Ao planejar seu roteiro de viagem pela Cidade do México, leve em consideração que ela é uma das maiores metrópoles do nosso continente e que as atrações geralmente não ficam muito próximas umas às outras. Por isso, o tempo de locomoção entre um ponto e outro acaba sendo maior do que o imaginado. Pensando nisso, elaboramos um roteiro de seis dias pela cidade para você que quer aproveitar ao máximo uma das capitais mais vibrantes da América Latina.

Conseguiu uma oferta recentemente de voos para o México e está pensando em curtir uns dias na capital? Veja as nossas dicas e tire o melhor proveito do seu tempo de férias, começando pelo básico 😉

Zocalo Centro Histórico da Cidade do México - Perto do Palácio de Belas Artes

Onde ficar na Cidade do México?

Onde ficar na Cidade do México: os 3 melhores bairros

Maria Condesa: um hotel Boutique no bairro descolado da Cidade do México

Room Mate Valentina – uma opção econômica na Zona Rosa

Ofertas de Hotéis em Condesa

Ofertas de Hotéis em Polanco

Ofertas de Hotéis na Zona Rosa

Melhores bairros para ficar na Cidade do México - Condesa 02

Sobre transporte na Cidade do México

Sem mistérios: Metrô da Cidade do México

Como são os táxis na Cidade do México?

Tenho uma longa conexão lá, é possível sair e conhecer a cidade?

Sim! E este post é pra você 🙂

O que fazer numa longa conexão na Cidade do México?

Zocalo Centro Histórico da Cidade do México - Catedral Metropolitana

Roteiro de viagem pela Cidade do México

Dia 1 – Chegada à Cidade do México

Se seu vôo faz escalas outros pontos do continente, como Santiago ou Bogotá, é bem provável que você perca o dia todo em trânsito até a Cidade do México. Considere, então, fazer apenas programas mais lights como sair para jantar perto do hotel escolhido ou descansar para reabastecer as energias, afinal, a capital mexicana está a mais de 2000m de altitude e isso não é fácil para quem não está acostumado. Leia mais sobre o mal de altitude aqui: Mal de altitude: como prevenir o soroche.

Veja todas as opções de transporte para sair do aeroporto e seguir para o seu hotel na Cidade do México:

Como ir do aeroporto ao centro da Cidade do México?

Como ir do aeroporto ao centro da Cidade do México - Saída de táxis

Dia 2 – Paseo de la Reforma e Bosque de Chapultepec

A sugestão é reservar o segundo dia para passear pelo Paseo de la Reforma e pelo Bosque de Chapultepec, visitando os principais pontos desta região: o Museu Nacional de Antropologia (onde você irá encontrar um grande acervo das civilizações antigas mexicanas – inclusive o calendário azteca), o Castelo de Chapultepec e o Museu Nacional de História.

Museu Nacional de Antropologia - Detalhes da Pedra do Sol Asteca

A sugestão do roteiro completo você encontra nos posts indicados abaixo:

O Bosque de Chapultepec na Cidade do México: De castelo a museus

Museu Nacional de Antropologia da Cidade do México

Se você estiver hospedado na Zona Rosa ou perto do Paseo de la Reforma, poderá aproveitar todo esse dia sem depender de transporte público ou táxis 🙂

Roteiro pelo Bosque de Chapultepec - Fontes do castelo

Dia 3 – Ruínas de Teotihuacán e a marcante Basílica de Guadalupe

Visitar o Museu Nacional de Antropologia antes de conhecer Teotihuacán é fundamental para compreender melhor o contexto dessas civilizações pré-hispânicas. Como o passeio não costuma durar o dia todo (a não se que você queira, claro :P), ainda é possível conjugá-lo com outro lugar icônico da Cidade do México: a Basílica de Guadalupe.

Como ir a Teotihuacán - Basílica de Guadalupe quase sem turistas

Todos esses passeios podem ser feitos tranquilamente por conta própria usando apenas transporte público. A ideia é ir primeiro a Teotihuacán, evitando a leva de turistas que aporta por lá no período da tarde. Claro que, se você preferir pela comodidade, também é possível contratar uma agência de receptivo local.

Leia também:

Como ir a Teotihuacán por conta própria?

Por que você deve conhecer Teotihuacán, o tesouro perdido?

