Mondigliani (1910 – 1912), caminhei um pouco mais e me deparei com Dalí, Miró, Chagal, uma coleção completa materializara-se perante meus olhos, obras que marcaram o século vinte. Uma surpresa a cada passo com suas cores e formas capturando meu olhar.

Dalí - AliceDalíDalí - Elefante

Depois da surpresa inicial, cheguei até a sala Dalí – Chagall, composta por escultura e gravações de ambos os artistas. Uma sala espetacular, onde podemos observar a genialidade desses mestres. Muito me chamou a atenção, por exemplo, a escultura em bronze, datada de 1977, denominada Alice. A leveza e beleza da obra ficou gravada como uma das mais belas que eu já apreciei. A sala é tão especial que fui, voltei e tornei a passar por ela, pois era necessário um certo tempo para apreciá-la como se deve, mas cada minuto valeu a pena.

Terminada a minha visita, olhei o prédio e o deixei nas mãos de um casal de franceses. Acho que ele ficou em boas mãos também.

Dalí - VáriasDalí - OutrasDalí - Tesoura

Os Museus Ralli

Sim, não existe apenas um Museu Ralli no mundo. Esses museus pertencem a uma entidade sem fins lucrativos, criada pelo Sr. Harry Recanatti e sua esposa Martine Recanati, com a intenção principal de difundir as obras latino americanas e demonstrar a qualidade de nossos artistas, mas isso Não quer dizer que Dalís não se encaixem também nesse contexto. A coleção dos Recanatti está dividida entre cinco museus espalhados por pontos escolhidos e privilegiados do mundo: Santiago (Chile, 1992), Punta Del Este (Uruguai, 1987), Caesarea (Israel, 1993 e 2007) e Marbella (Espanha, 2000).

Todos os museus trabalham em sistema de rotatividade que, segundo informações da fundação, contam com obras cuja seleção se deu pela qualidade das mesmas, independente da fama de seus artistas.

Museu Ralli

Endereço:

Calle Alonso de Sotomayor, 4110, Vitacura

Santiago – Chile

http://www.museoralli.cl

Horários:

Terça a Domingo: das 10h30 às 17h

Janeiro: somente nos finais de semana

Fevereiro: fechado

Ingressos:

Grátis

Você já esteve em algum dos Museus Ralli? E neste de Santiago?

Conta pra nós o que achou deste museu e da sua história?

Se gostou do que viu, assine o blog!


    2 Comentários
  1. PRIMEIRA VEZ EM SEU BLOG. AMEI,AMEI,AMEI.
    PARABÉNS.

Deixe seu Comentário