Muitas dúvidas nos cercavam quando começamos a sonhar com a nossa viagem para o Peru e uma das nossas maiores preocupações era com esse danado do soroche, ou mal de altitude. Como poderíamos nos prevenir? Será que passaríamos mal durante os passeios? Durante nossas pesquisas, encontramos várias dicas sobre como prevenir o soroche e amenizar o mal de altitude em Cusco.

Os quase 3.400 metros de altitude de Cusco são ingratos com quem não está acostumado com grandes altitudes e não devem ser desprezados. Como diria seu Jorge Ben, prudência e canja de galinha não faz mal a ninguém, certo?

Como evitar o Mal de Altitude?

Mal de altitude - Plaza de Armas em Cusco

Se eu pudesse dar apenas um conselho sobre como prevenir o mal de altitude seria: respeite seu corpo, seus limites e não deixe de descansar no seu primeiro dia em Cusco. Mais importante do que qualquer chá de coca, o descanso no dia de chegada é fundamental para que o seu corpo comece a se aclimatar e não reclamar nos dias seguintes.

Não é preciso necessariamente ficar entocado no hotel, mas faça o mínimo de esforço possível, evitando passeios longos e que tenha de subir ou descer ladeiras.

Eu sei, eu sei. Geralmente viajamos com os dias contatos e querendo aproveitar ao máximo o tempo para conhecermos todos os cantinhos especiais da cidade. Nessa hora, reservar o primeiro dia para o simples e belo ócio e descanso pode parecer um desperdício, mas garanto que isso pode fazer toda a diferença na sua experiência na região.

Abusando do excesso de zelo, eu até indicaria você consultar seu médico de confiança para um breve check-up e orientações quanto às possíveis medicações caso você se sinta muito mal.

O que é o Mal de Altitude ou Soroche?

O soroche é causado principalmente por conta da oxigenação reduzida no seu sangue e pode manifestar-se através de alguns sintomas como: dor de cabeça, fadiga, náusea, tontura, falta de ar e coração palpitante. Ao perceber qualquer um desses sinais, diminua o ritmo e evite esforço físico desnecessário.

Vá com calma, pois, a não ser que o apocalipse Maia seja confirmado (há controvérsias segundo os documentários que passam diariamente no Nat Geo), as ruínas Incas continuarão lá por um bom tempo :mrgreen:

Outras dicas importantes e bem práticas para evitar ou amenizar o mal de altitude são: tomar o famoso chá de coca ou mastigar suas folhas, muitas vezes disponíveis no seu hotel, se hidratar bastante, se alimentar regularmente e evitar alimentos muito pesados.

Você também vai encontrar pela cidade muitas propagandas da Sorojchi Pills, umas cápsulas que prometem alívio imediato contra o mal de altitude. Eu não precisei recorrer a essas cápsulas, mas não resisti ao simpático cilindro de oxigênio chamado OxiShot, vendido em qualquer mercadinho ou farmácia de Cusco.

Mal de altitude - OxiShot

Logo que chegamos em Cusco, nós sentimos como se estivéssemos em câmera lenta, tudo parecia mais lento e uma caminhada na Plaza de Armas já parecia uma maratona. Tudo o que fizemos nesse dia foi sair do hotel e andar pela Plaza de Armas, localizada, literalmente, ao lado do hotel.

Confira os melhores lugares para se hospedar em Cusco

Poucas horas depois de chegar, eu já comecei a senti dor de cabeça e a ficar enjoada. Como ficamos uma semana na cidade, acabei me acostumado, mas a falta de ar ao subir as escadas do hotel era inevitável. Uma parceria perfeita da altitude com a falta de preparo físico :P

O Fred também não se sentiu muito bem no primeiro dia e até tentou tomar o chá de coca e mastigar suas folhas, mas, segundo ele, o gosto era terrível. Quando chegávamos ao hotel de noite, nós usávamos um pouco do OxiShot para nos ajudar a dormir.

Não pense que essas dicas são exclusivas de Cusco :P Você também pode usá-las em qualquer lugar que esteja a grandes altitudes.

Veja também o relato da Lu Malheiros sobre o soroche no Dividindo a Bagagem.

Você tem algum segredinho, truque ou receita de avó para aliviar o mal da altitude?

O que você sentiu logo que chegou em Cusco?

Demorou para que você se acostumasse?

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Se gostou do que viu, assine o blog!


    101 Comentários
  1. Ah, outra coisa que esqueci de falar. Eu acordava todas as noites com muitaaaa sede e com o nariz muito seco e teve um dia que sangrou bem pouquinho. Acredito que isso é devido à baixa umidade do ar, semelhante ao que acontece em Brasília no tempo seco. Eu usei um soro no nariz e deu uma boa melhorada, mas eu só fiz isso nos dois últimos dias, pq a tonta não lembrou que tinha um bom remedinho guardado na mala!

  2. 1 3 4 5
Deixe seu Comentário

    Pingback e Trackback
  1. [...] Preto em termos de ladeiras, mas com o agravante de estar a, pelo menos, 3300m de altitude. Com a danada da altitude e o soroche batendo na porta, subir essas ladeiras no final do dia depois de longas caminhadas e passeios pode ser uma lamúria. [...]

  2. [...] visitar Puno e o famoso lago Titicaca. De um visual deslumbrante e batendo recordes de altitude (cuidado com o mal de altitude!), essa região está na minha listinha com certeza. Confira como foram as viagens da Camila e da [...]

  3. [...] valem para os demais dias se o ‘mal da altitude’ continuar a atacar com força. No  Sundaycooks, mais dicas sobre como prevenir o mal das alturas. A Lu Malheiros do Dividindo a Bagagem também [...]

  4. […] Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco […]

  5. […] Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco […]

  6. […] Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco […]

  7. […] Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco […]

  8. […] Mal de altitude: como prevenir o soroche em Cusco […]