Basílica de Guadalupe: um espaço dedicado à fé na Cidade do México

Como ir a Teotihuacán - Vista da Pirâmide da Lua sem turistas

Dia 4 – Conhecendo o Zócalo, o centro histórico da Cidade do México

Outra região marcante da Cidade do México é o Zócalo, também conhecido como Centro Histórico 😉 Nesse ponto, você encontrará vários casarões e construções que contam um pouco do passado da capital. Para visitar os museus, ruínas e mercados, considere praticamente um dia todo para esse passeio como indicamos no post:

Um dia no Zócalo, o centro histórico da Cidade do México

Zocalo Centro Histórico da Cidade do México - Palácio de Belas Artes

Dia 5 – Passeio por Xochimilco e Museo Frida Kahlo

O quinto dia é reservado para muita cor e fortes tradições. A dica é fazer  o passeio pelos canais de Xochimilco de manhã e depois seguir até o tocante Museu da Frida Kahlo.

Todas as informações para fazer esses dois programas você encontra nos links detalhados abaixo:

Passeio de barco pelos coloridos canais de Xochimilco

Museu Frida Kahlo: entrando na mente da artista

Museu Frida Khalo - Viva la Vida

Dia 6 – Compras e museus ou bate-volta até Tula

Vamos considerar este dia como um dia coringa no seu roteiro. Com 4 dias inteiros você consegue conhecer os principais pontos da Cidade do México e arredores, mas se tiver interesse em fazer outros passeios, considere visitar as Pirâmides de Tula, construídas por outra civilização antiga mexicana,  ou ainda ir até a Casa do Trotsky, ao Estúdio Diego Rivera ou ao Museu Soumaya.

Pirâmides de Tula no México - Atlantes de Tula / Guerreiros

Se ainda sobrar um tempinho, você pode fazer algumas compras, seja no bairro de Polanco, seja em alguns de seus shoppings 😉 Nesse caso, reserve algumas horas para passear pela grande loja de departamento El Palacio de Hierro ou caminhar pelo Shopping Antara Polanco, no coração do bairro mais nobre da cidade, um ótimo ponto para compras de marcas mais exclusivas.

Confira as dicas aqui:

Outros museus na Cidade do México

Como economizar nas compras no México com o Tax Free

As Pirâmides de Tula: um bate e volta diferente da Cidade do México

Para curtir a noite na Cidade do México

Veja as nossas dicas de Restaurantes na Cidade do México ou aproveite o clima boêmio dos barzinhos na região do bairro Condesa.

Como foi o seu roteiro pela Cidade do México? Deixe suas dicas 🙂

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do México \o/


Ver em um mapa maior

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    56 Comentários
  1. Boa noite amigos, parabéns pelas excelentes dicas.
    Estou viajando para cidade do México dia 24 agosto e gostaria de saber situação climática nesta época e qual a temperatura média para sabermos que roupas levar, caso alguém tenha ido neste período rsrs… estou ansioso para fazer o passeio de balão até as pirâmides e o Safari lá perto, li alguns relatos. Ah! outra coisa rsrs… minha esposa é fã do Chaves e já pesquisei muito sobre o tema porém, parece que a única lembrança do personagem é o Museu de Cera, é isso mesmo ou alguém encontrou alguma coisa ? obrigado.

  2. Olá Jorge. Estarei indo em junho e acho que posso te ajudar rs. Se tiver tempo, poderá ir a Acapulco e se hospedar no hotel onde foram gravados os episódios das férias do Chaves (https://www.tripadvisor.com.br/Hotel_Review-g150787-d154353-Reviews-Emporio_Acapulco_Hotel-Acapulco_Pacific_Coast.html). Agora me ajuda, como é essa história de balão e safari?! Quanto às roupas também tenho dúvidas… li algo sobre não ser de bom tom as mulheres usarem shorts?! É verdade isso gente?!

  3. Como sempre… os posts aqui são fantásticos!
    A Cidade do México é uma opção de viagem completíssima e cabe dentro do orçamento perfeitamente, graças ao câmbio favorável pra nós.
    Existem muitas atrações e a cidade é extremamente moderna e segura.

    Escrevi no meu blog
    7 motivos para conhecer a Cidade do México.

    Abraço a todos!

  4. Conforme o prometido, segue o relato da viagem ao México (Cidade do México, Puebla e Cholula) que fizemos com as dicas do Sundaycooks e usando o SundayPlanner!

    Passagens
    Emitimos por 40.000 milhas (Natal/SP/México D.F e MéxicoD.F/SP/Natal) e voamos de LATAM.

