Um dos passeios indicados para quem visita Lima é seguir até as ruínas pré-incas de Pachacamac. Durante nossa primeira viagem ao Peru, não conseguimos fazer esse tour, por isso o deixamos para nossa segunda incursão ao país.

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 2

Ir a Pachacámac vale a pena?

Por que a região de Pachacámac é importante?

Quatro povos distintos viveram em Pachacámac: os Lima, Wari, Yshma e os Incas. A cidade foi construída por volta de 200 a.c. e resistiu por cerca de 400 anos. Como muitas construções pré-incas, os historiadores consideram que ela era dividida em 4 setores: administrativo, cerimonial, doméstico e abrigo para os peregrinos.

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 1

Eles cultuavam esse local como ponto de encontro do Deus dos Terremotos, o oráculo mais importante da época. Por isso, ao longo dos anos de sua ocupação pré-inca, a população peregrinava até Pachacámac para pedir alívio aos terremotos, transformando o espaço em um lugar de oferendas e sacrifícios.

Onde ficar em Lima e quais os melhores bairros?

Dicas de hotéis em Lima: do básico ao luxo

Ofertas de hotéis em Lima

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 3

Como funciona o tour por Pachacámac?

O programa dura meio período – já que boa parte do trajeto se passa buscando passageiros em diferentes hotéis – e é amplamente oferecido por diversas agências locais em Lima.

Como os tours podem ser organizados por várias empresas locais, resolvemos escolher a Gray Line para testar seus serviços, já que ela é bastante conhecida por seus city tours no exterior. No dia do passeio, percebemos que a empresa havia terceirizado esse tour para uma agência local que, então, nos levaria até Pachacámac.

Valor: 36 dólares por pessoa com ingresso, guia local e transporte inclusos.

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 4

Mas afinal de contas, por que não recomendamos o passeio?

Por 3 diferentes motivos, meu caro leitor :mrgreen:

  1. Se você já visitou outros sítios arqueológicos no centro de Lima como a Huaca Pucllana e Huallamarca, o passeio por Pachacámac pode ser cansativo e repetitivo.
  2. O estado de conservação das ruínas não é dos melhores. Tanto em Lima quanto em diferentes pontos do Peru, você vai conseguir visitar outros sítios que apresentam melhores estados de preservação e contam histórias parecidas.
  3. O tempo de deslocamento. Lima tem muitas coisas distintas e interessantes a oferecer: os museus e galerias de artes, a forte gastronomia local, seus mercados e bairros diferentes como o Barranco e Miraflores.

Sinceramente? Levando em consideração que geralmente passamos por Lima com pouco tempo para explorar a cidade de verdade, não acho que valha a pena investir tanto tempo nesse passeio e abrir mão de conhecer outros pontos tão bacanas da capital. Claro que, se você já conhece a cidade bem e está voltando, ir a Pachacámac pode ser um programa a se considerar 😉

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 5

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 6

Como chegar a Pachacámac – “alma de la tierra, el que anima el mundo”?

A 40 km de Lima, a melhor maneira de chegar a Pachacámac é contratando um tour local ou reservando um táxi. Alugar carro na cidade está fora de cogitação devido ao trânsito caótico e às condições precárias das estradas no Peru.

Você já foi a Pachacámac? O que achou da experiência?

Clique aqui para conferir todas as nossas dicas e roteiros do Peru \o/

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 7

Pachacámac

Endereço:

Km 31,5 da antiga Panamericana Sur

Lurín, Peru

http://pachacamac.cultura.pe

Horários:

Terça a Sábado: 9 às 17h

Domingo: 9 às 16

Ingressos:

Adultos: 10 soles

Guias:

Espanhol, Inglês e Francês: é preciso agendar previamente

Vale a pena ir a Patchacámac no Peru - 8

Você também poderá gostar

Se gostou do que viu, assine o blog!


    7 Comentários
  1. Oiiii! Olha eu aqui outra vez!

    Desta vez vim falar que eu fui ao Pachacamac e achei super proveitoso o passeio. Pode até ter sido por ter ido nele antes de ir nos demais passeios em Lima, mas achei que a explicação vale a pena para entender o período pré-inca!
    Sem contar que você passa por bairros de Lima mais afastados onde podemos ver uma paisagem diferente!
    Como eu fiz o passeio sem ser em grupo, fomos direto para lá, parando apenas para conhecer Barranco.
    E na volta, comi no MELHOR restaurante de Lima! Que sinto muitas saudades! Dona Lucinda!
    Pedimos para a agencia nos deixar no restaurante e fomos depois passeando pelos bairros, voltamos ao bairro Barranco… foi uma tarde deliciosa! Eu fiquei 3 dias em Lima e deu pra curtir tudo!

    • Que legal, Paula 🙂 Nós fomos de excursão e foi chatinho, sem muito brilho, mesmo sendo um assunto que já estamos carecas de saber 😛 Talvez as expectativas estivessem muito altas, mas achei que, se você já viu o resto de Lima e Cusco, Pachacamac pode ficar de fora 😉

      Em todo caso, tem tanta coisa legal em Lima, tanto restaurante pra conhecer que certamente voltaremos pra lá hahahaha Barranco, por exemplo, exploramos só um pouquinho 😉

    • Olá! Estamos indo pra Lima semana q vem e queríamos muito fazer esse passeio, mas pelo q entendi a Paula do comentário acima o fez apenas em meio período, teria como indicar a agência? Grata!

  2. Desculpe, mas discordo imensamente. O passeio para o sítio de Pachacámac é maravilhoso. Fiz ótimas fotos lá e voltei maravilhada. e perde-se apenas uma manhã ou tarde para fazê-lo. Não passe por Lima sem conhecer Pachacámac, Barranco, Miraflores, o museu do ouro, as catacumbas, e claro, a gastronomia local.

    • Obrigado pelas dicas, Karla 🙂 Talvez tenhamos pegado um tour sem graça, mas continuo achando que, comparado ao resto do país, Pachacamac é o primo pobre 😛

  3. Concordo em grande parte com o comentário de vocês, fomos a Pachacamac e o que gastou mais tempo foi o tour dentro da cidade para buscar o povo em seus hotéis, durante o passeio achamos interessante a imensidade de dunas de uma areia clara ao longo da rodovia que leva até o local. Chegando lá, mortos de sede, nos deparamos com uma estrutura muito aquem da demanda, a única lanchonete não estava aberta, e pra piorar pegamos uma das guias com a maior má vontade do mundo, saiu correndo pelo sitio (para quem está acima do peso sabe o quando é dificultoso o terreno) não esperando por todas as pessoas do grupo (os gordinhos e pessoas um pouco mais de idade) mal conseguimos entender o que ela falava. O que realmente valeu a pena foi quando chegamos no último ponto de visitação do sítio que fica em frente ao mar, e ouvimos uma explicação, entredentes, do significado de uma ou duas ilhas posicionadas no mar e que seriam personagens da época inca.

    • Infelizmente essa é minha grande birra com tours tipo excursão 🙁 muitos deles são assim…

Deixe seu Comentário