    Hospedagem
    A partir do posts sobre onde ficar na Cidade do México, optamos por ficar na Zona Rosa, pelos serviços que essa área oferece. Por sermos cadastrados no programa de fidelidade Accor, conseguimos uma excelente promoção no Ibis Styles Zona Rosa, incluindo café da manhã, early check in e late check out sem custos adicionais. O hotel fica na esquina da Calle Liverpool (que é uma das zonas de ecobici) com a Calle Genova, a principal da Zona Rosa, fechada para pedestres e repleta de lojas, bares, restaurantes, casas de câmbio, farmácias e super segura! Outro fator de vantagem em se hospedar nessa hotel é que ele está em frente à estação Insurgentes do metrô, o que facilitou muito a nossa vida por lá. O staff é ótimo e nos ajudou com informações e mapas rs. Para quem se interessar segue alguns dados do hotel:
    Ibis Styles Zona Rosa (ah o tema deles é “joguetes mexicanos”, uma graça!)

    Valor total da estadia (14/06 a 19/06): USD 277,21

    Moeda
    Levamos reais e trocamos um pouco no aeroporto em uma casa de câmbio que não cobrava comissão. A cotação estava 4,70 pesos para cada real. O estabelecimento fica logo no desembarque internacional, no lado esquerdo, segunda casa. Devíamos ter trocado logo todo o dinheiro, afinal e NENHUM lugar daquela cidade, nem de outra que visitamos havia reais nas casas de câmbio, o que nos obrigou a sacar do cartão de crédito, já que não conseguimos contatar nosso gerente para que fosse habilitada a função saque do nosso cartão. Conseguimos sacar apenas nos terminais do Bancomex e no BBVA. Então: troquem logo no aeroporto seus reais ou levem dólar/euro (franco, iene, dólar australiano e libra são tão aceitos quanto dólar nas casas de câmbio rsrs).

    Transporte
    Embora os táxis (branco e rosa) fossem baratos, usamos mais o sistema público por ser barato e rápido. O metrô custava 5 pesos e ainda estava interligado aos terminais de autobuses e “trem ligero”, este último gratuito. Achamos seguro e recomendamos, com exceção do translado do aeroporto para o hotel e vice-versa, já que as bagagens dificultam o uso desses transportes públicos. Falando em translado, pagamos (valor fixo, acertado previamente) 250,00 pesos do aeroporto para o hotel (empresa Sítio 300, no desembarque, lado direito, guichê amarelo, em frente a casa de câmbio acima mencionada). Do hotel para o aeroporto, pagamos 200,00 pesos e o motorista era terceirizado do hotel.

    Clima / Roupas
    Por ser primavera, o clima estava agradável e girou em torno de 13 a 22 graus. Não precisamos de agasalhos pesados (embora nossa sensação de frio seja mais frequente, por moramos em uma região quase desértica rs). Um windbreaker foi suficiente! Um fato interessante que notamos foi que as mulheres não usavam shorts ou roupas curtas/decotadas, mesmo na Zona rosa, uma região bem descolada.

    Roteiro dia a dia

    Dia 01 (14/06)
    Nossa chegada estava prevista para às 07:15 (hora local), mas teve um atraso, o que atrapalhou nossos planos de ir ao centro histórico no fim da manhã. Chegamos por volta das 09:00hs e após pesquisar em praticamente todas as casas de câmbio a melhor cotação, bem como os melhores valores da táxi (sem contar com a enorme fila da imigração), chegamos no hotel quase meio-dia. Considerando esse contratempo, desistimos de ir ao centro e seguimos a dica do blog em ficar pela zona rosa no primeiro dia. Fomos a pé ao Museo de Cera (ver o Chaves, óbvio rs) que ficava na Calle Londres, atrás do hotel. A noite fomos assistir a lucha libre na Arena México. Quanto ao Museo, gostamos e fizemos o tour básico. Em relação a luta livre, embora seja algo mais artístico do que profissional, curtimos. Nesse dia almoçamos no Chili’s pertinho do hotel. Nesse dia também vimos que nosso padrão de tomadas é diferente do deles, então se não quiser gastar quase R$ 60,00 comprando um adaptador, leve um daqui!

    Dia 02 (15/06)
    Dia de pirâmides! Acordamos cedo e seguimos as dicas do blog para ir a Teotihuacán. Pegamos o metrô e de lá o ônibus que nos deixou na entrada zona arqueológica. Embora tivesse uma grande oferta de guias, achamos o percurso bem informativo (por placas) e fomos no nosso ritmo. Na volta, já no período da tarde, fomos á basílica da “virgencita” e de quebra visitamos o mercado que fica ao lado e provamos a verdadeiras paletas mexicanas! Como foi tudo bem tranquilo, a noite fomos andar pela zona rosa, tomar as cervejas locais com autênticos tacos.

    Dia 03 (16/06)
    Dia de ir no cenário do 007 contra spectre: o Zócalo! Para o centro, resolvemos usar o turibus, um ônibus turístico que conta com quatro circuitos na cidade e custava 140,00. Iniciamos no Zócalo e resolvemos em uma das paradas, descer e ir visitar a região de Polanco e Bosques de Chapultepec, já que segundo a empresa, o recorrido poderia ser feito em uma hora e meia o que nos deixaria tempo para voltar para terminar de ver o centro. Ledo engano, a Dona Natie estava certa quando falou para não incluir muitas coisas em um único dia… aquela cidade é tudo meio longe mesmo. Ao descer em Polanco resolvemos matar a saudade do Peru indo almoçar em um restaurante no Astrid Gaston e quando terminamos esperamos horrores o ônibus para voltar ao centro. Além da demora, ainda pegamos trânsito, dai desistimos de voltar ao centro pela hora e descemos perto do hotel. Esses ônibus são ótimos e baratos (tem wi fi inclusive), mas nada de tentar fazer mais que um circuito por dia. A noite, ficamos pela Zona Rosa mesmo, afinal tinha muita coisa ali para fazer.

    Dia 04 (17/06)
    Dia de Coyacán. Pegamos o turibus na parada mais próxima ao Hotel e fizemos o circuito sur. Além de Coyacán, visitamos Condesa, Tlalpan, UNAM… Coyacán vale uma manhã ou tarde inteira, mas estávamos sem tempo e queríamos ir ao Museo da Frida. Infelizmente, desistimos de ir a Xochimilco, pois não tínhamos terminado de ver o centro. Após a visita a Casa Azul, tivemos a péssima ideia de ir ao Estádio Azteca. A não ser que você seja muito fã de futebol, não vale a visita. Longe, não tem muito o que ver e a zona parece ser insegura. Por isso, voltamos ao centro. Mas, infelizmente (mais uma vez) uma manifestação popular atrapalhou em parte nossos planos, já que muitas vias foram interrompidas. Mesmo assim, conhecemos o Palácio Nacional de Belas Artes, a calles lindinhas do centro. Nesse dia ainda compramos lembrancinhas no mercado da ciudadela (basta descer na estação Balderas do metrô). Voltamos para o hotel no turibus e tínhamos intenção de ir a Plaza Garibaldi ver mariachis e visitar o museo da tequila, mas por recomendações do staff do hotel, não fomos. Nos informaram não ser hoje em dia, um local seguro para se ir a noite.

    Dia 05 (18/06)
    Dia de Puebla. Seguindo as dicas do blog, fomos de metrô e depois ônibus até Puebla. Como desistimos de visitar o Parque Izta Popo (este último entrou em atividade e preferimos não seguir rotas alternativas rs), reservamos apenas um dia, sem pernoite para Puebla. Chegando no terminal rodoviário, pegamos um táxi até o Zócalo e após, seguimos de ônibus turístico até Cholula, onde fizemos visita panorâmica a cidadela e paramos em duas de suas igrejas mais importantes. No tempo livre, que foi de três horas, subimos até a Igreja de Nuestra Señora de los Remédios, fomos a zona arqueológica e caminhamos pelas calles que davam acesso ao seu zócalo, onde almoçamos. Em uma dessas ruelas, experimentei, gratuitamente, chapulins. Grilinho que inspirou o personagem Chapolin, interpretado pelo Bolaños! Destaque para a qualidade dos ônibus da empresa ADO, confortáveis, seguros e com bons preços para os serviços de bordo oferecidos.

    Dia 06 (19/06)
    Como iríamos embarcar às 18:45hs, fizemos um programa leve, indo para os Bosques de Chapultepec visitar o Museo de Antropologia, já que a garota que vos escreve adora essa ciência social. O local vale uma manhã inteira (na minha opinião) e como o blog sugere, deve ser visitado antes das pirâmides, já que nem todos tem base teórica para entender a civilização que habitou Teotihuacan. Mesmo não tendo seguido a sugestão, aproveitei bastante e consegui ver nexo nas aulas de antropologia que tive rs. Andamos pelos bosques e de lá seguimos para as lembrancinhas e encomendas de última hora.

    Impressões Gerais
    O destino foi uma escolha acertada e as dicas do blog foram essenciais para nós. Embora seja uma cidade grande, principalmente para mim, que moro no interior do RN, conseguimos conhecer o principal sem deixar de lado nossos gostos. Foi um dos locais mais acessíveis de todos que visitamos e nos sentimos muito bem recebidos pelas pessoas de lá. Obrigada, mais uma vez, pela ajuda na nossa viagem. Voltamos felizes, com o nosso espanhol melhorado, embora sem o céu da boca de tanto chili consumido rsrsrs.
    Até a próxima viagem!!!

    • Obrigado, pelo incrível relato, Giovanna 😀 Ficamos felizes por termos ajudado e vamos transformar esse comentário em post com certeza!

  5. Olá pessoal! Parabéns pelo trabalho, está lindo! Tenho uma duvida sobre a Cidade do Mexico e gostaria de ouvir a opinião de vocês. Estamos pensando em ir conhecer as pirâmides da região em família, mas temos duas criancas entre nós, de 6 e 7 anos cada. Voces acham que a Cidade do Mexico tem atrações sedutoras e cativantes para essa faixa etária, além das pirâmides? Acham que elas aguentam o passeio, nao seria muito exaustivo?

    • Oi, Cláudia.

      A Giovanna já deu uma resposta bem completa por aqui e eu concordo com ela. Tem vários programas legais para os pequenos. Aos domingos, por exemplo, eles fecham o Paseo de la Reforma para o pessoal caminhar, andar de bike ou de patins. Tem o Museu Nacional de Antropologia que é bem curioso, os barcos de Xochimilco… tudo depende de como vocês vão vender a cidade para eles, mas no geral é um destino bem interessante e muito diferente! 😀

  6. Olá Cláudia! Vi muitas crianças em Teotihuacán, mas na minha opinião, acho que seria meio cansativo, pois se anda muito (isso se forem fazer tudo por conta, como eu fiz). Entretanto, acredito que dá para fazer com adaptações rs, vi algumas excursões que deixam os turistas nas portas das pirâmides a serem visitadas (são divididas em setores), evitando o cansaço do deslocamento entre elas. Em relação às outras atrações, acho que elas gostariam de visitar o Museo de Cera, os Bosques de Chapultepec, Coyacán, Centro Histórico, Puebla, Cholula etc. É um lugar muito rico culturalmente e com certeza suas crianças aproveitarão bastante!

  7. Olá! Gostaria de informações sobre os shoppings!
    Grata,
    Alessandra

    • Oi, Alessandra.

      A melhor região para fazer compras é o bairro nobre de Polanco. Ali fica o melhor e mais bonito shopping da cidade.

  8. Oi, Natalie,
    Eu vou em janeiro para a Cidade de México, chego em uma terça-feira e volto na outra terça (fico 1 semana lá). Tenho uma dúvida: o que posso fazer em uma segunda-feira na cidade (já que boa parte dos lugares estão fechados)? Em todos os blogs que eu visito, as sugestões são para visitar as ruínas de Teotihuacán, mas eu quero visitá-las no meu segundo dia de passeio (não quero deixar para o fim da viagem, porque pode haver algum imprevisto e tal). O que vc sugere para uma segunda?

    • Oi Amanda.

      Teotihuacán é uma boa na segunda e você ainda pode combinar com o passeio pela basílica de guadalupe. Normalmente alguns museus ficam abertos e você pode tentar ver qual deles está aberto nesse dia para tentar combinar, apesar de que, esses dois passeios já tomam um dia quase todo 😉

  9. Pessoal, outra dúvida, estou ajustando os gastos e queria saber quanto reservo para as refeições na CDMX. Vocês tê ideia? Vou passar 1 semana lá, quanto é +- o custo em refeições por dia (sem contar o café da manhã)?

  10. Olá Amanda. Isso é bem relativo e depende do tipo de viagem que vc faz rs. Eu por exemplo estipulei uma margem de 70-100 reais, por pessoa, por dia. Foi uma média que usei durante o planejamento. Alguns dias dava e outros não, mas um dia compensava o outro e no fim o que reservei deu com sobra. Não achei a alimentação cara no México… comia-se muito bem por preços justos. Deu até para almoçar no Astrid Gastón rs.

  11. 1 2 3
Deixe seu Comentário